🔴 5 MOEDAS PARA MULTIPLICAR SEU INVESTIMENTO EM ATÉ 400X – VEJA COMO ACESSAR LISTA

Letícia Flávia Pinheiro
Letícia Flávia Pinheiro
Jornalista formada pela Universidade de São Paulo (ECA-USP) e redatora para os portais Seu Dinheiro e Money Times.
RADIO CASH

‘O centrão vai fazer o Bolsonaro sangrar e a esquerda trabalhar para ele. Isso é diabólico’, diz o economista Eduardo Giannetti

Em entrevista exclusiva ao podcast RadioCash, o economista opina sobre a conjuntura da CPI da Covid, eleições de 2022 e o impacto da política monetária global, confira:

Eduardo Giannetti
Imagem: Reprodução YouTube

“O jogo do parasita, que é o centrão, é sempre o mesmo. Gruda no hospedeiro, espera ele enfraquecer e depois o destrói, sem matar. O centrão fará o Bolsonaro sangrar, e vai fazer a esquerda trabalhar para eles”. Essa é a leitura do economista, escritor e pesquisador Eduardo Giannetti, em relação à CPI da Covid. 

Em entrevista exclusiva ao RadioCash, o podcast de mercado financeiro produzido pela Empiricus e pela Vitreo, Giannetti divide sua análise da conjuntura da CPI da Covid, que busca apurar ações do governo durante a pandemia e trazer repasses de verbas federais para estados e municípios. 

Você pode conferir a entrevista completa abaixo, apertando o play, ou continuar comigo. A seguir, te conto o que rolou de mais interessante no episódio do RadioCash:

Segundo análise do economista, a CPI da Covid foi criada com as melhores das intenções, mas quem ganha com isso é o Centrão. Esse grupo político está próximo de fazer com que Bolsonaro se curve para conseguir o mínimo de governabilidade para concluir seu mandato. Sobre o momento atual da política brasileira, Giannetti comenta:

“Estamos de novo prostrados, sem horizonte, numa situação angustiante, ainda mais com esse quadro trágico de obscurantismo e negacionismo no meio de uma pandemia. Agora, não vamos confundir o momento com o que há de permanente. Não vamos confundir a conjuntura com a realidade de uma cultura.”

Depois do auge, a queda 

Giannetti, que é autor de livros que investigam a identidade nacional, como Trópicos Utópicos, explica para os ouvintes do podcast sobre o ciclo vicioso característico no Brasil. Segundo ele, o país é marcado por períodos de euforia e exuberância seguidos de depressão e crises econômicas. Ele dá exemplos: 

  • Os “50 anos em 5” de Juscelino Kubitschek, sucedidos pelo quadro de descalabro fiscal e inflacionário e pelo Golpe Militar; 
  • Os “milagre econômico” da ditadura militar, que foi sucedido por uma “década perdida” de inflação crônica e corrupção; 
  • Recentemente, o início do início do governo Lula, que representou um grande desenvolvimento social e econômico, que terminou com a recessão econômica de 2015 e o impeachment de Dilma Rousseff.

De acordo com o pesquisador, esse quadro se agravou muito com a eleição polarizada de 2018. Durante o podcast, o economista também divide suas opiniões quanto à presença de Guedes no governo e sobre a sua capacidade de execução da agenda liberal. Saiba mais clicando aqui

Quando a crise vai acabar?

Para Giannetti, ao que tudo indica, já que estamos passando pelo pior e devemos entrar em um período de euforia no futuro. Esse momento exige que o país reflita sobre seus erros.

“Da próxima vez que tudo nos favorecer, esse ciclo de euforia, de descontrole, que leva ao desastre em que terminaram os momentos mágicos de Juscelino, de milagre econômico e de Lula, vamos construir as bases para que isso seja sempre realidade. É a formação de capacidades humanas, redução da desigualdade, saneamento, saúde pública, educação, transporte coletivo... Vamos colocar o estado brasileiro a serviço do futuro e não a serviço de si próprio”. 

Durante o podcast, o economista também contou um pouco sobre suas perspectivas para as eleições de 2022. Segundo Giannetti, ainda tem muita água para rolar, mas ele espera que a sociedade se una em nome de três valores fundamentais: a defesa da democracia, a redução da desigualdade e a preservação do meio ambiente.  

O economista explica cada ponto defendido por ele no episódio do RadioCash que foi ao ar nesta semana. Convido você a escutar o que ele tem a falar. É um bate-papo recheado de referências, conteúdo e muito conhecimento. Confira:

Qual será o impacto da alta de juros no mundo?

Nos últimos momentos do podcast, Eduardo Giannetti explica sobre os possíveis reflexos da  extravagante política fiscal e monetária adotada durante uma pandemia, principalmente pelos EUA, que aprovou um pacote trilionário para recuperar a economia. 

De acordo com Giannetti, o esforço dos governos e bancos centrais que vimos em 2008/2009 para mitigar a crise global é pequeno comparado com o que está em curso neste momento.

Para ele, esse é um grande experimento econômico em tempo real, que pode trazer de volta a inflação.

“Ninguém tem a menor ideia do que pode resultar de uma expansão fiscal da ordem que foi feita no combate à pandemia. Eu ficaria muito surpreso se disso não resultar em uma experiência inflacionária. Não necessariamente de preços, mas pelo menos de ativos”, afirma o economista. 

Se você busca aprender sobre economia de maneira leve e bem humorada, recomendo escutar esse episódio do RadioCash. Não é todo dia que você tem a chance de conhecer a leitura de mercado de uma das maiores referências do Brasil sobre o tema. Basta clicar no play abaixo ou ouvir por meio do Spotify. Você não vai se arrepender! 


Compartilhe

Mudanças climáticas

Investimento verde é coisa de gringo, mas isso é bom para nós: saiba quais são as apostas ESG do investidor global no Brasil

17 de maio de 2024 - 6:33

Saiba para quais segmentos e tipos de negócios o investidor global olha no Brasil, segundo Marina Cançado, idealizadora de evento que aproximará tubarões internacionais com enfoque ESG do mercado brasileiro

LOTERIAS

Mega-Sena e Quina decepcionam de novo, mas Lotofácil faz 2 meio-milionários — e eles apostaram de um jeito diferente

17 de maio de 2024 - 5:42

Nenhum dos ganhadores da Lotofácil apostou em uma casa lotérica; na Mega-Sena e na Quina, os prêmios acumulados têm oito dígitos

E VEM MAIS POR AÍ

Uma ajuda extra da Receita: lote de restituição do Imposto de Renda para o Rio Grande do Sul supera R$ 1,1 bilhão

16 de maio de 2024 - 19:46

Além de incluir os gaúchos no primeiro lote de restituição, a Receita promoverá medidas para ajudar o contribuinte do estado castigado pelas enchentes

LOTERIAS

Lotofácil faz 2 meio-milionários, Quina acumula de novo e Mega-Sena oferece prêmio turbinado

16 de maio de 2024 - 5:58

Lotofácil sai para uma aposta comum e para um apostador “teimoso”; concurso de final 5 turbina prêmio da Mega-Sena

LOTERIAS

Bolão fatura Lotofácil e faz 4 milionários de uma vez só; Mega-Sena acumula e prêmio dispara

15 de maio de 2024 - 6:02

A Lotofácil estava acumulada ontem, o que engordou o prêmio da “máquina de milionários”; Quina acumulou de novo

MULTIMERCADOS

Ex-colega de Campos Neto no BC, gestor da Itaú Asset aposta em Copom mais rígido com os cortes na Selic daqui para frente

14 de maio de 2024 - 19:58

Ex-diretor de política monetária do BC entre 2019 e 2023 — sob o comando de RCN —, o economista Bruno Serra revelou o que espera para os juros no Brasil

LANCE REVISADO

Ata do Copom mostra divisão mais sutil entre Campos Neto e diretores escolhidos por Lula

14 de maio de 2024 - 10:18

Divergência entre os diretores do Banco Central se concentrou no cumprimento do forward guidance, mas houve concordância sobre piora no cenário

DE OLHO NAS REDES

Adeus, Campos Neto: logo a presidência do Banco Central deve ir para as mãos de um indicado de Lula — “o telefone vermelho vai tocar”

13 de maio de 2024 - 18:06

Campos Neto logo deixará a presidência do Banco Central. Quais são os riscos de um indicado de Lula tomar o lugar?

PESQUISA FOCUS

Projeção para Selic volta a subir após bola dividida no Copom a poucos meses da saída de Campos Neto

13 de maio de 2024 - 10:59

Estimativa para Selic no fim de 2024 sobe pela segunda semana seguida na Focus depois de Campos Neto ter precisado desempatar votação

SAINDO DO VERMELHO

Desenrola para MEI começa amanhã — e aqui está tudo o que você precisa saber para renegociar dívidas no Descomplica Pequenos Negócios

12 de maio de 2024 - 16:00

Não há limite para os valores das dívidas, mas só será possível renegociar débitos não pagos até 23 de janeiro deste ano

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar