2021-10-08T16:25:36-03:00
Letícia Flávia Pinheiro
Letícia Flávia Pinheiro
É repórter do Seu Dinheiro. Jornalista em formação pela Universidade de São Paulo, trabalhou com jornalismo cultural, assessoria de imprensa e marketing na Jornalismo Júnior (ECA - USP) e com produção de conteúdo na Agência Estufa.
Conteúdo Empiricus

O último rali das criptomoedas em 2021: analista que indicou moeda que subiu mais de 10.000% em 9 meses vê nova chance de lucros; entenda

O analista André Franco enxerga potencial de alta no bitcoin e nas criptomoedas ainda em 2021 e cita fundamentos para justificar sua tese; entenda

8 de outubro de 2021
14:00 - atualizado às 16:25
‘Você ainda pode salvar o seu ano com o último ‘Rali das Criptomoedas’ em 2021 - Imagem: Shutterstock

Chegamos perto da metade de outubro, e vou fazer uma pergunta para você, investidor: quais foram os seus ganhos até agora? A bolsa te fez ganhar dinheiro neste ano? Porque nos últimos 9 meses, o Ibovespa rendeu amargos -6,75%. E o IFIX? Azedou em -5,38%. Pelo menos você não saiu perdendo com a Selic, que agora paga 6,25% ao ano. Mas sejamos sinceros? Você não vai ficar rico deixando seu dinheiro rendendo migalhas. 

2021 não está sendo fácil para ninguém, é verdade. Mas ainda dá para buscar dinheiro este ano. Te explico como: 

Investindo em criptomoedas

Mas antes que você venha me falar que tem medo desse mercado, que não sabe como investir, que cripto é pura especulação ou que você não acredita na tese das criptomoedas (eu vou te mostrar que tudo isso faz sentido mais tarde), quero que você veja os lucros que quem investe nesse mercado tem lucrado do dia 1 de janeiro até hoje, 8 de outubro:

  • Bitcoin (BTC): 86.63%
  • Ethereum (ETH): 394.89%

Esses dois exemplos mostram que, mesmo com a volatilidade, o investimento em cripto pode fazer muito mais pelo seu patrimônio do que investimentos tradicionais. E para você ter uma ideia, não são só as maiores moedas desse mercado (BTC e ETH) que subiram. Estamos vendo outros ativos fora do radar também em alta: 

Fonte: Coin MarketCap, de 01/01/2021 a 31/08/2021

Você percebe o potencial disso? Multiplicações de 10, 20, 30 vezes são totalmente possíveis no mercado de moedas digitais. Em pouco tempo e com muito menos dinheiro, você tem a chance de conseguir lucros muito maiores do que a bolsa tradicional está entregando para seus acionistas.

Faltam menos de 3 meses para acabar o ano. Como você prefere chegar até lá: buscando lucros exponenciais como eu mostrei acima e sentindo a sensação de dever cumprido? Ou simplesmente investindo na Selic, que rende míseros 6,25% ao mês? Ou investindo no Ibovespa, que segue mais amargo a cada dia? 

É claro que não existe retorno garantido e que o investimento em criptomoedas envolve um risco maior do que os ativos tradicionais. Mas será que não vale a pena você dar uma chance para o seu patrimônio engordar mais rápido, com os retornos exponenciais que, atualmente, só as criptomoedas são capazes de entregar.

Não estou falando em arriscar tudo que você tem. Mas em sair da sua zona de conforto, aceitar um risco para uma parte pequena do seu capital, algo como 5%. E antes que você pense que 2021 é um ano perdido, o André Franco, especialista em criptomoedas da Empiricus, tem um recado para você:

‘Você ainda pode salvar o seu ano com o último ‘Rali das Criptomoedas’ em 2021’

Há mais de 10 anos, o bitcoin e outras criptomoedas vêm “fabricando” milionários. E isso não é um exagero. Quem investiu apenas 100 dólares há 10 anos:

  • em Ouro, teria acumulado 134 dólares no fim de 2020;
  • na Bolsa americana, seriam 296 dólares;
  • com Bitcoin, seriam 10,6 milhões (partindo dos mesmos 100 dólares).

E quem pensa que não dá mais tempo de surfar a oportunidade desse mercado está muito enganado. Diversos analistas defendem que as criptomoedas serão o principal investimento da década que estamos vivendo. Um deles é o André Franco, da Empiricus.

André Franco, criptoanalista da Empiricus, em frente ao cofre do antigo Banespa - Créditos: Empiricus

Segundo os estudos do analista, nos próximos 5 anos, o mercado de criptomoedas deve se multiplicar por 10 vezes na média. “Se isso realmente se confirmar, algumas criptos específicas podem subir dezenas, centenas, quem sabe até milhares de vezes”, explica André. 

De fato, as valorizações exponenciais já estão acontecendo (reveja o gráfico que mostrei lá em cima). O próprio André Franco recomendou um ativo para seus assinantes, que em 9 meses rendeu +12.000% para quem seguiu sua indicação. 

E, de acordo com o analista, esse potencial de ganho tem tudo para se repetir nos últimos meses de 2021 - para quem estiver posicionado da forma correta. 

“Dá tempo de virar o jogo, com a possibilidade real de ganhar um bom dinheiro ainda em 2021”, afirma André Franco. 

O André se refere a esse momento como o último Rali das Criptomoedas de 2021. Ou seja, a  última oportunidade de investir nesse mercado e ter a chance de ver seu dinheiro render mais do que migalhas da Selic. 

Mas o que faz o analista acreditar tanto no potencial das criptomoedas em fabricar fortunas? 

Bom, há uma série de argumentos que apontam a tendência de valorização a longo prazo desses ativos digitais. São eles: 

1. Investidores institucionais estão entrando nesse mercado 

Depois da crise deflagrada pelo novo coronavírus, o tema criptomoedas e bitcoin como classe de ativo ganhou tração e, consequentemente, a atenção de diversas empresas e fundos de investimento.

O assunto, que começou a ser ventilado no mercado financeiro global e nacional no ano passado, só acelerou em 2021. Aos poucos, vemos pipocar por aí ETFs de bitcoin e de criptoativos em geral.

Um exemplo foi a Fidelity, com US$ 4,9 trilhões de ativos sob gestão, que registrou um pedido de ETF de bitcoin na SEC (a CVM americana). Outro foi o Morgan Stanley, um dos maiores bancos americanos, que irá permitir que seus clientes mais ricos comprem bitcoin por meio de três fundos, dois da Galaxy Digital e um da NYDIG.

Além disso, a Tesla anunciou que irá aceitar bitcoin como pagamento pelos seus carros e irá segurar o ativo em vez de trocá-lo por dólares. E, como já era esperado, a MicroStrategy fez mais uma compra de bitcoin e agora a empresa detém nada menos que 91.326 BTCs.

Sabe o que tudo isso significa?

Que os investidores institucionais - como bancões e grandes empresas - já estão aplicando uma grande quantidade de dinheiro em bitcoin. 

Isso impulsiona a demanda pelo BTC e, assim, ele se valoriza cada vez mais, colocando dinheiro no bolso de quem compra e causando arrependimento em quem deixou a oportunidade passar.

  • A valorização do bitcoin funciona como um termômetro do mercado de criptomoedas. Quando o BTC sobe, é provável que outras moedas também peguem carona nessa alta. Fazendo uma analogia, é como se o bitcoin tivesse o peso que o Ibovespa tem na bolsa brasileira.  

O André defende que o volume de dinheiro que os institucionais ainda têm para investir pode tranquilamente provocar a multiplicação de 5 ou 10 vezes a cotação do bitcoin até o próximo pico da moeda.

E se isso acontecer, quem estiver exposto a esse mercado vai sorrir à toa e multiplicar seu capital investido. 

Até porque tem outro fator que tende a jogar o preço ainda mais pra cima…

2. Bancos Centrais no mundo todo injetaram dinheiro pesado na economia

Para combater a crise do coronavírus, os Bancos Centrais do mundo inteiro injetaram enormes doses de moeda. Brasil, Estados Unidos, China… basta pesquisar e você verá manchetes anunciando esse movimento, como essa:

Fonte: Estadão  

Para muitos analistas, essa é a maior expansão monetária já vista. Mas qual o problema disso? 

Bancos Centrais do mundo todo estão imprimindo dinheiro sem valor real. Veja só esse gráfico, que compara a Bolsa dos EUA com o dinheiro que o Federal Reserve (FED) joga na economia:

A linha verde mostra os índices S&P e Nasdaq com os estímulos do FED.
A linha vermelha mostra os mesmos índices sem o estímulo.

Perceba como, desde a crise de 2009, a linha verde vinha se descolando da vermelha. E, de 2020 para cá, essa diferença ficou ainda mais gritante. Por isso, a conclusão é clara para André Franco: a produção não está crescendo de verdade, é só dinheiro sendo impresso.

E, se por um lado a demanda aumentou com a entrada dos investidores institucionais e com o caminhão de dinheiro despejado pelo mundo…

Do outro, a oferta de Bitcoin e Ethereum caiu. E isso nos leva a um terceiro argumento do André: 

3. Bitcoin e Ethereum podem atingir novas máximas em 2021

Um dos pilares do fundamento de valorização do bitcoin é o fato dele ser escasso. Como assim? 

A cada quatro anos, a emissão de bitcoin é reduzida pela metade. Esse fenômeno é chamado de halving

Isso significa que a produção de novas unidades da moeda vai acabar um dia (mais especificamente em 2100), e isso diminui a oferta de bitcoin disponível no mercado.

E o que acontece quando a oferta se reduz e a demanda aumenta? O preço tende a aumentar. É a tal da oferta e da demanda, uma das regras mais básicas de mercado, que serve para praticamente tudo na economia, do preço da cerveja à cotação da ação da Petrobras.  

No caso do bitcoin, a escassez gerada pelo halving provocou uma supervalorização da criptomoeda, como mostra o gráfico abaixo. Ao longo da existência do BTC, já passamos por dois desses eventos. Dá uma olhada na valorização que eles causaram: +8.438% e +2.875%.

Fonte: mesari.io e Empiricus

A longo prazo, o bitcoin tende a se tornar uma moeda deflacionária. Isto é, que aumenta seu valor com o passar do tempo e é capaz de blindar a inflação

Por essas e outras, ela é utilizada por muitos investidores como reserva de valor, como ouro e dólar. Porém, enquanto a rentabilidade em 9 meses do ouro foi de -3,80% e a do dólar foi de quase 5%, o bitcoin acumula 58,44% até agora. Percebe a diferença? 

Já o Ethereum também se classifica como moeda deflacionária, de acordo com o André.   

A segunda criptomoeda mais relevante do mercado passou em agosto pelo seu "halving particular" (clique aqui para mais detalhes). A partir dele, quanto mais a rede Ethereum é utilizada, mais ETHs são queimados e retirados de circulação. Isso contribui para a escassez da moeda, que a longo prazo tende a se valorizar cada vez mais, segundo André Franco. 

Dito todos esses motivos, é possível entender porque diversos analistas, entre eles o André, apostam nas criptomoedas como o principal investimento da nova década.

  • É claro que retorno passado não é garantia de retorno futuro, e que investimentos envolvem riscos. Mas os fundamentos mostrados acima não podem ser ignorados. Existe uma tendência de alta da criptomoeda e há uma chance de buscar um retorno maior para seu patrimônio com essa classe de ativos. 

O analista André Franco está muito confiante para os últimos meses de 2021. “Ganhos assim estão sempre acontecendo no mercado de cripto, e a gente tem uma possibilidade real de pegá-los, do mesmo jeito que pegamos esses 12.000% e muitos outros”. Você pode conferir mais detalhes sobre a tese do André Franco e como receber suas recomendações clicando aqui

Enquanto muitos estão investindo apenas em aplicações convencionais e ganhando migalhas - veja só a rentabilidade anual de cada investimento a seguir:

Fonte: Economática e Tesouro Direto, de 31/12/2020 a 31/08/2021

Quem dedicou parte dos seus investimentos às criptomoedas está ganhando uma bolada. O André mesmo recomendou um ativo digital aos seus assinantes da Empiricus, em janeiro deste ano, que se multiplicou por 130x, com +12.000% de valorização:

Fonte: TradingView (20/01/2021 até 06/09/2021)

Em apenas oito meses, os seguidores do André Franco mal podiam acreditar no valor que tinham na conta bancária:

  • R$ 300 viraram R$ 39.144
  • R$ 1 mil viraram R$ 130.480
  • R$ 3 mil viraram R$ 391.440

Esse é um exemplo real do potencial de multiplicação de capital das criptomoedas. 

E a boa notícia é que se você quiser ter a oportunidade de ganhar um retorno como esse, o André Franco pode te ajudar. Te conto como a seguir:

Quer ter a chance de multiplicar seu dinheiro por mais de 10.000%? André quer te ajudar a investir nos ativos certos: 

Se você não sabe como investir em criptomoedas, ou se está em busca dos criptoativos certos, fique tranquilo. O André pode te ajudar.

Antes de tudo, deixa eu te contar mais sobre ele:

O André é analista da Empiricus e comanda a carteira Crypto Legacy, que reúne mais de 15 recomendações de investimento em criptoativos. Se considerarmos o ganho médio de todas as recomendações que ele já deu na Empiricus – incluindo as perdedoras –, estamos falando de uma carteira com +2.306,9% de valorização, multiplicação de 24 vezes.

Só neste ano, a carteira Crypto Legacy já valorizou +179,7% em 2021, uma multiplicação de quase 3 vezes. E dentro dessa carteira, tem uma recomendação que já trouxe mais de 12.000% de ganhos para seus leitores (saiba mais aqui). 

Os 81.409 leitores que seguiram as suas recomendações até agora vêm ganhando bastante dinheiro. “Posso dizer que eles já salvaram o ano e eu acredito que podem ganhar ainda mais nos meses que faltam. E você também tem essa chance, aceitando meu convite”, afirma o analista. 

O André quer te ajudar a saber tudo que você precisa para entrar nesse mercado e estar posicionado nos ativos certos. Para isso, ele te convida a acessar o conteúdo completo da sua carteira Crypto Legacy por 7 dias sem compromisso.  

Com o convite do André, você tem uma semana para explorar todo o material da série, incluindo as recomendações de criptomoedas, tutorial de como investir, cursos de criptomoedas, publicações semanais para que você se contextualize nesse mercado e plantões de dúvidas. Veja só como aparecerá para você, caso aceite o convite do analista:  

Print da plataforma da Empiricus 

Clicando no botão acima, o André te explica mais sobre a série e sobre como funcionam os sete dias de degustação. Mas já te adianto que, se não gostar do que viu, basta cancelar sua inscrição (antes do fim dos 7 dias) que você será 100% reembolsado. 

Se você gostar do conteúdo, você pode continuar, pagando um valor simbólico por mês (clique aqui para conferir) para ter o acompanhamento e orientação de um especialista no que comprar e quando vender. 

Você pode simplesmente anotar as indicações do André e cancelar a degustação da série. Algumas pessoas fazem isso, e você tem o direito também. Mas pode ser que você goste tanto das recomendações que vai receber e ganhe tanto dinheiro com elas que nunca mais vai querer ficar de fora. 

De qualquer forma, você só saberá disso se aceitar o convite do André Franco. Essa pode ser a oportunidade que você esperava de salvar seu ano e ganhar tudo que você ainda não ganhou. E ter a chance de ver seu dinheiro multiplicar como nunca viu antes, com o último Rali das Criptomoedas. Deixo o convite para participar da série do André destravado abaixo:

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

A SEMANA EM GRÁFICOS

Covid-19 pressiona aéreas, turismo, Ibovespa e bitcoin, mas inflação avança no mundo: entenda a última semana com estes gráficos

As companhias aéreas sofreram perdas significativas na bolsa esta semana e nem o bitcoin (BTC) conseguiu se salvar

O MELHOR DA SEMANA

Piora da covid no mundo e criptomoedas além do bitcoin (BTC): 5 assuntos mais lidos no Seu Dinheiro esta semana

O mercado já trabalhava amplamente com a visão do verdadeiro normal. Mas os mercados globais voltaram a entrar em pânico com a covid-19

PAPO CRIPTO #007

Tecnologia que criou o bitcoin (BTC) pode reduzir custo de captação de recursos em quase 70%, diz chefe de ativos digitais do BTG

“Empresas pequenas e médias têm menor possibilidade de acesso ao mercado de capitais, muito por causa dos custos envolvidos”, comenta

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Nova variante vira a mesa nos mercados, bitcoin entra em ‘bear market’ e outros destaques do dia

Se você já estava pronto para tirar o pó da sua fantasia de Carnaval, talvez seja melhor esperar mais um pouco. Além de algumas cidades brasileiras terem decidido adiar a festança por mais um ano, uma reviravolta no andamento da pandemia deixou mais uma vez o mundo em pânico. A variante B.1.1.529 (batizada de ômicron […]

FECHAMENTO DA SEMANA

Nova cepa do coronavírus pega mercado de surpresa; Ibovespa recua quase 4% no dia e apaga ganhos da semana

Ao longo da semana, o Ibovespa também foi pressionado pela indefinição em torno da PEC dos precatórios e a pausa para o feriado nos Estados Unidos