🔴 03/06 – ‘GATILHO’ PARA BUSCAR ATÉ R$ 2 MILHÕES COM CRIPTOMOEDAS PODE SER DISPARADO – SAVE THE DATE

Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Plataformas de investimento

BTG entra com denúncia contra a XP no Cade na disputa por agentes autônomos

Banco acusa a corretora de usar mecanismos para descumprir o acordo firmado com o órgão de defesa da concorrência para aprovar a venda de 49,9% do capital para o Itaú Unibanco. Mais especificamente, o compromisso da XP de não firmar contratos de exclusividade com os escritórios

Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
23 de janeiro de 2019
0:33 - atualizado às 8:57
BTG vs XP
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

A disputa entre BTG Pactual e XP Investimentos no mercado de plataformas de investimento entrou em ponto de ebulição e chegou ao Cade, órgão de defesa da concorrência.

O banco acusa a XP de descumprir o acordo firmado com o Cade para aprovar a venda de 49,9% do capital para o Itaú Unibanco, em um negócio de R$ 6,3 bilhões. Mais especificamente, o compromisso da corretora de não firmar contratos de exclusividade com escritórios de agentes autônomos.

Na denúncia, à qual eu tive acesso, o BTG alega que a XP se vale de mecanismos e cláusulas contratuais para barrar a negociação com concorrentes, além de criar um ambiente de "ameaças e retaliações" contra os agentes autônomos.

O banco também acusa a XP de abrir ações judiciais "infundadas" para causar danos de imagem e impedir a saída dos escritórios. No jargão jurídico, esse tipo de prática é conhecida como “sham litigation” (falso litígio).

Uma das ações foi aberta contra o próprio BTG, que desde o mês passado está impedido de abordar agentes autônomos ligados à corretora por uma liminar concedida pela Justiça.

Procurada, a XP informou que a denuncia é infundada e que se trata apenas de uma medida para tentar criar dificuldades e ser usada na ação judicial depois que o banco não teve sucesso em derrubar a liminar. Eu procurei também o BTG, mas o banco não comentou o assunto.

Entenda a briga

O crescimento da XP, líder do mercado de plataformas de investimento, se baseou principalmente na figura do agente autônomo de investimento (AAI), responsável por apresentar para os clientes as opções de aplicação disponíveis. Ou seja, embora o cliente mantenha a conta na corretora, boa parte da relação se dá com o agente autônomo.

Ao analisar a venda da participação na corretora para o Itaú, o Cade entendeu que a rede de escritórios sob o guarda-chuva da XP representava uma barreira de entrada para potenciais concorrentes. Por isso, colocou como uma das condições para aprovar o negócio a proibição de contratos de exclusividade entre a corretora e os agentes autônomos.

De olho nesse filão, o BTG resolveu se valer da estratégia de recrutar escritórios de agentes autônomos para turbinar o crescimento sua plataforma BTG Pactual Digital. O que deu origem à briga que levou a XP a processar o banco no mês passado.

A denúncia

Na denúncia levada agora ao órgão de defesa da concorrência, o BTG alega que o acordo de não-exclusividade firmado pela XP não estaria sendo cumprido.

Um dos mecanismos da corretora para manter o vínculo é o de conceder empréstimos para a suposta expansão dos negócios dos escritórios de agentes autônomos. Esses contratos possuem cláusulas que impediriam o pagamento antecipado do financiamento, “salvo mediante expressa concordância da XP”.

"O objetivo desses contratos seria criar um vínculo de dependência financeira entre AAI e XP, oferecendo um desincentivo à rescisão da relação contratual", escrevem os advogados do BTG na denúncia. Ainda segundo o banco, os escritórios que se recusassem a aceitar tal empréstimo sofreriam represálias.

Além do Cade, o BTG comunicou o Banco Central sobre a prática, que teria chegado ao conhecimento do banco depois do recebimento de uma carta anônima.

O BTG também acusa a XP de rescindir contratos e adotar medidas para causar danos aos agentes autônomos que negociam com concorrentes. O banco menciona os casos dos escritórios One e Cordier, que foram processados pela corretora depois de migrarem para o BTG.

Perdas e danos

Nas ações encaminhadas à Justiça, a XP conta outra história. A corretora alega que rompeu o contrato com os escritórios depois de encontrar supostas irregularidades. E que a ação foi aberta para impedir o uso de dados confidenciais de clientes durante o processo de negociação de migração para a plataforma do BTG.

A XP também alega que o BTG se valeu de informações confidenciais obtidas na época em que ela preparava a abertura de capital para criar a sua própria plataforma de investimentos, o que o banco nega.

No caso da exclusividade, o acordo com o Cade de fato proíbe a XP de promover o vínculo com os agentes autônomos. Mas eu tive acesso a um trecho confidencial do documento, no qual o órgão de defesa da concorrência permite à corretora estipular um prazo de permanência de até dois anos nos casos em que tenha feito investimentos para promover a expansão dos escritórios.

Só que o Cade também estipulou que o agente autônomo pode rescindir esse contrato de permanência antecipadamente caso devolva os valores recebidos com correção.

Seja quem estiver certo nessa história, o compromisso do Seu Dinheiro é ficar do lado do investidor e cliente das plataformas. Por isso vamos acompanhar os desdobramentos do caso de perto.

Compartilhe

JANELA DE OPORTUNIDADE?

BTG Pactual (BPAC11) está barato? Com a queda recente, Itaú BBA acredita que as units podem disparar mais de 60% até o fim de 2022

22 de junho de 2022 - 14:02

Com preço-alvo de R$ 35,00 por unit até dezembro, o banco continua sendo a principal escolha dos analistas em finanças em questão de crescimento

Balanço

BTG Pactual (BPAC11) lucra R$ 2,062 bilhões no 1T22 e supera bancões em rentabilidade

9 de maio de 2022 - 8:38

Resultado representa um avanço de 72% na comparação com os três primeiros meses de 2021 e ficou acima do esperado pelos analistas

AS APROVADAS

Cogna (COGN3), Yduqs (YDUQ3) ou Ânima (ANIM3)? Saiba qual é a ação nota dez do BTG Pactual no setor de educação

29 de abril de 2022 - 16:17

Ventos contrários ainda podem comprometer o ano letivo de 2022 das empresas do segmento, mas três delas aparecem como as primeiras da classe para o banco

PASSADO, PRESENTE E FUTURO

Oi (OIBR3): vem coisa boa por aí? Veja as previsões que o BTG Pactual fez para os resultados da empresa

25 de março de 2022 - 15:17

A companhia de telecomunicações ultrapassou recentemente um obstáculo que libera a venda de sua unidade móvel e pode abrir as portas para a saída da recuperação judicial

CEO CONFERENCE 2022

Ciro Gomes pede que investidor estrangeiro aposte no Brasil e ataca adversários

23 de fevereiro de 2022 - 17:04

Durante evento promovido pelo BTG Pactual, ele não poupa o presidente Jair Bolsonaro (PL) e faz críticas pesadas ao rival Sergio Moro, presidenciável do Podemos; veja o que pedetista falou

Balanço

Lucro do BTG Pactual (BPAC11) sobe 59% e atinge R$ 6,5 bilhões em 2021; André Esteves vai presidir conselho de administração

16 de fevereiro de 2022 - 7:12

Com o resultado maior, a rentabilidade sobre o patrimônio líquido (ROAE) do BTG subiu de 16,9% para 20,3% no ano passado

ESQUENTA DOS BALANÇOS

Prejuízo da pandemia é página virada para os shoppings, afirmam analistas; veja as ações favoritas de BTG Pactual e Banco Inter no setor

4 de fevereiro de 2022 - 18:16

Os analistas acreditam que os balanços do quarto trimestre mostrarão um desempenho sólido das empresas no período, com vendas além dos níveis pré-covid

APETITE SEM FIM

BTG Pactual compra tradicional corretora carioca e segue avançando no segmento de assessoria de investimentos

1 de fevereiro de 2022 - 11:29

Uma semana depois de adquirir a Planner, o banco anunciou hoje a compra da Elite Investimentos

FOME POR EXPANSÃO

BTG Pactual (BPAC11) compra 100% da carteira da Planner Investimentos e acirra disputa com XP por agentes autônomos

26 de janeiro de 2022 - 11:28

Com o negócio, a corretora Planner vai deixar de atuar na corretagem e assessoria de investimentos para pessoas físicas

APOSTA NA SIDERURGIA

A vez da Usiminas: BTG estima alta de mais de 55% para USIM5 nos próximos meses; saiba o que pode impulsionar as ações

24 de janeiro de 2022 - 16:25

Segundo os analistas, a empresa negocia nos múltiplos mais baixos da década e deve surfar na recuperação dos preços do aço

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar