O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2022-04-22T17:52:02-03:00
Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @RenanSSousa1
FECHAMENTO LÁ FORA

Investidores se preparam para o impacto de um Fed mais agressivo e bolsas americanas caíram mais de 2%; confira destaques lá fora

As atenções se voltam para os títulos do Tesouro dos Estados Unidos, os Treasuries, que devem ter valorização nos próximos meses

22 de abril de 2022
17:49 - atualizado às 17:52
Jerome Powell caindo como um cometa nas bolsas americanas
Powell voltou a afirmar que a economia americana é menos vulnerável e está mais distante dos efeitos imediatos da guerra do que a Europa. Imagem: Montagem / Shutterstock

O mercado como um todo reagiu negativamente às falas da última quinta-feira (21) do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell. A sinalização de que a alta nos juros americanos pode ser maior do que o esperado fez os investidores saírem em debandada dos ativos de risco — e as bolsas são o principal alvo. 

Com isso, os índices americanos fecharam no vermelho, com fortes quedas na casa de mais de 2%:

  • S&P 500: -2,77% (4.271,78)
  • Dow Jones: -2,82% (33.811,40)
  • Nasdaq: -2,55% (12.839,29)

Dessa forma, esse foi o segundo pior dia para o Dow Jones no ano. Na semana, os índices também acumulam fortes perdas, com os últimos dias marcados pela presença forte do Fed no centro dos debates:

  • S&P 500: -3,01%
  • Dow Jones: -2,23%
  • Nasdaq: -3,73%

O Fed se aproxima e as bolsas caem

De acordo com Powell, é apropriado que o Fed aja em ritmo "um pouco mais rápido". Em outras palavras, o aumento de juros de 50 pontos-base é uma opção na reunião de política monetária do BC americano marcada para 3 e 4 de maio — em duas semanas.

Com isso, os investidores esperam que o Fed eleve os juros ainda mais do que o esperado.

Somado a esse fato, a redução do balanço patrimonial do BC americano, com a venda de mais de US$ 4,6 trilhões em Treasuries e títulos lastreados em hipotecas acumulados desde março de 2020, injeta ainda mais cautela nos mercados.

E como isso afeta os mercados

A alta dos juros por lá aumenta o retorno dos títulos do Tesouro dos Estados Unidos, os chamados Treasuries.

Esse tipo de investimento é considerado o mais seguro do mundo e, em momentos de incerteza — como a continuidade da guerra, inflação pelo mundo e covid-19 na China — os investidores tendem a migrar para esse tipo de ativo. Na outra ponta, ações e criptomoedas tendem a cair com a fuga de recursos. 

Os títulos de longo prazo seguem com tendência de alta. Confira o fechamento deles hoje: 

NomeVar%
U.S. 10Y-0,50%
U.S. 20Y0,35%
U.S. 30Y0,66%
Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

CVM recua e libera distribuição de dividendos do fundo imobiliário Maxi Renda FII (MXRF11) com base no ‘lucro caixa’ — relembre o caso

A xerife do mercado de capitais reconheceu “a existência de obscuridade e contradição” na decisão original

Superou o trauma? Bitcoin (BTC) segue no patamar de US$ 30 mil; saiba se a maior criptomoeda do mundo sustentará esse nível

BTC terá também que superar os críticos às moedas digitais, que não pouparam esforços para injetar ainda mais medo nesse mercado já extremamente desorientado

CEO do JP Morgan leva cartão vermelho de acionistas e pode ficar sem bônus milionário, entenda a decisão rara

A desaprovação foi a primeira desde que o conselho do banco norte-americano enfrentou um voto negativo sobre compensações desde que as regras foram introduzidas, há mais de uma década

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Hapvida, Magazine Luiza e Nubank tombam, mas Ibovespa fecha o dia no azul; confira os destaques desta terça-feira

O maior apetite ao risco e a expectativa de manutenção no ritmo de alta no juro nos Estados Unidos ajudou o Ibovespa, que teve um dia de ganho

FECHAMENTO DO DIA

Ibovespa sustenta alta após susto inicial com Powell; dólar cai abaixo dos R$ 5

O Ibovespa fechou o dia longe das mínimas, mas o dólar caiu 2% com o apetite por risco no exterior

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies