Menu
2019-08-10T17:14:44-03:00
Estadão Conteúdo
Saúde

Economista Gustavo Franco deixa hospital no Rio

Segundo a assessoria do economista, Franco passa bem e está em casa repousando

10 de agosto de 2019
17:14
gustavo-franco
Gustavo Franco - Imagem: Felipe Rau/Estadão Conteúdo

O ex-presidente do Banco Central e considerado um dos pais do Plano Real, o economista Gustavo Franco, hoje sócio da Rio Bravo Investimentos, deixou ontem o Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro, onde estava internado desde sábado passado.

Segundo a assessoria do economista, Franco passa bem e está em casa repousando. Franco, de 63 anos, teve um Acidente Vascular Cerebral (AVC) que não deixou sequelas. Durante a internação, ele ficou na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Samaritano, que não deu informações sobre o paciente.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

atenção, acionista

Carrefour paga R$ 175 milhões em juros sobre capital próprio e altera valor de dividendos

Cifra equivale a R$ 0,088148225 por ação em circulação; também anunciou uma modificação do valor por ação dos dividendos aprovados em abril, de R$ 0,382372952 para R$ 0,382361396

maior apetite por risco

Empresas do Brasil captam US$ 4,6 bilhões; montante deve aumentar com ofertas de Stone e Light

Emissores brasileiros haviam paralisado planos de captar no exterior nos últimos meses, em meio à turbulência interna com a pandemia e o aumento do juro norte-americano

em meio ao aumento de consumo de frango

SuperFrango, de Goiás, retomará IPO de R$ 1 bilhão

Após resolver adiar a operação, a empresa fará uma apresentação mais cuidadosa de seu negócio aos analistas; oferta é estimada entre R$ 1 bilhão e R$ 1,5 bilhão

levantamento

Estatais descumprem critérios do marco do saneamento

GO Associados calculou que as companhias públicas do Rio Grande do Norte, Santa Catarina, Alagoas, Maranhão, Amazonas, Pará, Piauí, Roraima, Rondônia e Amapá não atendem a todos os critérios da “etapa 1” do decreto – que prevê o cumprimento de índices mínimos dos indicadores econômicos-financeiros

questionamentos em brasília

Novo marco de saneamento é alvo de ofensiva no Supremo e no Congresso

No Supremo, mais de 20 empresas estatais que prestam hoje serviços no setor querem a volta da possibilidade de fechar os chamados “contratos de programa”, diretamente com as Prefeituras e sem licitação

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies