🔴 DÓLAR A 5,38 E PODE SUBIR MAIS – VEJA COMO PROTEGER O SEU PATRIMÔNIO

Isabelle Santos
Isabelle Santos
Comunicóloga formada pela Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC). É redatora do Money Times, Seu Dinheiro e Empiricus.
Conteúdo Empiricus

Shein e Shopee vão ser taxadas? Para analista, projeto para taxar comprar internacionais ‘não muda o jogo’ dessas varejistas brasileiras

Concorrência com as plataformas chinesas Shein e Shopee está prejudicando boa parte das varejistas brasileiras, mas três ações do setor parecem estar “imunes”; veja quais são

Isabelle Santos
Isabelle Santos
28 de maio de 2024
10:00 - atualizado às 15:49
Lula taxando Shein e Shopee
Imagem: Montagem Seu Dinheiro com imagens da Agência Brasil e divulgação

As “comprinhas” nas varejistas Shein e Shopee viraram assunto recorrente para o governo. Na semana passada a pauta da cobrança de imposto sobre compras internacionais de até US$ 50 ganhou mais um capítulo. 

O tema foi pauta da Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados, após a inclusão no projeto do Programa Mobilidade Verde (Mover). 

O debate entre parlamentares e o Ministro da Fazenda foi bastante acalorado e a votação acabou sendo adiada.

A questão ganhou tanta relevância que já ganhou até apelido na imprensa: a “taxa das blusinhas”.

A situação ficou ainda mais complicada com o manifesto das varejistas brasileiras. Acontece que algumas companhias ameaça levar suas produções para o Paraguai caso não haja cobrança de imposto empresas estrangeiras. 

Segundo as varejistas brasileiras, a isenção de impostos para as concorrentes asiáticas como a Shein e Shopee está provocando uma “absoluta falta de isonomia tributária”, o que prejudica as empresas nacionais. 

Em entrevista ao Giro do Mercado da última segunda-feira (27), Larissa Quaresma, analista de ações da Empiricus Research apontou que, “a taxação não muda o jogo” para as ações destas varejistas brasileiras, que continuam sendo uma boa opção.

‘Fica como está’: porque a tributação das compras internacionais não deve ser aprovada?

A proposta de taxar as varejistas chinesas ganhou destaque em abril de 2023. Na época, o governo detectou que essas empresas estavam usando uma brecha da Receita Federal para vender seus produtos sem pagar imposto.

Na ocasião a proposta gerou bastante insatisfação por parte da população e o governo acabou voltando atrás da ideia de taxar as varejistas asiáticas. Em contrapartida, foi criado o programa Remessa Conforme

De acordo com as regras, as empresas estrangeiras que aderissem ao programa deveriam pagar apenas a alíquota de 17% do ICMS para as compras de até US$ 50.  

Apesar da solução do governo não ter agradado nem um pouco as varejistas brasileiras, o assunto estava dado como encerrado. 

Contudo, segundo Larissa Quaresma, o governo precisou voltar a discutir o tema, após perder a disputa com o Congresso na questão da desoneração da folha de pagamentos.  

A expectativa era de que a medida terminasse em 2023, mas o Congresso votou pela extensão do prazo até 2027

A analista explica que diante disso, o governo se viu obrigado a encontrar novas fontes de arrecadação. Assim a discussão da taxação de compras internacionais, que parecia estar esquecida, voltou à mesa. 

Segundo a analista, “a taxação das compras internacionais até US$ 50 seria um caminho para fazer essa compensação fiscal”, mas tudo “fica como está”.

Larissa aponta que a medida não deve ir adiante, por ser impopular. Em entrevista na semana passada, o presidente Lula inclusive apontou que a “tendência” era vetar a taxação das compras internacionais, caso fosse aprovada pelo Congresso. 

Nesse cenário, a expectativa é de que uma parte significativa das empresas de varejo continuem sendo penalizadas. 

Larissa Quaresma destaca que as varejistas que mais sofrem com a competição chinesa são aquelas que atendem ao público B- e classes inferiores, como por exemplo, a Renner (LREN3), Guararapes (GUAR3), Marisa (AMAR3), Casas Bahia (BHIA3) e Magazine Luiza (MGLU3). 

Segundo a analista, as ações dessas empresas devem experimentar maior volatilidade enquanto não houver uma decisão com relação a taxação das compras nas plataformas de varejistas asiáticas. 

Um cenário ruim, na visão da analista, pois neste momento o desempenho das ações dependem de um fator totalmente externo e político. Por isso, a recomendação da Empiricus para essas varejistas é neutra

Em contrapartida, a casa aposta em 3 varejistas consideradas “classe A” e que não vão sofrer com a concorrência da Shein e Shopee.

3 ações de varejistas para comprar agora

Embora a concorrência com as plataformas internacionais e discussão do imposto sobre compras de até US$ 50 esteja afetando uma parte significativa das varejistas brasileiras, existem 3 ações desse setor que estão “acima” de toda essa disputa. 

Diferentemente dos nomes mais populares do setor, essas varejistas são consideradas “classe A”. Ou seja, são empresas sólidas, com histórico de resiliência em diferentes períodos do ciclo econômico. 

Trata-se de varejistas do segmento luxo, isto é, empresas que atendem a um público com maior poder aquisitivo e que, por isso, não sofrem tão diretamente com a concorrência chinesa. 

Entretanto, diante do cenário macroeconômico, essas ações ainda estão com valuation descontado. Isto é, analisando indicadores como preço sobre lucro (P/L), o preço desses ativos está abaixo do valor justo na visão dos analistas da casa. 

Para se ter uma ideia, uma das varejistas recomendadas para março, encerrou o último pregão (27) negociando a R$ 12,35. 

Mas segundo os analistas da casa, o preço justo desse ativo seria R$ 27. Ou seja, estamos falando de um potencial de 118% de valorização

A boa notícia é que você pode conhecer de graça as três ações do varejo recomendadas pela Empiricus Research e mais 7 ativos para comprar agora. 

Afinal, embora o momento possa trazer bons retornos em algumas ações do varejo, não dá para colocar todos os ovos na mesma cesta.

Assim, a carteira com as 10 melhores ações para comprar agora conta com um mix de ativos de diferentes setores com potencial de valorização, que podem aumentar suas chances de retorno e minimizar perdas. 

Você pode conhecer as varejistas e os outros 7 ativos que compõem a carteira de forma gratuita. A Empiricus Research, está oferecendo como cortesia o acesso ao portfólio com as 10 ações. 

Para conhecer, basta clicar neste link ou no botão abaixo e seguir as instruções: 

Compartilhe

Conteúdo Empiricus

Maxi Renda (MXRF11): fundo imobiliário oferece novas cotas por R$ 10,07; vale investir?

14 de junho de 2024 - 14:00

O Maxi Renda (MXRF11), fundo imobiliário com mais cotistas da B3 pretende emitir até 102 milhões de novas cotas

Conteúdo Empiricus

Pix agendado de US$ 1 milhão ou R$ 6 milhões: o que você gostaria de receber daqui a 10 anos?

14 de junho de 2024 - 12:00

Decisão hoje parece simples, mas diferenças entre as moedas tendem a se acentuar em uma década; entenda

conteúdo empiricus

‘O Brasil não vai explodir’: Ibovespa perde os 120 mil pontos, mas CEO da Empiricus segue na estratégia de acumular ações de excelentes empresas

14 de junho de 2024 - 10:00

Para Felipe Miranda, estrategista responsável pela tese sobre o “Fim do Brasil”, o cenário para as ações brasileiras, embora negativo, não é tão catastrófico como parece

Conteúdo Empiricus

‘Você é capaz de seguir 3 sinais? Então você consegue operar com essa ferramenta’: conheça a grande novidade do day trade

14 de junho de 2024 - 8:00

O objetivo do Indicador X é poder gerar renda média de R$ 3 mil por dia, seguindo apenas 3 indicadores e realizando 2 operações; conheça

conteúdo empiricus

‘Estamos muito tranquilos com essa carteira’: casa de análise mantém recomendação em ações que caíram 4% em maio; veja motivo

13 de junho de 2024 - 16:00

Empiricus decide manter ações em carteira que desvalorizou mais do que o Ibovespa no mês de maio; entenda a decisão da casa de análise e conheça as ações em que ela está apostando

Conteúdo Empiricus

2024 é ‘o ano que não começou’ para o Brasil, diz Felipe Miranda, da Empiricus; o que a bolsa precisa para retomar a trajetória de alta?

13 de junho de 2024 - 15:45

Veja quais são os gatilhos que podem ajudar a economia brasileira a decolar ainda neste ano, segundo o CEO da Empiricus

Conteúdo Empiricus

Renda fixa ou ‘perda fixa’? Conheça classe de ativos criticada mas que pode pagar retornos reais de 7,5% ao ano; entenda

13 de junho de 2024 - 12:00

Para analista da Empiricus Research, o investidor que deseja ganhar dinheiro no longo prazo deve ter uma estratégia de renda fixa na carteira

Conteúdo Empiricus

Brasil sobe em ranking mas ainda está entre ‘piores lugares do mundo para investir’, diz CEO; como se proteger com dólar?

13 de junho de 2024 - 8:00

Alta de 0,8% do PIB, no 1T24, colocou o Brasil na 8ª posição de ranking das maiores economias do mundo – mas ainda é preciso ter uma parte do patrimônio em dólar, diz Empiricus

Conteúdo Empiricus

“É inconcebível ter 0% de investimento no exterior”, diz analista da Empiricus Research; entenda o motivo

12 de junho de 2024 - 16:00

De acordo com Enzo Pacheco, não vale a pena focar no Brasil tendo em vista que o risco fiscal aqui é maior e há menos opções disponíveis na bolsa

Conteúdo Empiricus

‘Cavalo de pau’ na Selic? IPCA de maio pode fazer Copom ‘virar a mão’ e levar taxa básica de juros a 11%

12 de junho de 2024 - 12:00

Enquanto cenário atual pode assustar renda variável, analista recomenda 4 títulos de renda fixa “premium” para se proteger da inflação e buscar até 7,1% de ganho real sem Imposto de Renda

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar