🔴 EVENTO GRATUITO: COMPRAR OU VENDER VALE3? INSCREVA-SE

Felipe Alves
Felipe Alves
Redator do Grupo Empiricus. Colabora com os portais Seu Dinheiro, Money Times e Empiricus. Trabalha com marketing digital e estratégias de conteúdo desde 2021.
Conteúdo Mercado Bitcoin

Vale mais a pena investir em ações ou em criptomoedas?

Nessa disputa entre o inovador e o tradicional, entenda como se posicionar

Felipe Alves
Felipe Alves
25 de março de 2022
11:00 - atualizado às 8:26
Investir em ações ou em criptomoedas
Imagem: Mercado Bitcoin/Divulgação.

As criptomoedas ganharam muita popularidade nos últimos tempos, com espaço nos principais portais de finanças e no portfólio de muitos investidores. O Bitcoin passou por uma valorização gigantesca e chamou a atenção dos maiores investidores do mundo.

Diante desse cenário, muitos investidores podem se assustar com toda essa inovação. Afinal, a tecnologia por trás do Bitcoin e das outras criptomoedas é bastante complexa, e alguns podem pensar que vale mais a pena investir somente em ativos mais tradicionais, como ações e renda fixa.

Se você está confuso se vale a pena ou não se aventurar nas criptomoedas, fique tranquilo. Neste artigo você vai entender as principais diferenças entre os dois mercados e vai se sentir mais confiante para tomar suas decisões de investimentos.

Como investir no que não entendemos?

Um dos principais elementos que assusta os novos investidores é o fato de que não conseguem entender como funciona o Bitcoin.

Muitas pessoas dizem, quando perguntadas sobre criptomoedas: "eu quero investir em Bitcoin, mas ainda preciso estudar um pouco mais."

Essa é uma fala com boas intenções, mas não é mais inteligente do ponto de vista financeiro.

Muitos grandes investidores, como Warren Buffet e Charlie Munger, defendem a teoria de que você deve ter na sua carteira apenas ativos dos quais você entende completamente.

Mas outro grande investidor, Nassim Taleb, discorda dessa ideia. Em seu artigo Understaing is a Poor Substitute For Convexity (o entendimento é um substituto ruim para a convexidade, em tradução livre), Taleb argumenta que você pode investir em um ativo do qual não entende, desde que respeite alguns princípios.

O autor acredita que ninguém tem conhecimento suficiente sobre um ativo para tomar decisões melhores do que as do mercado. Dessa forma, fundamentar suas decisões no seu conhecimento é uma decisão excessivamente confiante, que pode trazer perdas.

Nesse cenário em que reconhecemos nossa ignorância, a melhor estratégia possível é investir em ativos nos quais você tem mais a ganhar do que a perder – mesmo que você não entenda nada do ativo.

Você pode investir em Bitcoin mesmo sem entender como ele funciona. É uma decisão que vale a pena, porque você só pode perder o que investiu, mas não há limites para o quanto pode ganhar.

E como você faz para lidar com sua falta de conhecimento? Investindo uma quantia que você topa arriscar.

Você pode, por exemplo, investir R$ 1.000. Essa não é uma quantia que vai te levar à falência caso você perca tudo. Mas se, em um novo ciclo de alta, o Bitcoin subir +100%, +200%, +500%, você pode transformar esses 1.000 reais em muito mais.

Ou seja, ao investir uma quantia que topa arriscar, você pode investir em qualquer coisa. Inclusive em criptomoedas.

As diferenças de volatilidade

Vamos ver, então, quais são as principais diferenças entre os dois mercados.

Uma das coisas que mais chamam a atenção no mercado de criptomoedas é a volatilidade.

A volatilidade é a medida da intensidade com que os preços dos ativos variam.

Por exemplo, uma volatilidade esperada para o mercado de ações é algo de 1% a 3% de variação diárias nos preços. Quando o preço oscila fora dessa faixa, é porque algo grande está acontecendo.

No mercado de criptomoedas a volatilidade esperada é muito maior. É comum ver o preço do Bitcoin oscilando até 10% em poucas horas. Em criptomoedas menores, a volatilidade esperada é ainda maior.

Essas variações bruscas podem assustar os investidores inciantes, que normalmente associam volatilidade ao risco envolvido no investimento. Mas se você pretende comprar criptomoedas pensando no longo prazo, essa volatilidade não afeta tanto os seus resultados.

Isso porque o mercado tende a ser extremamente volátil no curto prazo. Mas no longo prazo, quando o ativo tem bons fundamentos, o movimento pra cima tende a ser muito mais consistente.

Pra entender melhor, dê uma olhada nesse gráfico. Ele mostra a variação do preço do Bitcoin nos últimos 3 meses.

variação do preço do Bitcoin nos últimos 3 meses.

O preço do ativo variou com bastante intensidade nesse intervalo.

Por outro lado, veja como o preço se comportou desde 2013.

variação do preço do Bitcoin nos últimos 3 meses.

Perceba que, quando se trata de um intervalo de anos, o movimento é muito menos volátil. Na verdade, se você investe em bons criptoativos, com fundamentos sólidos, a tendência é sempre de valorização.

Portanto, se você quer ganhar dinheiro com criptomoedas, precisa se acostumar com a volatilidade. No longo prazo, quem tem mais sangue frio tende a ser recompensado.

Veja os diferentes horários de funcionamento

Os horários de funcionamento são bem diferentes.

A B3, Bolsa de Valores brasileira, funciona apenas em dias úteis, das 10h às 17h, enquanto o mercado de criptoativos nunca fecha.

Ou seja, você pode comprar criptomoedas a qualquer hora do dia. Isso traz bastante praticidade para os investidores e é um aspecto bem elogiado por quem compra criptomoedas.

Por isso as plataformas mais práticas são aquelas que permitem negociações 24/7, como o Mercado Bitcoin. Como a negociação de criptomoedas nunca para, ter os horários de compra e venda restritos pode significar perder boas oportunidades de ganhos. 

Você pode começar a investir em cripto com pouco dinheiro

Muitas vezes, o investimento em ações é limitado pela compra de lotes, que costumam elevar bastante os aportes necessários. Se você só pode comprar uma ação que custa R$ 25,00 em lotes de 100, o investimento mínimo para começar é de R$ 2.500.

Isso não é verdade para o mercado de criptomoedas. Aqui, você pode investir literalmente qualquer valor, inclusive valores minúsculos.

Se você quiser comprar 10 reais de Bitcoin (o equivalente a 0,0000479749 BTC, na cotação do dia 16/03), você pode.

Aliás, de 2010 a 2020, 10 reais investidos em Bitcoin teriam se transformado em mais de 1 milhão. Ou seja, você não precisa de muito dinheiro investido para ter a chance de enriquecer nesse mercado.

Conclusão

O mercado de criptomoedas veio pra ficar. Muitos dos maiores investidores do mundo já tem uma parte do portfólio em criptomoedas. Aliás, atualmente há fundos de investimento gigantescos investindo bilhões de dólares em Bitcoin e outros ativos.

Portanto, o investidor que quiser ter a chance de pegar as grandes valorizações desse mercado precisa ter um pouco de criptomoedas na carteira.

Os especialistas apontam que o ideal seria algo entre 1% a 5% do seu portfólio. Como você viu, não é preciso ter muito dinheiro nesse mercado pra ter a chance de ganhar bastante dinheiro.

Diversificação sempre é um ótimo caminho. Um portfólio balanceado entre ações, renda fixa e criptomoedas, com distribuição de acordo com o perfil do investidor, é o ideal para os tempos atuais. 

Se você ficou convencido e quiser dar seus primeiros passos, o Mercado Bitcoin pode ser a melhor alternativa. Essa é a maior corretora de ativos digitais da América Latina, com um histórico de 8 anos de funcionamento sem nenhum vazamento de dados.

O Mercado Bitcoin está pronto para receber investidores iniciantes e tem tudo o que você precisa para buscar seus primeiros lucros com criptomoedas. Para conhecer a corretora e abrir sua conta gratuitamente, é só clicar no botão abaixo.

Compartilhe

Conteúdo Mercado Bitcoin

Como criar uma moeda virtual? É muito caro?

6 de abril de 2022 - 10:00

Saiba todos os custos de criar um ativo digital do zero e qual a melhor forma de investir no no universo dos criptoativos

Conteúdo Mercado Bitcoin

Como declarar bitcoin e outros criptoativos?

30 de março de 2022 - 10:00

O período da entrega do Imposto de Renda já começou e quem investiu em bitcoin e outros criptoativos precisa declarar à Receita Federal. Desde 2019, a Receita Federal introduziu a Instrução Normativa, IN 1888, que traz a obrigatoriedade sobre a declaração para quem realizou transações com criptoativos no Brasil.  O prazo para a entrega da […]

Conteúdo Mercado Bitcoin

O que é uma carteira digital? Conheça a melhor forma de armazenar suas criptomoedas

21 de março de 2022 - 13:00

Se você deixa suas criptomoedas na corretora, pode estar correndo riscos; criar uma carteira digital é fácil e pode te proteger de ataques; entenda.

Conteúdo Mercado Bitcoin

Veja por que investir em bitcoin e outras criptomoedas pode ser uma opção para sua carteira

18 de março de 2022 - 10:00

Ativos digitais têm conquistado cada vez mais espaço nas carteiras de investimento ao redor do mundo; veja por que você também deve incluir criptomoedas em seu portfólio

Conteúdo Mercado Bitcoin

Dá pra ganhar bitcoin pela internet? Veja 5 maneiras de conseguir a criptomoeda mais famosa do mundo ‒ e como evitar golpes

14 de março de 2022 - 10:00

Além da mineração, realizada principalmente por supercomputadores, plataformas distribuem bitcoins em ações promocionais, mas é preciso ter cuidado com golpes

conteúdo patrocinado

Como proteger o seu patrimônio com ouro e dólar a partir de R$ 50

14 de agosto de 2020 - 11:53

Mercado Bitcoin dá mais um passo rumo à democratização de ativos e oferece criptomoedas lastreadas em ouro e dólar de forma descomplicada

Conteúdo patrocinado

Tecnologia por trás do bitcoin viabiliza investimentos a partir de R$ 100 em ativos restritos a grandes investidores

20 de julho de 2020 - 8:05

Tokens de cotas de consórcio e precatórios podem ser negociados no Mercado Bitcoin e oferecem rentabilidade de até 22% ao ano

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar