Menu
2020-03-17T14:48:17-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Fundos de investimento

O que fizeram as maiores gestoras de fundos com a crise do coronavírus? Só o Banco do Brasil respondeu

BB DTVM reduziu posições de ativos de maior risco e buscou ações de setores mais resilientes. Bradesco, BTG, Caixa, Itaú, Safra, Santander e XP não responderam o que estão fazendo com o dinheiro dos clientes

17 de março de 2020
13:59 - atualizado às 14:48
Coronavírus derruba países
Imagem: Shutterstock

O que fizeram as maiores gestoras de fundos do país diante do choque provocado pelo coronavírus? Eu procurei oito das líderes do mercado de gestão de recursos na quinta-feira passada com três perguntas:

  • Quais movimentações a gestora fez na carteira ou pretende fazer?
  • Houve resgates de recursos pelos investidores nas últimas semanas?
  • Quais as perspectivas para a bolsa, câmbio e juros?

Até o momento, apenas a BB DTVM, gestora de fundos do Banco do Brasil, respondeu (em parte) às questões.

Quatro instituições me disseram que não iriam comentar o que estão fazendo com o dinheiro de seus clientes: Bradesco, BTG Pactual, Santander e XP.

O Itaú não quis responder, mas informou por meio da assessoria de imprensa que pretende dar uma entrevista ao Seu Dinheiro até o começo de abril.

As outras duas instituições – Caixa Econômica Federal e Safra – não responderam ao pedido até o momento.

Menos risco

A BB DTVM, maior gestora do país, com um total de R$ 1,057 trilhão em patrimônio, informou que reduziu as posições em ativos de maior risco entre os fundos multimercados. Em bolsa, a estratégia foi buscar setores que são considerados mais resilientes.

Nas últimas semanas, a gestora registrou saques tanto nos fundos multimercados como nos de ações, mas não revelou valores. A BB DTVM também não fez comentários sobre as perspectivas para os ativos no atual cenário.

Leia a seguir a íntegra das respostas enviadas por e-mail:

A gestora fez alguma movimentação recente na carteira ou pretende fazer em meio ao choque provocado pelo coronavírus? Se fez movimentações, quais foram?

A BB DTVM vem adotando estratégias mais balanceadas, reduzindo nossas posições em ativos de maior risco, buscando a proteção do portfólio. Tais estratégias foram adotadas mais intensamente nos fundos multimercados. O mesmo movimento foi realizado nos fundos de ações, que também passaram a alocar em setores mais resilientes.

Com a intensificação das crises, continuamos com essa estratégia, porém sem necessitar fazer grandes mudanças, visto termos antecipado parte deste movimento de mercado.

A gestora teve resgates líquidos nas últimas semanas? Qual o valor?

Observamos movimento de saída de recursos em fundos Multimercado e de Ações, acompanhando o sentimento de aversão ao risco iniciado globalmente.

Em termos patrimoniais, o resultado líquido da captação está dentro do esperado para momentos de turbulência e, dado o processo de assessoria realizado pela distribuição do Banco do Brasil, com base no perfil dos clientes e indicação de carteiras diversificadas de produtos de investimento, acreditamos que a intensificação das ações de comunicação e educação financeira dos investidores promovidas pelo BB estão apresentando cada vez mais resultados.

Como vê as perspectivas para a bolsa, câmbio e juros diante da atual conjuntura?

A BB DTVM não disponibiliza informações sobre cenário econômico.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

números da pandemia

Brasil chega a 72,1 mil mortes por covid-19, diz Ministério da Saúde

Foram registrados 24.831 novos casos da doença; total chegou a 1.864.681

entrevista

‘Brasil virou pária do investimento internacional’, diz Persio Arida

Um dos signatários da carta de ex-ministros da Fazenda e do BC em defesa de uma retomada econômica “verde”, ele observa que o presidente tem feito uma “política ambiental horrenda” e na contramão do mundo

ao menos sete parlamentares

Verba de gabinete é usada para lucrar na internet

Deputados da base governista recorreram a empresas contratadas com dinheiro da cota parlamentar e assessores pagos pela Casa para gerir canais monetizados no YouTube

entrevista

‘Caminhamos para o precipício ambiental’, diz CEO da Suzano

Walter Schalka diz que a sustentabilidade tem de unir empresas e governo para que o Brasil possa virar uma potência ambiental no mundo

decisão da justiça

Ex-secretário, vereador e empresário de Marília tornam-se réus por fraudes

De acordo com o Ministério Público Federal, o grupo é acusado de corrupção ativa e passiva, peculato, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements