Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-06-14T13:21:45-03:00
Vitor Azevedo
Conteúdo Empiricus

Jereissati (JPSA3) acumula alta de quase 20% na primeira metade de junho após anúncio de reestruturação: para analistas da Empiricus, há espaço para mais

Incorporação da Iguatemi pela sua controladora abre espaço para captação de novos recursos e companhia deve avançar em aquisições e investimentos

14 de junho de 2021
13:21
Jereissati Iguatemi IGTA3 JSPA3

A Jereissati Participações (JPSA3) - ação que é, já há algum tempo, a terceira maior aplicação da carteira Oportunidades de uma Vida, gerida pelo estrategista-chefe e CIO da Empiricus Felipe Miranda – acumula quase 20% de alta nos primeiros dez dias de junho. Quem assina a publicação da maior casa de análise do país, então, obteve uma alta expressiva de parte de seus aportes em poucos dias com sua aplicação: o Ibovespa, desde o início do ano, para fins de comparação, acumula um avanço de apenas 9%.

PARA SABER QUAIS OUTRAS AÇÕES COMPÕEM A CARTEIRA DO OPORTUNIDADES DE UMA VIDA, E NÃO PERDER OUTRA ALTA COMO A DA JEIRESSATI, CLIQUE AQUI

O avanço se deu porque o mercado reagiu bem à notícia veiculada na última terça-feira (8/6) de que a companhia irá se reestruturar e incorporar as ações da sua controlada, a Iguatemi (IGTA3).

Em relatório, Felipe Miranda foi no mesmo caminho e disse acreditar que a operação deve ser preponderantemente positiva, destravando valor para os acionistas minoritários das duas companhias envolvidas. “Imagino que os benefícios da operação sobrepujarão as eventuais mazelas”, afirmou.

Entenda a reestruturação da Jereissati e da Iguatemi

Na proposta, que ainda deve ser votada pelos acionistas das duas empresas, a estrutura de holding atual será simplificada. A Jereissati Participações, que detém 50,7% das ações da Iguatemi - estando o restante listado em bolsa - irá incorporar os papéis da controlada e dar aos acionistas da empresa de shoppings ações unitárias da companhia resultante da operação,  que se chamará “Nova Iguatemi”. Além disso, está previsto um prêmio de até 10% sobre a média de preço de negociação do papel nos últimos 30 dias, que deve ser avaliado por um comitê independente.

“Haverá a consolidação das operações e a unificação do free float, cuja expectativa é de um aumento de aproximadamente 45%”, explica Miranda. Conforme ele, de forma geral, a ideia é o lançamento do programa de units para os acionistas da Jereissati, a incorporação da Iguatemi e a conversão das ações. 

Para o fundador da Empiricus, a operação abre caminhos para a que a Nova Iguatemi faça ofertas subsequentes. O motivo é justamente o fato de a família Jereissati deixar de correr risco de perder o controle e poder de decisão sobre a companhia no caso de novas emissões na B3.

A movimentação do Grupo Jereissati, porém, tirará a Nova Iguatemi do segmento do Novo Mercado e dará menor poder aos acionistas minoritários frente à família controladora. “Eu não vejo risco nessa movimentação. Acho essa crítica bastante superestimada. O mercado e os ‘acionistas ativistas’ guardam uma interpretação excessivamente otimista e autocentrada sobre si. As corporações dificilmente funcionam. A família já provou ter capacidade de execução e visão estratégica”, diz o estrategista-chefe da maior casa de análise do Brasil. 

Nova Iguatemi deve expandir investimentos

O esperado é que, com maior espaço para ir ao mercado de capitais sem dissolver o controle dos Jereissatis, a companhia invista ou vá às compras, aumentando seu portfólio. A Iguatemi já é uma das maiores empresas do seu setor do Brasil, com 14 shoppings, duas outlets e três torres comerciais. 

“Desde 2008, a empresa apresentou um crescimento de área bruta locável de 11% ao ano. A  receita avançou em média 16% ao ano. Já o Ebitda e o lucro, na faixa de 18% ao ano. É uma companhia reloginho. Mesmo passando por crises, apresentou resultados impressionantes.”, afirma Fernando Ferrer, também analista da casa, que atua nas análises da Carteira Empiricus – portfólio em que a recomendação da Jereissati também estava presente antes da alta expressiva.

Com a captação, é provável também que a Jereissati e a Iguatemi invistam mais nas sua iniciativa digital, o Iguatemi 365. “É uma iniciativa com marcas famosas e é interessante a empresa estudar o desenvolvimento de uma logística. Aparentemente a tecnologia vem crescendo a passos largos. Há bancos que a avaliam já em R$ 500 milhões, o que é cerca de 7% do preço de mercado de toda a Iguatemi”, afirma Ferrer. 

Além disso, a Iguatemi estaria se preparando para a disputa pela consolidação do mercado de shoppings centers – atualmente muito fragmentado nas classes A/B e A/B+, nas quais a companhia atua. “O mercado é segmentado e a Iguatemi está levantando poder de fogo para disputar pela sua fatia”, afirma. “Eles devem aumentar participação no portfólio que eles já têm, comprando maior participação nos shoppings que já possui, e também comprar ou investir em novos ativos. Eles devem vir com mais ímpeto para a disputa”, explica. 

Com isso, Miranda e equipe optaram por manter a ação – tanto na Oportunidades de Uma Vida quanto na Carteira Empiricus - mesmo após a valorização de quase 20% alcançada pelos assinantes. 

Quem seguiu as dicas da maior casa de análise do Brasil e fez aporte nas ações, de qualquer forma, já foi beneficiado. “Os acionistas da Jereissati são os que se saíram melhor da transação, pois desfrutarão do fechamento do desconto de holding”, explica o time.  

Além da possibilidade de avançar de maneira inorgânica, há, para os especialistas, todo o contexto macroeconômico, com a economia brasileira reaquecendo após a crise causada pela pandemia do coronavírus. "Após a operação, seguimos otimistas com o case. Além dos pontos que a Iguatemi deve trabalhar, temos também a recuperação da economia brasileira, que deve movimentar o setor de consumo”, finaliza Ferrer.

ANALISTAS DA EMPIRICUS COMENTAM EM ANÁLISE SOBRE RETOMADA ECONÔMICA – E APONTAM TRÊS AÇÕES QUE DEVEM DISPARAR

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Nova bolada

Corretora que quer levar brasileiros a investir nas bolsas dos EUA recebe aporte de R$ 150 milhões; saiba mais

Com US$ 1 bilhão em ativos sob gestão e 300 mil clientes, a Avenue Securities recebeu aporte do fundo japonês Softbank

O gigante quer mais

Buscando margem: Itaú Unibanco (ITUB4) aposta em retomada de crédito pessoal para lucro continuar em alta

Carteira de crédito tem sido impulsionada por linhas com juros mais baixos para os clientes, como financiamento de imóveis e de veículos

Na mira da lei

O que bitcoin e carro tem em comum? Para o novo diretor da CVM americana, ambos precisam de limites

O novo chefe da SEC, a CVM americana, é um entusiasta de criptomoedas e deve trazer um time de peso para sua equipe

Na agenda

Reforma administrativa deve ser votada na Câmara no fim de agosto, diz Lira

O parlamentar avaliou que ficará mais difícil avançar com reformas no ano que vem, quando os interesses políticos vão se sobrepor à agenda econômica

Negócios

Ganhando tração, área de gestão de patrimônio da Vitreo já captou R$ 520 milhões –meta é chegar a R$ 1 bi ainda em 2021

Com serviços exclusivos para clientes com patrimônio acima de R$ 10 milhões, a Vitreo Wealth tem diversos diferenciais e avança em cenário de aquecimento da economia, boom de IPOs, fusões e aquisições e de fortalecimento das startups

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies