Menu
Nicholas Sacchi
Crypto News
Nicholas Sacchi
Dados da Bolsa por TradingView
2018-10-04T17:12:44-03:00
Coluna

La moneda digital petrolera

Lembra do “el petro” – o salvador da economia venezuelana? Saiba que rumos essa criptomoeda vem tomando desde a sua criação

4 de outubro de 2018
17:11 - atualizado às 17:12
nicolas-maduro
Nicolás Maduro - Imagem: Shutterstock

O dia era 4 de dezembro de 2017. Criptoativos como bitcoin, ether e muitos outros estavam passando por uma explosão nos preços.

Era comum ouvir as pessoas conversando sobre criptomoedas em todo lugar: nos restaurantes, na academia e, até mesmo, no Uber.

O interesse por criptos estava em alta. Um momento oportuno para o anúncio de uma iniciativa nesse sentido.

E foi justamente nesse dia que meu xará, o controverso presidente venezuelano Nicolás Maduro, anunciou que lançaria o El Petro, uma criptomoeda lastreada em petróleo venezuelano.

A minha primeira reação foi pensar no quão hilária soava aquela proposta. Mas, depois de analisar com mais frieza, percebi que aquilo soava quase como um desesperado grito de socorro.

Com o declínio consistente das receitas provenientes da exportação de commodities — como petróleo e minerais — gerado pelas sanções impostas ao governo de Maduro, a tentativa de criar uma forma alternativa de comercialização por meio de um tipo de ativo que fosse à prova de censura pode parecer uma boa estratégia.

E seria, não fosse esse ativo controlado por um governo que sofre fortemente com uma enorme crise de credibilidade.

Ao longo da evolução do projeto, diversas medidas bastante ineficazes de política monetária foram adotadas como tentativa de tirar a economia venezuelana do buraco. Várias delas envolviam a utilização do criptoativo como mecanismo de reestabelecimento da confiança das pessoas na moeda em circulação, o bolívar.

A sua mais recente derrocada com o criptoativo foi anunciada nessa segunda-feira, 1º de outubro:

“(…) a partir do dia 5 de novembro, o petro estará disponível para venda ao público venezuelano por bolivares soberanos.”

Apesar da tentativa, o El Petro continua sofrendo no quesito confiança. Afinal, a “criptomoeda” não é descentralizada, tampouco livre de controle governamental, e não há qualquer evidência de que o ativo seja efetivamente lastreado por petróleo.

Talvez não seja a hora de investir em petróleo venezuelano…

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

VAI FALTAR?

Petrobras nega risco de desabastecimento e cortes em pedidos de combustíveis

Desmentido vem à tona depois de a Associação das Distribuidoras de Combustíveis (Brasilcom) ter relatado cortes na entrega de produtos pedidos para novembro

Insights Assimétricos

A força do dólar: veja quanto da moeda americana você deve ter na carteira

Movimento global de fortalecimento da divisa dos EUA salta aos olhos, mas existe um limite para a exposição de seus investimentos ao dólar, além de um melhor ponto de entrada

Reduza sua conta de luz

Quer instalar energia solar em casa para economizar? Descubra se é para você

Já vimos que a geração de energia solar em casa pode valer muito a pena; veja para quais perfis de consumidores e residências o sistema é indicado

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

GETT11 chega à bolsa com o pé direito, novo auxílio emergencial no horizonte e outros destaques do dia

Com as duas maiores economias do mundo frustrando as expectativas dos investidores e o futuro das contas públicas em um limbo, o Ibovespa não teve muito fôlego para escapar do vermelho e encerrou o dia em queda de 0,19%, aos 114.428 pontos. O Produto Interno Bruto (PIB) chinês, que cresceu 4,9% no terceiro trimestre, veio […]

Arrumando a mala

Locaweb (LWSA3) vai deixar a B3? Empresa estuda listagem nos Estados Unidos, afirma portal

Avaliada em R$ 13,5 bilhões, a empresa estreou na B3 em fevereiro do ano passado, mas pode estar prestes a abrir capital em outro país

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies