Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-03-16T19:47:15-03:00
Ivan Ryngelblum
Ivan Ryngelblum
Jornalista formado pela PUC-SP, com pós-graduação em Economia Brasileira e Globalização pela Fipe. Trabalhou como repórter no Valor Econômico, IstoÉ Dinheiro e Agência CMA.
boas perspectivas

Mosaico, Mobly e Intelbras: por que os analistas estão recomendando a compra das ações?

Novatas sofrem com volatilidade do mercado, mas analistas veem bons fundamentos e potencial de forte alta para as três

16 de março de 2021
16:04 - atualizado às 19:47
IPO da Mosaico
IPO da Mosaico - Imagem: Reprodução/B3

O Ibovespa pode não estar tendo um grande início de ano, mas isso não está impedindo que um número cada vez maior de empresas busque a bolsa para levantar recursos.

O ano começou com ao menos 34 companhias aguardando a autorização da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para listarem suas ações na bolsa, sendo que analistas estimam que o número de IPOs pode chegar a 100 até o final de 2021.

Muitas das novatas estrearam com o pé direito no início de 2021, com as ações subindo dois e até três dígitos no primeiro dia de negociação. Mas a volatilidade vista no mercado por conta da segunda onda de covid-19 e os riscos fiscais no Brasil, al[em da inclinação da curva de juros nos Estados Unidos diante de receios de aceleração da inflação, está afugentando investimentos, pesando sobre o desempenho da bolsa e da maioria das ações.

Isto não significa que os fundamentos e as perspectivas da maioria das estreantes sejam fracos, pelo contrário. Inclusive, três nomes que abriram capital neste começo de ano receberam recomendação de compra de bancos e casas de análises nesta terça-feira (16) – Mosaico (MOSI3), Mobly (MBLY3) e Intelbras (INTB3).

Confira o que os analistas têm a dizer sobre as três:

Intelbras – máquina de vendas bem azeitada

O BTG Pactual anunciou hoje o início de cobertura da fabricante de câmeras e equipamentos de segurança eletrônica, recomendando a compra dos papéis, com preço-alvo de R$ 28,00, o que representa um potencial de alta de 48%.

Os analistas Carlos Sequeira e Osni Carfi citaram o bom histórico de vendas da companhia para justificar o otimismo com a Intelbras – crescimento de 6,5 vezes nos últimos dez anos, o que representa um aumento médio de 21% por ano.

Para eles, o vasto portfólio de produtos da companhia, altamente demandados no mercado, e a ampla e bem treinada rede de distribuidores explicam o forte crescimento nos últimos anos e criam expectativas de que as vendas permaneçam elevadas nos próximos anos.

Os analistas também destacaram que a Intelbras apresenta margens elevadas – a margem bruta ficou em 35,6% entre 2017 e 2019 – e um retorno sobre capital investido (ROIC, medida da rentabilidade do investimento aplicado pelos acionistas e credores) robusto, de 43%.

Mobly – decorando os lares brasileiros

As ações da loja online de móveis receberam recomendação de compra do Goldman Sachs e preço-alvo de R$ 30,00, o que demonstra um potencial de alta de 38% dos papéis.

Para os analistas Irma Sgarz, Felipe Rached e Chandru Ravikumar, a posição de destaque da Mobly no e-commerce de móveis e artigos de decoração deve se fortalecer neste ano e nos próximos, com os brasileiros perdendo o preconceito de comprar esses produtos pela internet, muito em função da pandemia.

Mesmo reconhecendo a possibilidade de as vendas online desacelerarem um pouco em 2021, de um crescimento de 64% para 30%, a empresa deve colher bons frutos com a inauguração de novas lojas físicas, mantendo a receita em patamares elevados.

Os analistas do Goldman Sachs elogiaram os esforços da Mobly na integração de seus fornecedores, o que diminui problemas logísticos e permite ganhos de escala, e os investimentos em aquisição de clientes e obtenção de melhores taxas de conversão (ainda que esses dois fatores elevem as despesas operacionais).

Mosaico – a resposta para todas as perguntas de suas compras

Os analistas Danniela Eiger, Thiago Suedt e Marco Nardini da XP Investimentos iniciaram a cobertura da dona dos serviços de comparação de preços Zoom, Buscapé e Bondfaro com recomendação de compra e preço-alvo de R$ 38,00, um potencial de alta de 51,4%.

Para eles, a empresa está em uma “posição única” para se consolidar como “principal assistente de compras dos consumidores”, por meio de suas marcas fortes, a plataforma de conteúdo que ajuda os consumidores na hora de decidir entre diferentes marcas e modelos, a ferramenta de histórico de preços, que permite aos clientes selecionar o melhor momento para efetuar sua compra, e o comparador de preços, que mostra a melhor oferta de preço entre os diferentes vendedores. 

Eles calculam um ROIC médio de 40% para o período de 2020 a 2025 e afirmam que a parceria com o BTG Pactual para oferecer cashback é um movimento estratégico positivo, ao fornecer outra funcionalidade que ajuda os consumidores em sua jornada de compra e melhorar a conversão e frequência de compra.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: impasse dos precatórios deve pressionar bolsa hoje antes dos dados do varejo nos EUA

Além disso, no radar ficam o risco fiscal antes da eleição de 2022 e os dados da economia dos Estados Unidos, com destaque para os pedidos de auxílio-desemprego

NA B3

Ações do setor de saúde foram as que menos sofreram em agosto

Levantamento da Teva Índices mostra que os papéis do comércio e da construção foram os mais castigados no mês passado

NÃO AGRADOU

IBP critica mudanças regulatórias na venda de combustíveis

Representante das grandes distribuidoras de combustíveis defende manutenção do modelo de exclusividade no mercado de revenda de derivados de petróleo

Tempo de entrega menor

Randon terá linha férrea própria no interior de SP

Linha férrea partirá de dentro da fábrica e percorrerá 1,5 km transportando vagões, reboques e semirreboques a um ramal principal na mesma cidade; expectativa é de que a obra fique pronta em 2023

Entrevista exclusiva

Após vender Hortifruti para Americanas, Partners Group quer investir US$ 300 milhões e lançar fundo para o varejo no Brasil

Com um total de US$ 120 bilhões sob gestão, responsável pela gestora suíça no Brasil e América Latina fala ao Seu Dinheiro sobre potenciais alvos de aquisição e “concorrência” com IPOs na B3

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies