🔴 NOVA META: RENDA EXTRA DE ATÉ R$ 2.000,00 POR DIA – VEJA COMO

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
Conteúdo QuintoAndar

Como a taxa Selic impacta o mercado imobiliário?

Taxa básica de juros é usada como base para outros encargos; quem está em busca da casa própria, deve avaliar criteriosamente as opções de financiamento imobiliário

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
29 de abril de 2022
11:00 - atualizado às 17:09
Aperto de mãos em assinatura de contrato de financiamento imobiliário
Imagem: Shutterstock

A Selic é um assunto bastante recorrente na vida dos brasileiros, embora muitos desconheçam a sua relevância. Ela é a taxa básica de juros da economia, responsável por dar norte a todos as outras correções. A Selic serve, por exemplo, como base para os juros bancários, que estão presentes em empréstimos, aplicações financeiras e nos financiamentos.

Essa taxa é atualizada pelo Copom (Comitê de Política Monetária), a cada 45 dias, em uma reunião que dura dois dias. Esse grupo é formado por executivos do Banco Central, que carregam a responsabilidade de decidir por elevar, reduzir ou manter a Selic nos padrões vigentes.

A ideia central é que, se a inflação está em alta, é preciso desacelerar o consumo da população. Assim, aumenta-se a Selic, provocando um efeito em escala nos outros juros do mercado. Se, porém, a previsão inflacionária aponta para um desempenho abaixo do esperado, diminui-se a Selic para incentivar e aquecer o consumo. 

A Selic é importante por ser o principal instrumento que o BC tem para controlar a alta dos preços no mercado, cumprindo a meta estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) todo ano. A sua alteração, portanto, depende da previsão inflacionária, e, quanto mais alta for a estimativa da inflação, mais provável será a elevação da taxa básica.

Neste sentido, quando a Selic está em alta, a economia de modo geral anda devagar. De outro modo, com a taxa em declínio, as pessoas passam a comprar e gastar mais, o que pode ser visto no setor imobiliário também. Para 2022, a meta de inflação proposta pelo CMN é de 3,5%, com limite de 1,5% para mais ou menos. 

Como a Selic afeta os financiamentos imobiliários?

A alta da Selic pode parecer boa para os investimentos em renda fixa, uma vez que muitos são corrigidos pelo CDI, um outro índice econômico que segue o desempenho da taxa básica de juros. Neste caso, quanto mais alta estiver a taxa, mais retorno terá a carteira de investimentos. 

No entanto, isso também influencia os outros serviços financeiros prestados pelos bancos, como é o caso do financiamento imobiliário. Esse produto sofre acréscimo de juros enquanto o índice está em alta. 

LEIA TAMBÉM: Como escolher o melhor financiamento imobiliário? Veja dicas para avaliar as opções disponíveis no mercado 

Em dezembro de 2020, por exemplo, quando a Selic estava em 2% ao ano, a taxa média praticada pelos bancos em financiamentos imobiliários era de 6,9% ao ano. Em fevereiro de 2021, com a taxa a 10,75%, o custo médio do crédito subiu para 9,3%.

Na prática, um imóvel que custa R$ 300 mil, financiado em 360 meses, sai por cerca de R$ 711 mil no primeiro cenário. Já na segunda situação, o montante final deste mesmo imóvel sobe para R$ 892 mil, uma diferença de R$ 181 mil, segundo cálculo da Calculadora do Cidadão, do Banco Central.

Aproveite para ler mais conteúdos sobre financiamento imobiliário aqui.

Reunião do Copom está próxima: quais são as expectativas para a Selic nos próximos meses? 

Diferente do que aconteceu nos últimos anos, em que os juros foram caindo gradativamente, chegando a 2% em agosto de 2020, a previsão é que a taxa Selic permaneça alta nos próximos meses e anos, puxada pela escalada inflacionária

Semanalmente, o Banco Central divulga o relatório Focus, que antecipa a expectativa do mercado financeiro para os principais índices da economia. Um dos últimos documentos previu que a taxa básica deve fechar o ano de 2022 acima de 13%. Para 2023, a perspectiva também é de alta, chegando a 9%. 

Essa hipótese de desempenho tem sido ratificada toda semana pelas instituições financeiras que assinam a pesquisa feita pelo órgão público. Em relação ao IPCA, a expectativa é de 7,65% em 2022 e de 4% para 2023.

Financiamento imobiliário em tempos de Selic alta: como escolher a melhor opção

Considerando esse cenário nada animador para quem sonha com a casa própria, a melhor maneira de não adiar o sonho é procurar por opções mais econômicas e facilitadoras. O QuintoAndar, maior plataforma de moradia da América Latina, oferece assessoria para você garantir o imóvel de forma rápida, prática e com as melhores condições do mercado.

A imobiliária digital disponibiliza consultores que se dedicam a desburocratizar a documentação e buscar as menores taxas junto aos bancos. A plataforma ainda disponibiliza um simulador de financiamento gratuito, que leva em conta o valor da entrada, a renda bruta mensal, o valor e a localização do imóvel desejado. 

Clicando no botão abaixo, você pode saber mais sobre como o QuintoAndar te ajuda a fazer o melhor negócio na compra da casa própria. 

Compartilhe

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar