Menu
SD Branding
CONTEÚDO PATROCINADO POR Empiricus

Felipe Miranda projetou o Ibovespa a 150 mil pontos. O que ele diz agora?

Enquanto muitos, no pânico desencadeado pelo coronavírus, veem dinheiro virando pó, outros aproveitam para rever estratégias e preservarem o seu patrimônio

18 de março de 2020
9:50
felipe miranda frame
Felipe Miranda, estrategista-chefe da Empiricus - Imagem: Divulgação

O mundo estava preparado para a continuação de um ano que viu o Ibovespa se valorizar 31,58% em 2019. Estamos apenas em março, mas já podemos declarar que nem tudo andou como planejado - o índice já acumula uma queda superior a 30%.

Mas onde foi que os analistas erraram? Bom, ninguém estava projetando os impactos do coronavírus ou o novo choque do petróleo. Essas ameaças simplesmente não existiam no final do ano passado e nem mesmo o maior dos pessimistas poderia prever que algo do tipo poderia acontecer.

Se antes as projeções para a bolsa estavam acima dos 130 mil pontos, hoje já se fala em 80 mil, 70 mil, 60 mil pontos.

Se você acompanha o Seu Dinheiro ou conteúdo de investimentos por aí, sabe que o Felipe Miranda sempre foi um dos especialistas com grandes projeções para a bolsa e passou grande parte do ano passado e começo de 2020 mostrando a razão para acreditar que a bolsa poderia chegar aos 150 mil pontou ou até mesmo atingir 300 mil pontos ao final desse ciclo de valorização.

O momento é de muita incerteza. Muita volatilidade. E o Felipe sabe que o cenário mudou. Então, agora é hora de colocar as cartas na mesa e revisar a sua estratégia.

Os cenários pessimistas são factíveis. A paralisação da economia mundial e o impacto do coronavírus podem arrastar o mundo para uma recessão, com o Ibovespa abaixo dos 70 mil pontos e o dólar pra cima dos R$ 6.

E os 150 mil pontos?

Eles não são uma meta impossível. O Felipe e sua equipe seguem confiantes de que os fundamentos para que ele ocorra ainda estão por aí:

  • o caráter liberal do governo,
  • redução expressiva das taxas de juros,
  • e a recuperação da economia após uma grave recessão.

Mas antes é preciso dar um passo para trás e se proteger.

No curto prazo, não há como negar que o pessimismo deve prevalecer. Mas no longo prazo não há dúvidas de que o bull market iniciado em janeiro de 2016 não está esgotado e irá se reiniciar.

O próprio Felipe pode te explicar essa tese. Basta você clicar no link abaixo.

O QUE ACONTECERÁ COM A BOLSA BRASILEIRA

O momento é o de reavaliar o cenário e traçar estratégias de proteção. Você precisa sobreviver a esse momento negativo e deixar tudo engatilhado para quando o ciclo de alta for retomado.

E é assim que o Felipe e sua equipe estão trabalhando com a carteira Oportunidades de uma Vida - que já entregou mais de 400% em ganhos, mesmo com os solavancos do mercado.

Nos últimos dias, todas as medidas necessárias de proteção e diversificação estão sendo tomadas. Enquanto muitos, no pânico desencadeado pelo coronavírus, veem dinheiro virando pó, outros aproveitam para rever estratégias e preservarem o seu patrimônio.

CONFIRA A PALAVRA DO ESTRATEGISTA PARA MOMENTOS DE CRISE

CONTEÚDO PATROCINADO EMPIRICUS

Vá com calma na bolsa, dizem André Esteves e Felipe Miranda

Esta crise tem um grau inédito de incerteza. Não é hora de ir all in para a bolsa. Opere câmbio apenas para se proteger. Invista com cautela.

Conteúdo patrocinado

Em tempos de crise nos mercados, aposte em ações de qualidade

A regra é clara: retornos passados não são garantias de retornos futuros. Mas, as ações de qualidade sempre se destacam durante as crises. Confira a lista de Melhores Ações da Bolsa

Conteúdo patrocinado

Empiricus baixa valor da assinatura para R$ 5 diante da crise do coronavírus

Objetivo é ajudar o investidor brasileiro a se proteger na crise e identificar oportunidades pontuais durante a baixa dos mercados

Conteúdo Patrocinado

O futuro é incerto. Você tem um plano?

Estamos lidando com o desconhecido. Dê o passo definitivo para manter os seus investimentos salvos e transformar a crise atual na maior oportunidade para você ganhar dinheiro dos últimos 20 anos.

Conteúdo patrocinado

Empiricus baixa valor da assinatura para R$ 5 diante da crise do coronavírus

Objetivo é ajudar o investidor brasileiro a se proteger na crise e identificar oportunidades pontuais durante a baixa dos mercados

Conteúdo patrocinado

Empiricus baixa valor da assinatura para R$ 5 diante da crise do coronavírus

Objetivo é ajudar o investidor brasileiro a se proteger na crise e identificar oportunidades pontuais durante a baixa dos mercados

Conteúdo patrocinado

Empiricus baixa valor da assinatura para R$ 5 diante da crise do coronavírus

Objetivo é ajudar o investidor brasileiro a se proteger na crise e identificar oportunidades pontuais durante a baixa dos mercados

Fechar
Menu