Menu
2019-01-16T11:46:21-02:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Briga judicial

XP Investimentos entra na Justiça contra agentes autônomos que migraram para o BTG

Entre os alvos da XP estão o escritório mineiro One e a Cordier, que tem sede em Sorocaba. Juntos, eles representam quase 2 mil clientes, que possuem R$ 1,650 bilhão em investimentos.

16 de janeiro de 2019
6:05 - atualizado às 11:46
Logo da XP investimentos
Imagem: Divulgação

Em meio à batalha com o BTG Pactual no mercado de plataformas de investimento, a XP Investimentos decidiu ingressar também com ações na Justiça contra escritórios de agentes autônomos que decidiram se desligar da corretora para se unir ao rival.

Entre os alvos da XP estão o escritório mineiro One e a CDR, mais conhecida como Cordier, que tem sede em Sorocaba e filiais em São Paulo e Curitiba. Juntos, eles representam quase 2 mil clientes, que possuem aproximadamente R$ 1,650 bilhão em investimentos, de acordo com informações disponíveis no site do BTG.

No mais novo lance dessa disputa, a corretora obteve uma liminar na Justiça para impedir a Cordier de compartilhar com o BTG ou outro concorrente informações confidenciais sobre operações financeiras de clientes da XP sem autorização expressa deles.

Eu procurei a XP e o BTG, mas ambos informaram que não comentariam o assunto. A Cordier e a One não responderam ao pedido de entrevista até o momento.

O que está em jogo

Para você entender melhor essa briga de peixes graúdos, é preciso saber antes como funciona a dinâmica desse mercado. O modelo de atuação da XP, pioneira e líder entre plataforma de investimentos do país, é baseado principalmente na figura do agente autônomo.

É ele quem apresenta para o cliente as opções de aplicação disponíveis na plataforma entre todas as disponíveis no "supermercado financeiro". Ou seja, embora o cliente tenha conta na XP, a relação se dá principalmente com o agente autônomo.

A importância deles para esse mercado é tão grande que o Cade, órgão de defesa da concorrência, entendeu que a rede de agentes autônomos da XP constitui uma barreira de entrada para concorrentes.

Tanto que uma das condições impostas para aprovação da venda da participação de 49,9% da XP para o Itaú Unibanco, concluída no ano passado, foi justamente a proibição de contratos de exclusividade entre a corretora e os escritórios.

Concorrência acirrada

De olho nesse filão, o BTG resolveu se valer da estratégia de captar agentes autônomos para turbinar o crescimento sua plataforma BTG Pactual Digital. 

O banco fechou no ano passado a compra da Network Partners, formada por ex-sócios da XP. A empresa se especializou no relacionamento com agentes autônomos e conta com uma rede de 300 escritórios e mil profissionais.

Para barrar o avanço do rival, a XP entrou na Justiça e conseguiu uma liminar no fim do ano passado que proíbe o banco de abordar os agentes autônomos de investimento vinculados a ela. Na ação, a corretora acusa o BTG de se valer de informações confidenciais obtidas na época em que ela preparava a abertura de capital para criar a sua própria plataforma de investimentos.

Na semana passada, a Justiça entendeu que não há elementos para comprovar que o banco tenha usado dados confidenciais da XP. Mas manteve a decisão que impede o BTG de assediar os escritórios da concorrente. A expectativa é que o banco entre com agravo contra a decisão no Tribunal de Justiça.

Sequência de processos

A decisão do juiz deixou os agentes autônomos livres para buscar outra plataforma concorrente, inclusive a do BTG. Mas a vida de quem decidiu deixar a XP não promete ser fácil.

Nos processos contra a One Investimentos e a Cordier, a XP alega que rompeu o contrato com os escritórios depois de encontrar supostas irregularidades. E justifica o pedido de liminar para impedir os agentes autônomos de transferir os clientes para o BTG valendo-se de informações confidenciais que seriam da corretora.

Por trás dessa disputa cabe a questão de quem é o cliente, do agente autônomo ou da corretora à qual ele está vinculado?

O juiz Luis Felipe Ferrari Benendi, responsável tanto pelas ações da XP contra o BTG como contra os agentes autônomos, apresentou diferentes conclusões nas sentenças até o momento.

No caso da One, Benendi concedeu liminar no fim do ano passado que proíbe o escritório de compartilhar informações confidenciais de clientes com o BTG ou outras plataformas. Esse caso está sob segredo de Justiça, mas a decisão acabou sendo publicada.

Na manifestação mais recente na ação da corretora contra o BTG, o juiz considerou que o cliente possui vínculo tanto com o agente autônomo como com a instituição financeira, como alega o BTG no processo. Ainda assim, ele determinou que o banco não pode usar essas informações ao avaliar a contratação de escritórios para sua plataforma.

Na sexta-feira, Benendi concedeu uma nova liminar à XP, agora contra a Cordier. Mas nesse caso, a decisão foi considerada mais branda, ao limitar o compartilhamento de informações com outras plataformas apenas nas situações em que o cliente não tenha dado autorização expressa.

Para um advogado com quem eu conversei e que atua em processos de agentes autônomos contra a corretora, a tendência é que outras plataformas ganhem parte do mercado que hoje é dominado pela XP. E que as ações na Justiça devem servir apenas para adiar um processo inevitável.

Esse movimento está longe de ser uma tragédia para a corretora, já que outra tendência que está em curso beneficia o mercado de plataformas de investimento como um todo: a migração de recursos dos clientes que hoje estão nos grandes bancos.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Sobre shoppings e alianças

Como “compra por vingança”, casamentos adiados e bebês podem beneficiar a Vivara

Ao reafirmar recomendação de compra, XP explica como retomada de planos familiares e a vontade de consumir vão beneficiar a produtora de joias

Indenização ao governo

Ford deve pagar R$ 2,5 bilhões ao governo da Bahia

O acerto deve ser anunciado nos próximos dias, segundo fontes dos setores automotivo e jurídico

Força do campo

Prestes a realizar IPO, AgriBrasil aposta em sustentabilidade e expansão geográfica

Empresa que atua no ramo de exportação de grãos foi fundada em 2013 por Frederico Humberg, que vai aproveitar oferta para vender ações

Exile on Wall Street

Ouvi na rádio que os brasileiros estão indo: a evolução econômica passa distante da realidade das pessoas

Ouvi hoje cedo na rádio que os juros estão voltando. O retorno do rentismo? — pergunta o locutor. Não é para tanto. Há um certo simplismo injetado nas narrativas à medida que ganham escala. Complexidade e escalabilidade são grandezas inversamente proporcionais. Quinta passada, voltei pra casa também ouvindo o jornal na rádio. Eu gosto de […]

MERCADOS HOJE

Juros avançam e dólar recua após nova alta da Selic; bolsa opera instável com recuo das commodities

A bolsa brasileira opera em alta, na contramão do movimento visto em Nova York. O mercado de juros futuros também fica aquecido e passa por ajustes

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies