2021-09-22T08:54:48-03:00
João Escovar
Jornalista especializado em Finanças
CONTEÚDO EMPIRICUS

Renda extra: 4 formas de ganhar dinheiro com marketing digital (mesmo que essa não seja sua profissão)

Dá pra ganhar R$ 200 mil de comissão ou simplesmente ver pingar na sua conta R$ 500 toda semana mexendo com redes sociais, mas é preciso buscar conhecimento

18 de setembro de 2021
10:00 - atualizado às 8:54
Computadores trocando cartão de crédito e compras
Profissão não exige faculdade, mas é essencial ter boa formação; saiba como entrar no mercado -

O fundador da Microsoft, Bill Gates, teria dito que “se um negócio não está na internet, provavelmente ele deixará de existir”. Seja verdadeira ou não, a frase resume uma realidade da economia moderna: as mídias digitais são fundamentais para quem deseja vender produtos e serviços. Isso abre infinitas oportunidades para quem conhece o marketing digital.

O movimento já está acontecendo. Qualquer negócio precisa de profissionais fixos ou pontuais para turbinarem suas vendas na internet. Desde empresas enormes, que faturam milhões com um único lançamento, até uma pequena loja de bairro ou prestadores de serviço autônomos.

E quem sabe promover as vendas já está se dando bem. Porque além dos bons salários, os profissionais de marketing podem atuar como freelancers, responsáveis pela gestão de redes sociais ou redação de textos de venda, por exemplo. Para quem faz essa escolha, as possibilidades são muitas.

Você pode, por exemplo, ter um emprego comum, durante o horário comercial, e dedicar algumas horas antes ou depois do seu expediente para conseguir uma renda extra. Alguns posts de Instagram para pequenas lojas, por exemplo, podem render de R$ 50 a R$ 200 para quem o produz.

Outra alternativa é dedicar-se a um projeto maior, como o lançamento de uma campanha ou produto – e receber comissões por isso. Imagine participar de um lançamento que arrecada R$ 20 milhões, por exemplo, e ter uma comissão de 1%? Isso são R$ 200 mil em seu bolso.

Isso sem contar as muitas vagas fixas ofertadas no mercado, a possibilidade de prestar serviços trabalhando de onde quiser e fazendo o próprio horário e ainda ter uma alternativa para momentos de aperto financeiro.

Para poder ter esse curinga na sua vida, contudo, não basta saber mexer no Facebook ou Instagram. É preciso aprender, com os melhores, como funciona toda a cadeia de venda pela internet, desde a captação até a conversão do cliente.

Embora sejam raros, existem cursos que combinam, com excelência, um bom nível teórico com aplicações de sucesso. Um bom exemplo é este MBA, que oferece quatro aulas gratuitas neste link.

Freelancer, empreendedor, fixo: conheça os diversos lifestyles do marketing digital

Como forma de renda extra

O marketing digital pode ser considerado uma espécie de carta na manga para todas as pessoas que se dedicam a conhecê-lo. Profissionais de diversas áreas, empreendedores e estudantes utilizam seus conhecimentos em marketing para conseguir uma grana extra paralela à sua atividade principal.

O mais interessante dessa modalidade é a flexibilidade: ao atuar como um freelancer, não é preciso arriscar tudo e largar seu emprego e dá pra trabalhar de casa, no seu próprio horário.

Além disso, empresas dos mais diversos portes exigem esse tipo de profissional. Você pode tocar um grande projeto em uma empresa (o que exige um pouco mais de experiência) e ganhar gordas comissões, por exemplo.

Um bônus de 2% sobre R$ 1 milhão vendidos em uma campanha seria responsável por colocar R$ 20 mil na sua conta. E muitos produtos e serviços de grandes empresas vendem milhões e milhões.

Ou então você pode começar prestando serviços pontuais para pequenas empresas e profissionais autônomos. Gerir, por exemplo, o Instagram de uma loja do seu bairro ou de uma colega nutricionista ou maquiadora que todo mundo conhece...

Imaginemos uma publicação que rende R$ 100 para o freelancer. Se imaginarmos um post por dia, de segunda a sexta, são R$ 500 por semana. Isso precisando dedicar apenas algumas horinhas que não irão comprometer sua rotina.

Como ocupação principal sem vínculo

Depois de prestar serviços pontuais e ganhar dinheiro com o marketing digital, muitos profissionais decidem abraçar a profissão e dedicar-se a ela como sua principal atividade. Isso também pode ser feito por meio de “freelas”, sem vínculo de horário e local com determinada empresa.

Aqui, é possível prestar serviço para um cliente específico com grandes demandas ou trabalhar para várias empresas que necessitem de serviços de marketing.

Essa opção é interessante para quem começa a fazer um bom dinheiro com marketing digital e vê que a atividade é mais rentável do que o próprio trabalho. Ou ainda para quem dispõe de mais tempo por estar sem trabalhar e se adaptou bem a gerir a própria rotina.

Ser um canal de vendas de produtos de terceiros (dropshipping)

Uma atividade do marketing digital que vem ganhando bastante espaço ultimamente é o chamado dropshipping, que é a intermediação do processo de venda. Ele ocorre quando a loja ou o responsável pelo marketing/divulgação não fornece o produto ou serviço, mas apenas viabiliza o encontro entre a marca e o cliente. Nesse caso, a remuneração é acordada por comissões.

Potencializar seu próprio negócio

Grande parte das pessoas que procuram se aprofundar em temas como o marketing digital tem o objetivo de alavancar seu próprio negócio nas redes sociais, já que as pessoas procuram muito na internet antes de consumir.

Pense quantas vezes você não procurou um restaurante na internet antes de sair no fim de semana? Ou pesquisou uma loja com determinado item que você precisava mas não sabia onde encontrar?

Para fazer seu negócio render, é preciso ser notado na internet. E isso vale tanto para quem está começando agora como para quem já tem um negócio bem consolidado no mundo físico e não quer ficar para trás.

Isso sem contar quando as empresas sobem um degrau e conseguem montar toda sua cadeia de vendas pela internet, usando o marketing não só para que os clientes te conheçam, mas para fazê-lo comprar de imediato seus produtos e serviços.

Bons salários no mercado de trabalho

Há também muito espaço no marketing digital para quem deseja a boa e velha carteira assinada. Empresas maiores contam com departamentos próprios de marketing e o espaço cedido para as mídias digitais é cada vez mais relevante.

Outra opção são as agências de marketing, que costumam ter como clientes os negócios que não possuem sua própria equipe de publicidade.

Como a demanda está aquecida e deve seguir subindo, os salários estão acompanhando a tendência. Segundo um estudo da consultoria Robert Half, referência na área de Recursos Humanos, um iniciante no marketing digital de pequenas empresas ganha cerca de R$ 3.460 mensais, quase três vezes a renda média do brasileiro.

Conforme o profissional se desenvolve, contudo, as cifras só aumentam. Para um cargo de chefia numa grande empresa, o contracheque pode chegar a até R$ 58.900, isso sem contar as empresas que ainda oferecem comissões.

A Empiricus, por exemplo, maior publicadora de conteúdos financeiros do país, oferecerá uma vaga de até R$ 25 mil para os alunos de seu MBA em Marketing Digital, que está prestes a ser lançado (clique aqui para conhecer os detalhes).

Mas o que fazer, então? Descubra o melhor programa de formação para profissionais de marketing digital

Entre as dúvidas mais recorrentes para quem deseja trabalhar com marketing digital estão essas duas, segundo pesquisas no Google:

  • Como trabalhar com marketing digital?
  • Que curso fazer de marketing digital?

As perguntas têm fundamento: apesar de existir faculdade de marketing, ela não está voltada especificamente para o campo das mídias digitais. Além disso, grande parte dos profissionais de marketing vem de diversas outras profissões, muitos deles inclusive sem curso superior.

O grande pulo do gato é se qualificar de maneira técnica com pessoas que já têm sucesso na área. Sem os excessos acadêmicos de determinadas instituições nem a simplificação de muitos cursos na internet. Por isso, uma boa oportunidade é fazer uma Pós-Graduação ou um MBA em Marketing Digital, especialmente aqueles promovidos por quem tem a mão na massa.

Uma excelente formação que será aberta em breve é o MBA promovido pela Empiricus, aquela mesmo das propagandas do YouTube. Apesar de vender assinaturas de conteúdos financeiros, a empresa é considerada um dos cases de marketing de maior sucesso no país. Foi o marketing digital, inclusive, que fez a empresa sair da quase falência a uma receita de R$ 300 milhões/ano.

Coordenado pelo CMO e head de copywriting da casa, Roberto Altenhofen, o curso terá como professores algumas das maiores referências de marketing digital do país. E o melhor: abrirá as portas para o processo seletivo de uma vaga, com salário de até R$ 25 mil, para trabalhar na equipe de marketing da Empiricus.

Veja abaixo o resumo de tudo que esta formação oferece:

  • Certificado de Especialista em Marketing Digital reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC);
  • Mesmo que o aluno não tenha curso superior, ele sai com o certificado de curso livre;
  • Não exige conhecimento prévio;
  • Mentoria da empresa que é a maior referência em Marketing Digital do país;
  • 7 módulos: Estratégia, Branding, Copywriting, Análise de Dados, Tráfego, Social Media e Audiovisual;
  • Livros exclusivos;
  • Processo Seletivo para uma vaga na Empiricus, com salário de até R$ 25 mil

Neste link, é possível acessar mais informações sobre o conteúdo completo e desbloquear o acesso gratuito às quatro primeiras aulas do MBA.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

A SEMANA EM GRÁFICOS

Covid-19 pressiona aéreas, turismo, Ibovespa e bitcoin, mas inflação avança no mundo: entenda a última semana com estes gráficos

As companhias aéreas sofreram perdas significativas na bolsa esta semana e nem o bitcoin (BTC) conseguiu se salvar

O MELHOR DA SEMANA

Piora da covid no mundo e criptomoedas além do bitcoin (BTC): 5 assuntos mais lidos no Seu Dinheiro esta semana

O mercado já trabalhava amplamente com a visão do verdadeiro normal. Mas os mercados globais voltaram a entrar em pânico com a covid-19

PAPO CRIPTO #007

Tecnologia que criou o bitcoin (BTC) pode reduzir custo de captação de recursos em quase 70%, diz chefe de ativos digitais do BTG

“Empresas pequenas e médias têm menor possibilidade de acesso ao mercado de capitais, muito por causa dos custos envolvidos”, comenta

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Nova variante vira a mesa nos mercados, bitcoin entra em ‘bear market’ e outros destaques do dia

Se você já estava pronto para tirar o pó da sua fantasia de Carnaval, talvez seja melhor esperar mais um pouco. Além de algumas cidades brasileiras terem decidido adiar a festança por mais um ano, uma reviravolta no andamento da pandemia deixou mais uma vez o mundo em pânico. A variante B.1.1.529 (batizada de ômicron […]

FECHAMENTO DA SEMANA

Nova cepa do coronavírus pega mercado de surpresa; Ibovespa recua quase 4% no dia e apaga ganhos da semana

Ao longo da semana, o Ibovespa também foi pressionado pela indefinição em torno da PEC dos precatórios e a pausa para o feriado nos Estados Unidos