O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2019-07-16T14:44:15-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
polêmica da criptomoeda

Calibra não compartilhará dados de transações com outras empresas, diz executivo do Facebook

Em depoimento ao Senado, David Marcus declarou também que os dados coletados pela provedora de serviços financeiros em Libra não serão usados pelo Facebook para direcionamento de propagandas

16 de julho de 2019
14:40 - atualizado às 14:44
Criptomoeda Libra Facebook
Imagem: Shutterstock/Wit Olszewski

O executivo do Facebook responsável pela criptomoeda Libra, David Marcus, afirmou que a subsidiária do Facebook Calibra - provedora de serviços financeiros em Libra - não irá compartilhar dados de transações financeiras com nenhuma companhia.

Marcus depôs nesta terça-feira, 16, ao Senado dos Estados Unidos. Ele disse que a monetização da Calibra será feita por meio da expansão de seus serviços para atender companhias que desejam usar a Libra como pagamento. O executivo declarou também que os dados coletados pela Calibra não serão usados pelo Facebook para direcionamento de propagandas.

O executivo disse que a criptomoeda não será usada para competir com poupanças em bancos ou rendimento de juros. Segundo ele, a ideia é expandir o acesso a formas modernas de pagamento por parte da população.

Marcus reiterou ainda que a moeda digital obedecerá a todas as regulações aplicáveis a instituições financeiras e informou que a Calibra não será a única provedora de serviços financeiros com a criptomoeda.

Segundo ele, o Facebook abdicou da exclusividade sobre a propriedade intelectual da tecnologia da Libra. A ideia é permitir o surgimento de outras operadoras de pagamentos dispostas a intermediar transações com a moeda.

Registro para o uso da criptomoeda

O executivo do Facebook informou que a Calibra irá exigir que usuários forneçam documentos oficiais de identificação para cadastrar uma carteira digital. Segundo ele, a medida tem o objetivo de promover a prevenção a crimes como lavagem de dinheiro, financiamento de terrorismo e fraudes.

Mas a fiscalização dessas medidas e a obediência a sanções e "listas negras", por exemplo, será de responsabilidade das operadoras de pagamentos em Libra. O executivo reiterou que a Libra não será lançada até que todas as questões relativas a segurança e regulação estejam resolvidas.

Perguntado sobre a competição entre essas carteiras digitais, o executivo declarou que o Facebook não irá adotar medidas para impedir a competição com outras companhias, mas admitiu que as plataformas do Facebook, como o Messenger e o WhatsApp, oferecerão suporte somente à Calibra.

*Com Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

NOITE CRIPTO

Não durou muito: bitcoin (BTC) opera em queda e volta a ficar abaixo do nível de US$ 30 mil; veja a performance das outras criptomoedas

O peso da perda de confiança do mercado é um dos pontos que mais afastam o investidor do mercado de criptomoedas atualmente

DISTRIBUINDO MAIS DO QUE COMBUSTÍVEIS

Dividendos e JPC: Vibra Energia (VBBR3) anuncia o pagamento de R$ 131 milhões em proventos; confira prazos

Ao todo, a distribuidora de combustíveis já pagou R$ 663 milhões em dividendos e juros sobre capital próprio no exercício de 2021

CSN (CSNA3) e CSN Mineração (CSNA3) vão recomprar até 164 milhões de ações; veja o que muda para os acionistas

As duas companhias aproveitam o momento descontado na B3 para encerrar os programas atuais e iniciar novas operações com duração de um ano

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Inflação derruba bolsas, Hapvida vai às compras e a varejista que ameaça o Magalu; confira os destaques do dia

Depois de um dia de animação, preocupações com o movimento dos preços e a atividade econômica pelo mundo estragaram o humor dos investidores

FECHAMENTO DO DIA

Inflação americana come margem de grandes empresas e derruba bolsas globais; Ibovespa cai mais de 2% e dólar cola em R$ 5

Com inflação pressionando e China voltando a fechar cidades, o Ibovespa caiu menos que as bolsas em Wall Street, mas ainda assim amargou fortes perdas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies