Menu
2019-02-13T16:12:59-02:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Guerra das plataformas

Cade notifica XP Investimentos sobre suposto descumprimento de acordo para venda ao Itaú

BTG Pactual acusou a corretora de violar o compromisso com o órgão de defesa da concorrência de não firmar contratos de exclusividade com os escritórios de agentes autônomos

13 de fevereiro de 2019
14:35 - atualizado às 16:12
XP Investimentos
XP Investimentos - Imagem: Divulgação

Em mais uma frente na disputa entre o BTG Pactual e a XP Investimentos no mercado de plataformas de investimento, a Procuradoria do Cade notificou a corretora para se manifestar sobre denúncias de descumprimento do acordo feito com o órgão de defesa da concorrência para a aprovação da venda de 49,9% do capital para o Itaú Unibanco, em um negócio de R$ 6,3 bilhões.

Existem duas denúncias contra a XP no Cade. O BTG acusou a corretora de usar mecanismos para firmar compromissos de exclusividade com escritórios de agentes autônomos, o que foi vetado pelo órgão como condição para aprovar o negócio com o Itaú. O Cade também recebeu uma denúncia anônima contra a corretora, cujo conteúdo não foi revelado.

Ainda segundo a Procuradoria do Cade, a instituição responsável por monitorar o cumprimento do acordo firmado por XP e Itaú ("trustee") já havia observado parte dos fatos alegados nas denúncias, mas sem efetuar juízo de valor.

A XP tem 10 dias corridos para manifestar defesa prévia no caso. A corretora está sujeita a multa e pode ser alvo de abertura de processo administrativo para apuração de infração à ordem econômica. Eu procurei a XP, mas a empresa não comentou o assunto até o momento.

O que diz o BTG

Na denúncia feita ao Cade, o BTG alega que a XP se vale de mecanismos e cláusulas contratuais para barrar a negociação dos agentes autônomos com concorrentes, além de criar um ambiente de "ameaças e retaliações" contra os agentes autônomos.

O banco também acusa a XP de abrir ações judiciais "infundadas" para causar danos de imagem e impedir a saída dos escritórios. No jargão jurídico, esse tipo de prática é conhecida como “sham litigation” (falso litígio).

A importância do agente autônomo

A disputa entre XP e BTG no mercado de plataformas de investimento extrapolou a mera questão comercial. A corretora entrou na Justiça alegando concorrência desleal e conseguiu uma liminar em dezembro que proíbe o banco de abordar os agentes autônomos vinculados a ela.

A XP também alega que o BTG se valeu de informações confidenciais obtidas na época em que preparava a abertura de capital para a sua própria plataforma de investimentos, o que o banco nega.

Essa briga toda em torno da figura dos agente autônomos se dá porque são eles que apresentam as opções de investimento que combinam com o perfil do investidor. Trata-se de uma força de vendas que nenhum competidor conseguiu replicar até o momento.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Exile on Wall Street

Estamos para ver o surgimento de um grande conglomerado de moda no Brasil?

Varejo é um jogo de escala. Quanto mais você vende, mais compra. Isso vale não só para os insumos, mas para tudo

Tecnologia no varejo

Magazine Luiza e Totvs anunciam parceria para integração de plataforma e marketplace

Para os vendedores, a notícia representa vendas diretas com taxas menores; já para os consumidores a vantagem é a entrega mais rápida

busca por acordo

Investidores cobram até R$ 60 bi da Petrobras em processos de arbitragem

Casos incluem tanto investidores nacionais quanto estrangeiros e vieram na esteira da Operação Lava Jato, que apontou práticas ilícitas na estatal

país em crise

Concorrente do Uber, Cabify encerra operações no Brasil por conta da pandemia

Fundada há 10 anos em Madri, empresa enfrentou um mercado altamente competitivo no Brasil, mas crise recente foi decisiva para startup deixar o país

TIM Brasil poderá emitir até R$ 5,7 bilhões em debêntures incentivadas

O projeto da operadora para melhorias nas redes fixas e móveis de 21 unidades da federação entrou na lista de autorizações do Ministério das Comunicações

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies