Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-12-09T19:18:51-03:00
Carolina Gama
INSHALÁ MUITO OURO

Aura (AURA33) pode mais do que dobrar produção até 2024 e potencial de alta do papel é de 40%

O BTG Pactual projeta preço-alvo de R$ 67 para mineradora e diz que se promessas forem cumpridas, desconto em relação aos seus pares deve diminuir

9 de dezembro de 2021
19:18
Foto mostrando barras de ouro; a Aura (AURA33) é uma mineradora focada nessa commodity
A Aura bateu recordes de produção de ouro no terceiro trimestre, com um crescimento de 7% sobre igual período de 2020 - Imagem: Jingming Pan/Unsplash

Quando Carla Diaz interpretou Khadija em O Clone, ela nunca imaginou que seu bordão “Inshalá. Eu quero muito ouro!” ia ganhar novos contornos para os investidores. Exatos 20 anos depois da primeira exibição da novela, a célebre frase virou a representação do que pode ser o futuro da Aura Minerals (AURA33).

O BTG Pactual iniciou a cobertura para a empresa com recomendação de compra e fixou o preço-alvo para 2022 em  R$ 67, o que implica em um potencial de alta de quase 41,6% em relação ao fechamento desta quinta-feira (9), de R$ 47,31

O banco acredita que a mineradora poderá dobrar sua produção até 2024 em comparação aos níveis de 2020 — e que, nos preços atuais, esse salto ainda não está precificado. 

Segundo os analistas da instituição, os papéis da Aura são negociados com desconto em relação aos seus pares. Portanto, se a empresa cumprir suas promessas de crescimento, esse desconto deve diminuir no médio prazo.

Na avaliação do BTG, adicionar ouro à carteira de investimentos melhora os retornos ajustados ao risco; além disso, a alta exposição ao dólar serve como proteção em relação ao real em tempos de incerteza no Brasil. 

“A Aura pagou um rendimento de dividendos de cerca de 15% em 2021 e tem uma política de dividendos baseada em geração de fluxo de caixa. Espere rendimentos decentes à frente, considerando que a empresa está atualmente com uma posição de caixa líquido”, diz a instituição. 

Riscos da Aura

Apesar de um cenário brilhante estar se desenhando para a Aura, o BTG alerta para os riscos. A instituição chama atenção para o efeito do aperto monetário dos bancos centrais, que pode representar um fator de queda para os preços do ouro. 

Além disso, a instituição cita atrasos de projeto e estouro de capex. “Mesmo que pequenos atrasos possam prejudicar a confiança de curto prazo, acreditamos que isso não deve desfazer a história do longo prazo”, diz a instituição.

A baixa liquidez em comparação com outras empresas pode afastar os investidores e impactar o desempenho das ações no curto prazo, ainda de acordo com o BTG. 

Recorde de produção

A Aura bateu recordes de produção de ouro no terceiro trimestre. Entre julho e setembro deste ano, a mineradora produziu 61,6 mil onças equivalentes de ouro (GEO) —  uma unidade de medida meio estranha mas que mostra um resultado positivo, representando um crescimento de 7% na comparação com o mesmo período de 2020.

Em relação aos volumes acumulados em 12 meses, a companhia atingiu a marca de 260,4 mil GEOs ao fim de setembro, um novo recorde na série histórica.

Aura na bolsa

A Aura tem BDRs negociados na B3 sob o código AURA33; nesta quinta-feira (09), os ativos mostraram terminaram o dia em queda de 3,35%, cotados a R$ 47,31. 

Desde o começo do ano, a queda acumulada é de 8,61%, mas isso não tira a visão positiva do BTG Pactual sobre a empresa, citando que as métricas de retorno acima de 30% mostram como a empresa tem sido capaz de reverter ativos que estavam com baixo desempenho.

“A atual equipe de gestão - em vigor desde 2016 - realizou uma reviravolta na empresa, reduzindo custos, elevando a produção e reiniciando minas paradas”, diz a instituição.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

PRECAUÇÃO EXTRA

Cautela demais atrapalha os negócios? Não para o Bradesco (BBDC4): banco cria nova vice-presidência focada na gestão de riscos

A nova vertical abrangerá as áreas de compliance, conduta, ética e demais setores ligados à gestão de ameaças corporativas

FECHAMENTO DOS MERCADOS

Ibovespa ignora tensão pré-Fed e sobe mais de 2%, fechando no melhor nível desde outubro; dólar volta aos R$ 5,43

O dia tinha tudo para ser como ontem, mas o Ibovespa encontrou forças para voltar aos 110 mil pontos e recuperar as perdas da semana

CRIPTOMOEDAS HOJE

Bitcoin (BTC) sobe forte e apaga parte da queda brusca na semana; veja como operam as principais criptomoedas do mercado

Como outros ativos do risco, a moeda digital também foi afetada pelas tensões entre entre Ucrânia e Rússia nos últimos dias, mas encontrou fôlego para avançar hoje

INTERRUPÇÃO TEMPORÁRIA

Banco Central suspende sistema para consulta de dinheiro ‘esquecido’ em bancos; veja o que está por trás do bloqueio

O BC precisou interromper o funcionamento do sistema lançado ontem após enfrentar instabilidades geradas pelo grande volume de acessos

NOVA DEBANDADA?

Mais um técnico da área de Orçamento da Economia deixa cargo e expõe novo desgaste na equipe de Paulo Guedes

O movimento de saída é comum no último ano de governo, mas agora tem ocorrido mais cedo, ainda no primeiro mês de 2022

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies