🔴 DÓLAR A R$5,38 E PODE SUBIR MAIS – VEJA COMO PROTEGER O SEU PATRIMÔNIO

Isabelle Santos
Isabelle Santos
Comunicóloga formada pela Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC). É redatora do Money Times, Seu Dinheiro e Empiricus.
Conteúdo Empiricus

‘Pegadinha’ dos dividendos? Empresa corta pagamento previsto em 66% e deixa lição para investidor; entenda

Considerada uma das principais pagadoras de dividendos do S&P500, o caso da Intel (ITLC34) mostra que é preciso analisar além do dividend yield

Isabelle Santos
Isabelle Santos
2 de março de 2023
14:00 - atualizado às 14:18
Chips e semicondutores da Intel
Chips e semicondutores da Intel - Imagem: Divulgação Intel

Se você pesquisar no Google, “As 10 melhores pagadoras de dividendos do Brasil”, provavelmente vai aparecer uma série de matérias com listas de ações consideradas boas escolhas. 

À primeira vista, esta parece uma maneira prática de encontrar ações pagadoras de dividendos. Contudo, esse caminho pode estar cheio de “ciladas”. 

Isto é, ativos que parecem ser uma boa escolha em um primeiro momento, ou que já foram grandes pagadores de proventos, mas que a realidade hoje é bem diferente.

Isso é o que está acontecendo, por exemplo, com a Intel (ITLC34). Nas últimas décadas a ação foi considerada uma “top-pick” quando o assunto era grandes pagadoras de dividendos do S&P500, um dos principais índices de ações americanas.

Mas, recentemente, a companhia decidiu cortar em 66% os dividendos a serem pagos aos acionistas:

Fonte: CNBC

Os analistas da Empiricus Research já haviam sinalizado que isso poderia acontecer com os dividendos da Intel, em um relatório recente.

Eles também alertaram que algumas ações brasileiras, consideradas “vacas leiteiras” por muitos investidores, podem seguir o mesmo caminho. 

A seguir, explico em mais detalhes por que uma empresa como a Intel está cortando dividendos e uma ação brasileira pode fazer o mesmo em breve (e como identificar esses ativos). 

Dividendos ‘gordos’ de uma ‘vaca magra’: como a Intel chegou até aqui?

Entre as décadas de 80 e 90, a Intel dominou o mercado de semicondutores. Na época, a companhia revolucionou o setor fazendo marketing direto para o consumidor final e oferecendo muitas novidades do ponto de vista tecnológico.

Graças a essas características, a Intel conseguiu se tornar a principal fornecedora de semicondutores para grandes montadoras de computadores. Você provavelmente está familiarizado com as linhas de processadores da companhia, o i3, i5 e i7, são os mais recentes. 

Dessa forma, por 20 anos ela se manteve como a produtora dos processadores mais eficientes do mercado, sendo a líder do seu setor.

Isso permitiu que a Intel (ITLC34) pagasse excelentes dividendos ao longo de 30 anos. Entretanto, talvez o grande problema da companhia foi pensar que “o jogo estava ganho” e não agir rápido quando Steve Jobs apresentou o iPhone ao mundo.

Como o iPhone mudou o negócio da Intel?

Se você não entende muito de processadores, semicondutores e afins, pode não fazer sentido dizer que o iPhone impactou o negócio da Intel. Afinal, a companhia domina o setor de PCs e data centers. Smartphones não eram o foco da empresa. 

Acontece que, junto com o iPhone, surgiu a arquitetura ARM, um tipo de ecossistema muito diferente daqueles projetados pela Intel. Ao que tudo indica, a companhia não fez muita questão de desenvolver produtos com essa nova tecnologia, o que foi um erro. 

Hoje, o sistema ARM está presente em 95% dos smartphones e também tem ganhado espaço nos segmentos de PCs e data centers, principais setores de atuação da Intel. 

Assim, a empresa perdeu a chance de vender volumes massivos de chips de smartphones. Segundo Amstalden, esse novo nicho daria à ela a oportunidade de “bancar novas e cada vez mais caras fábricas de semicondutores de alta performance”.

Como consequência, a Intel precisou equilibrar a necessidade de manter investimentos elevados para competir com novas entrantes sem deixar de pagar dividendos “gordos” para agradar os acionistas.

Um equilíbrio difícil, que fez com que a companhia perdesse a liderança para a TSMC, concorrente taiwanesa.

Os perigos dos dividendos a qualquer custo

Como disse anteriormente, a Intel era, até pouco tempo, sinônimo de bons dividendos. Antes do corte, a expectativa de dividendos da companhia para 2023 era de 5,5%, um valor bem alto para os padrões da bolsa americana. 

Mas, enquanto muitos olhavam só para os dividendos, o que chamou a atenção dos analistas foram as prioridades adotadas pela Intel e o resultado disso. 

Enquanto as concorrentes da Intel se preocupavam em investir no negócio, produzir semicondutores mais avançados, a companhia pagava dividendos cada vez maiores e investia menos.

O resultado das escolhas da Intel geraram uma perda gradual da participação de mercado para as novas entrantes. Como resultado, ela foi superada pela AMD e Nvidia no design de semicondutores.

No 4º trimestre de 2022 a Intel apresentou uma queda de 31% na receita consolidada em comparação com o 4T21. Além disso, a geração de caixa livre teve resultado negativo de US$ 9,4 bilhões

No relatório publicado no início de fevereiro, os analistas destacaram que o corte de dividendos da Intel era uma das possibilidades para a companhia conseguir cobrir custos. E parece que eles estavam certos…

A Intel não é a única com dividendos ameaçados 

Embora o corte de 66% nos dividendos da Intel chame atenção, os analistas acreditam que algumas ações brasileiras podem seguir o mesmo caminho

A Taesa (TAEE11), por exemplo, foi uma das maiores pagadoras de dividendos de 2022. Mas, na visão dos analistas, existem fatores que podem fazer com que os proventos da companhia “minguem” nos próximos anos. 

Entre eles, o fim de três concessões muito importantes para os resultados da companhia já em 2030 e o comprometimento com empreendimentos cujo retorno é inferior a NTN-B 2055. 

Por isso, eles apontam que o investidor que deseja gerar renda por meio de ações pagadoras de dividendos precisa olhar além do yield corrente, mas também a capacidade das empresas de continuarem entregando resultados crescentes. 

A boa notícia é que você pode aprender como selecionar boas pagadoras de dividendos de forma gratuita

Entre os dias 1 e 6 de março, acontecerá um treinamento gratuito sobre dividendos. Ele está sendo oferecido para qualquer pessoa que deseja aprender a investir nesse tipo de ação, seja qual for o nível de experiência.

Basta clicar no botão abaixo e fazer a sua inscrição:

TREINAMENTO GRATUITO: SAIBA ONDE ENCONTRAR AS MELHORES PAGADORAS DE DIVIDENDOS

Treinamento ensina a identificar as ‘vacas leiteiras’ da bolsa; veja como se inscrever gratuitamente

A Intel é um exemplo claro de que apenas o dividend yield da ação e uma lista de ativos retirados de uma indicação da internet não é o suficiente para selecionar boas pagadoras de dividendos. 

Por isso, se você não quer correr o risco de investir em uma ação que pode ser “furada”, precisa aprender como selecionar boas pagadoras de proventos. Só assim poderá ver a sua renda crescer no longo prazo. 

Pensando nisso, o Seu Dinheiro, em parceria com a Empiricus Research, está oferecendo um treinamento gratuito sobre dividendos

Entre os dias 1 e 6 de março, você poderá aprender com grandes analistas do mercado a encontrar as melhores pagadoras de dividendos da bolsa, apelidadas de “vacas leiteiras”.

Para participar é muito simples, basta clicar neste link ou no botão abaixo e seguir as instruções para concluir a sua inscrição gratuita:

Compartilhe

Conteúdo Empiricus

Mesmo com o Ibovespa abaixo dos 120 mil pontos e a debandada dos gringos, ‘a bolsa brasileira ainda merece uma chance’, diz analista

15 de junho de 2024 - 16:00

Segundo analista, o preço das ações é um bom motivo para continuar apostando na Bolsa brasileira

Conteúdo Empiricus

Cosan (CSAN3): compra de participação na Vale (VALE3) foi um erro? Entenda por que as ações da holding derretem no 1º semestre

15 de junho de 2024 - 14:00

Selic alta, decisão “ruim” de entrar na Vale e até MP ajudaram a derrubar ações da Cosan, afirma CEO da Empiricus; queda é oportunidade de compra?

Conteúdo Empiricus

E agora, Lula? Real tem o 7º pior desempenho do mundo contra o dólar em 2024; veja alternativas para dolarizar seus investimentos

15 de junho de 2024 - 12:00

Juros altos nos Estados Unidos e perda de âncoras importantes no cenário doméstico contribuíram para o desempenho ruim do real frente ao dólar, afirma analista

Conteúdo Empiricus

R$ 8 bilhões da poupança em maio ‘esconde’ fuga de dinheiro da caderneta; veja título de renda fixa que pode render 80% mais

15 de junho de 2024 - 10:00

Investidores estão diminuindo o favoritismo pela poupança – analista recomenda títulos de renda fixa com maior potencial lucrativo; veja

Conteúdo Empiricus

Nova ferramenta ‘rastreia’ movimentações de bancos e gringos para ajudar investidor a buscar R$ 3 mil por dia, em média

15 de junho de 2024 - 8:00

Investidor carioca ‘gabaritado’ explica os três checkpoints que geram o sucesso dessa ferramenta no mercado financeiro

Conteúdo Empiricus

‘Não há mais espaço para corte de juros no Brasil’, diz analista; Veja opções na renda fixa para receber até IPCA +7,5% e surfar na Selic de dois dígitos 

14 de junho de 2024 - 16:00

Analista traz recomendação para buscar retornos acima da taxa básica de juros com investimentos em renda fixa

Conteúdo Empiricus

Maxi Renda (MXRF11): fundo imobiliário oferece novas cotas por R$ 10,07; vale investir?

14 de junho de 2024 - 14:00

O Maxi Renda (MXRF11), fundo imobiliário com mais cotistas da B3 pretende emitir até 102 milhões de novas cotas

Conteúdo Empiricus

Pix agendado de US$ 1 milhão ou R$ 6 milhões: o que você gostaria de receber daqui a 10 anos?

14 de junho de 2024 - 12:00

Decisão hoje parece simples, mas diferenças entre as moedas tendem a se acentuar em uma década; entenda

conteúdo empiricus

‘O Brasil não vai explodir’: Ibovespa perde os 120 mil pontos, mas CEO da Empiricus segue na estratégia de acumular ações de excelentes empresas

14 de junho de 2024 - 10:00

Para Felipe Miranda, estrategista responsável pela tese sobre o “Fim do Brasil”, o cenário para as ações brasileiras, embora negativo, não é tão catastrófico como parece

Conteúdo Empiricus

‘Você é capaz de seguir 3 sinais? Então você consegue operar com essa ferramenta’: conheça a grande novidade do day trade

14 de junho de 2024 - 8:00

O objetivo do Indicador X é poder gerar renda média de R$ 3 mil por dia, seguindo apenas 3 indicadores e realizando 2 operações; conheça

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar