Menu
2021-05-03T11:11:33-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Boletim Focus semanal

Mercado revisa expectativas de PIB para cima, mas inflação também deve aumentar, segundo Boletim Focus

Leia os principais destaque da edição desta semana

3 de maio de 2021
11:11
ações gráficos empresários bolsa
Imagem: Shutterstock

O Boletim Focus, divulgado semanalmente pelo Banco Central (BC), trouxe novas perspectivas do mercado para a economia brasileira. Na semana do Copom, que se inicia nesta terça-feira (4), os economistas esperam um aumento do IPCA, o medidor oficial da inflação. O índice deve ficar em 5,04%, um aumento de 0,23 pontos percentuais em relação às estimativas de um mês atrás. 

Mesmo assim, a perspectiva é de que a Selic encerre 2021 em 5,50%. A taxa básica de juros costuma ser usada para controlar a inflação, diminuindo para estimular o crédito e aumentando para conter o avanço de preços. A moeda americana também deve fechar o ano em R$ 5,40.

Confira esses e outros destaques do Boletim Focus desta semana:

IPCA para 2021 aumenta

Os economistas do mercado financeiro alteraram a previsão para o IPCA, o índice oficial de preços, em 2021. O Boletim Focus mostra que a mediana para o IPCA este ano foi de alta de 5,01% para 5,04%. Há um mês, estava em 4,81%.

A projeção para o índice em 2022 foi de 3,60% para 3,61%. Quatro semanas atrás, estava em 3,52%.

O relatório trouxe ainda a projeção para o IPCA em 2023, que seguiu em 3,25%. No caso de 2024, a expectativa permaneceu em 3,25%. Há quatro semanas, essas projeções eram de 3,25% para ambos os casos.

A projeção dos economistas para a inflação está acima do centro da meta de 2021, de 3,75%, sendo que a margem de tolerância é de 1,5 ponto (de 2,25% a 5,25%). A meta de 2022 é de 3,50%, com margem de 1,5 ponto (de 2,00% a 5,00%), enquanto o parâmetro para 2023 é de inflação de 3,25%, com margem de 1,5 ponto (de 1,75% a 4,75%).

Últimos 5 dias úteis

A projeção mediana para o IPCA de 2021 atualizada com base nos últimos 5 dias úteis passou de 5,04% para 5,10%, conforme o Relatório de Mercado Focus. Houve 85 respostas para esta projeção no período. Há um mês, o percentual calculado estava em 4,86%.

No caso de 2022, a projeção do IPCA dos últimos 5 dias úteis foi de 3,61% para 3,69%. Há um mês, estava em 3,61%. A atualização no Focus foi feita por 82 instituições.

Outros meses

Os economistas do mercado financeiro alteraram a previsão para o IPCA em abril de 2021, de alta de 0,38% para 0,32%. Um mês antes, o percentual projetado era de 0,46%.

Para maio, a projeção no Focus foi de alta de 0,36% para 0,40% e, para junho, passou de alta de 0,27% para 0,31%. Há um mês, os porcentuais indicavam elevações de 0,28% e 0,25%, nesta ordem.

No Focus agora divulgado, a inflação suavizada para os próximos 12 meses foi de alta de 4,01% para 4,04% de uma semana para outra há um mês, estava em 3,97%.

Selic permanece em 5,50% 

Os economistas do mercado financeiro mantiveram suas projeções para a Selic (a taxa básica da economia) no fim de 2021. A mediana das previsões para a Selic neste ano seguiu em 5,50% ao ano. Há um mês, estava em 5,00%.

No caso de 2022, a projeção foi de 6,13% para 6,25% ao ano, ante 6,00% de um mês antes. Para 2023, seguiu em 6,50%, valor igual ao de quatro semanas atrás. Para 2024, permaneceu em 6,50%, ante 6,25% de um mês atrás.

Dólar fica em R$ 5,40

O Relatório de Mercado Focus mostrou manutenção no cenário para a moeda norte-americana em 2021. A mediana das expectativas para o câmbio no fim do período seguiu em R$ 5,40, ante R$ 5,35 de um mês atrás.

Para 2022, a projeção para o câmbio permaneceu em R$ 5,40, ante R$ 5,25 de quatro pesquisas atrás.

A projeção anual de câmbio publicada no Focus passou a ser calculada com base na média para a taxa no mês de dezembro, e não mais no valor projetado para o último dia útil de cada ano. A mudança foi anunciada em janeiro pelo Banco Central. Com isso, a autarquia espera trazer maior precisão para as projeções cambiais do mercado financeiro.

PIB de 2021 passa de 3,09% para 3,14%

Os economistas do mercado financeiro alteraram suas projeções para o Produto Interno Bruto (PIB) em 2021. Conforme o relatório, a expectativa para a economia este ano passou de alta de 3,09% para elevação de 3,14%. Há quatro semanas, a estimativa era de 3,17%.

Para 2022, o mercado financeiro alterou a previsão do PIB de alta de 2,34% para 2,31%. Quatro semanas atrás, estava em 2,33%.

No Focus de hoje, a projeção para a produção industrial de 2021 foi de alta de 5,06% para 5,03%. Há um mês, estava em elevação de 5,29%. No caso de 2022, a estimativa de crescimento da produção industrial seguiu em 2,00%, ante 2,50% de quatro semanas antes.

A pesquisa Focus mostrou ainda que a projeção para o indicador que mede a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB para 2021 foi de 64,60% para 65,00%. Há um mês, estava em 64,60%. Para 2022, a expectativa foi de 66,20% para 66,30%, ante 66,20% de um mês atrás.

Déficit primário

Por fim, o boletim trouxe a manutenção na projeção para o resultado primário do governo em 2021. A relação entre o déficit primário e o PIB este ano seguiu em 3,10%. No caso de 2022, permaneceu em 2,00%. Há um mês, os porcentuais estavam em 3,05% e 2,15%, respectivamente.

Já a relação entre déficit nominal e PIB em 2021 seguiu em 7,30%, conforme as projeções dos economistas do mercado financeiro. Para 2022, permaneceu em 6,60%. Há quatro semanas, essas relações estavam em 7,50% e 6,80%, nesta ordem.

O resultado primário reflete o saldo entre receitas e despesas do governo, antes do pagamento dos juros da dívida pública. Já o resultado nominal reflete o saldo já após as despesas com juros.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Tensão em Brasília

Racha no Congresso põe reformas em xeque

A decisão do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), de fatiar a reforma tributária foi vista como a pá de cal nas chances de avanço das reformas no Congresso até o fim do atual governo. Embora Lira tenha prometido abrir o diálogo com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), para definir os próximos passos, […]

Rapidinhas da semana

BLINK: Itaúsa, B2W, Eletrobras e mais recomendações rápidas

Felipe Miranda, sócio-fundador e CIO da Empiricus, fala sobre Alpargatas, Eletrobras, Itaúsa, Lojas Americanas e muito mais no Blink

Reserva de emergência

Jeff Bezos, o homem mais rico do mundo, vende ações da Amazon e põe US$ 5 bi na conta

O bilionário Jeff Bezos vendeu cerca de 1,5 milhão de ações da Amazon nos últimos dias e pode vender outros 500 mil papéis em breve

Reduzindo a participação

CSN começa a se desfazer de suas ações da Usiminas

Aproveitando o bom momento do setor siderúrgico na bolsa, a CSN vendeu mais de 50 milhões de ações preferenciais da Usiminas

O melhor do Seu Dinheiro

A limonada da bolsa e do dólar, as ações mais indicadas do mês e outros destaques da semana

A semana que passou tinha tudo para ser bem azeda para os investidores. No cardápio de notícias dos últimos dias tivemos: A alta da taxa básica de juros e a sinalização de que novos ajustes vêm por aí; Muito barulho político com a CPI da Covid; O projeto da reforma tributária de volta à estaca […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies