Menu
2019-07-16T14:44:15-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
polêmica da criptomoeda

Calibra não compartilhará dados de transações com outras empresas, diz executivo do Facebook

Em depoimento ao Senado, David Marcus declarou também que os dados coletados pela provedora de serviços financeiros em Libra não serão usados pelo Facebook para direcionamento de propagandas

16 de julho de 2019
14:40 - atualizado às 14:44
Criptomoeda Libra Facebook
Imagem: Shutterstock/Wit Olszewski

O executivo do Facebook responsável pela criptomoeda Libra, David Marcus, afirmou que a subsidiária do Facebook Calibra - provedora de serviços financeiros em Libra - não irá compartilhar dados de transações financeiras com nenhuma companhia.

Marcus depôs nesta terça-feira, 16, ao Senado dos Estados Unidos. Ele disse que a monetização da Calibra será feita por meio da expansão de seus serviços para atender companhias que desejam usar a Libra como pagamento. O executivo declarou também que os dados coletados pela Calibra não serão usados pelo Facebook para direcionamento de propagandas.

O executivo disse que a criptomoeda não será usada para competir com poupanças em bancos ou rendimento de juros. Segundo ele, a ideia é expandir o acesso a formas modernas de pagamento por parte da população.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Marcus reiterou ainda que a moeda digital obedecerá a todas as regulações aplicáveis a instituições financeiras e informou que a Calibra não será a única provedora de serviços financeiros com a criptomoeda.

Segundo ele, o Facebook abdicou da exclusividade sobre a propriedade intelectual da tecnologia da Libra. A ideia é permitir o surgimento de outras operadoras de pagamentos dispostas a intermediar transações com a moeda.

Registro para o uso da criptomoeda

O executivo do Facebook informou que a Calibra irá exigir que usuários forneçam documentos oficiais de identificação para cadastrar uma carteira digital. Segundo ele, a medida tem o objetivo de promover a prevenção a crimes como lavagem de dinheiro, financiamento de terrorismo e fraudes.

Mas a fiscalização dessas medidas e a obediência a sanções e "listas negras", por exemplo, será de responsabilidade das operadoras de pagamentos em Libra. O executivo reiterou que a Libra não será lançada até que todas as questões relativas a segurança e regulação estejam resolvidas.

Perguntado sobre a competição entre essas carteiras digitais, o executivo declarou que o Facebook não irá adotar medidas para impedir a competição com outras companhias, mas admitiu que as plataformas do Facebook, como o Messenger e o WhatsApp, oferecerão suporte somente à Calibra.

*Com Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Rompimento da barragem

Um ano após Brumadinho, alta cúpula da Vale tenta se defender de acusações

Foi dentro de um jato particular da Vale, durante a viagem de volta ao Brasil, depois de participar do Fórum Econômico de Davos, na Suíça, que Fabio Schvartsman, então presidente da mineradora, recebeu a notícia do rompimento da barragem do Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG). Um ano após a tragédia de 25 de janeiro, […]

Fórum Econômico Mundial

Guedes, Doria e Huck sobem a montanha mágica de Davos — mas com intenções distintas

O ministro da Economia, Paulo Guedes; o governador de São Paulo, João Doria; e o apresentador de TV Luciano Huck brigam pelo protagonismo na edição deste ano do Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça

Seu mentor de investimentos

Estamos diante de um novo ciclo de alta das commodities?

No passado, dois bull markets de commodities deram enorme força à economia do Brasil. E, para o Ivan Sant’Anna, um novo ciclo de alta desses produtos está se desenhando no horizonte — o que abre enormes possibilidades de investimento

Parceiros

Brasil fecha acordo de cooperação técnica com a Alemanha na agricultura

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, assinou um acordo de cooperação com a Alemanha para o desenvolvimento do setor — a parceria durará, ao menos, três anos

APOSENTE-SE AOS 40 OU O QUANTO ANTES

3 Erros que vão ATRASAR sua aposentadoria

Aproveitando o clima de começo de ano, em que listas e regras para alcançar objetivos se proliferam mais rápido que o mosquito da dengue, decidi dar a minha contribuição numa lista diferente.

Enxugando

Bancos públicos devem acelerar vendas de ativos em 2020

Juntos, Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e BNDES devem vender, só no primeiro semestre de 2020, mais de R$ 60 bilhões em ativos

Obras a todo vapor

A economia brasileira segue patinando, mas o setor de construção dá sinais de força

O segmento de construção continua aquecido, com a retomada nos lançamentos e um crescimento no volume de vendas. E as prévias operacionais da Helbor, Direcional e MRV dão suporte ao otimismo do mercado

Aval do presidente

Bolsonaro aprova fundo eleitoral de R$ 2 bilhões em orçamento para 2020

O presidente Jair Bolsonaro aprovou a inclusão do fundo eleitoral no Orçamento do governo de 2020 — um mecanismo que prevê gastos de R$ 2 bilhões para as campanhas das eleições municipais

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

MAIS LIDAS: Bolha? Que bolha?

A matéria que discute uma suposta bolha nos fundos imobiliários foi a mais lida desta semana. Oi, aposentadoria e bolsa também estiveram entre os assuntos de destaque

Em busca de investidores

Guedes vai a Davos para ‘vender’ o Brasil

O ministro da Economia, Paulo Guedes, será a principal autoridade brasileira no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements