Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-04-04T14:51:24-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Linhas de crédito

BNDES capta US$ 750 milhões com o BID para financiar pequenas empresas

Recursos serão destinados a várias linhas de crédito focadas nas MPMEs; expectativa do BNDES é de 4,9 mil beneficiados

23 de novembro de 2018
6:41 - atualizado às 14:51
BNDES
Imagem: Agência Brasil

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) captará US$ 750 milhões junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), para financiar o aumento da produtividade nas micro, pequenas e médias empresas (MPMEs). O acordo entre as duas instituições de fomento prevê a destinação de mais US$ 150 milhões, de recursos próprios do BNDES, para o mesmo fim.

Segundo o banco brasileiro, os recursos serão destinados a várias linhas de crédito focadas nas MPMEs, listadas no Canal do Desenvolvedor MPME, "plataforma digital que permite aos empreendedores submeter online pedidos de financiamento aos agentes financeiros credenciados a operar com o BNDES". A expectativa do BNDES é financiar 4,9 mil empresas com os recursos.

"Parte dos recursos também poderá ser aplicada nos esforços do BNDES para fomentar soluções inovadoras de fintechs para análise de crédito, identificação de potenciais clientes, integração a plataformas digitais, avaliação de impacto, blockchain e moedas digitais, prevenção de fraudes e outras ferramentas de facilitação do crédito a micro, pequenas e médias empresas", diz uma nota divulgada pelo BNDES.

A captação de US$ 750 milhões é a segunda operação no âmbito de uma linha de crédito condicional aberta pelo BID para o BNDES em dezembro de 2016, no valor total de US$ 2,4 bilhões. A primeira operação, também de US$ 750 milhões, foi aprovada no fim de 2016, com a finalidade de financiar investimentos em energias renováveis.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Fusão cheia de travas

Na Omega Geração (OMGE3), um grupo importante de acionistas está descontente — e quer barrar os planos da empresa

Fundos detentores de 28,6% da Omega Geração (OMGE3) se uniram e dizem que não vão aprovar a fusão com a Omega Distribuição nos termos atuais

Potencial de 36% de alta

Como fica a XP após a separação do Itaú? Para o JP Morgan, é hora de comprar as ações da corretora

A equipe do JP Morgan vê as pressões vendedoras nas ações da XP após a separação com o Itaú se dissipando; assim, a recomendação é de compra

Digitalização

A hora e a vez do e-commerce: com pandemia, comércio online mais que dobra e já chega a 21% das vendas do varejo

O fechamento das lojas físicas promovido pela pandemia fez o setor de varejo acelerar a aposta no e-commerce e nas vendas digitais

A bolsa como ela é

Stone, Inter e Méliuz caem forte na bolsa. É o fim das fintechs como as conhecemos?

Muito desse movimento tem a ver com a subida dos juros. Mas alguns fatores específicos também pesaram sobre as ações. Em alguns casos, pesaram com razão; em outros, nem tanto

Ajuste seu relógio

Pregão terá uma hora a mais a partir de novembro; entenda a mudança e veja a nova agenda da bolsa

As alterações começam a valer a partir do dia 8 de novembro; a B3 vai ajustar a bolsa para refletir o fim do horário de verão nos EUA

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies