Menu
2020-06-25T15:56:36-03:00
Felipe Saturnino
Felipe Saturnino
De R$ 46 para R$ 52

BTG Pactual eleva preço-alvo da Weg com modelo ‘à prova de crise’ da empresa

No entanto, a recomendação é neutra, já que as ações da Weg já precificam grande parte das oportunidades de crescimento

25 de junho de 2020
15:53 - atualizado às 15:56
Fábrica da Weg em Santa Catarina
Fábrica da Weg em Santa Catarina. - Imagem: Jonne Roriz/Estadão Conteúdo

Nem o coronavírus segurou a Weg (WEGE3).

Nesta quinta-feira (25), o BTG Pactual divulgou um relatório em que apresenta uma perspectiva positiva para a companhia. Segundo o banco, a Weg ostenta um modelo "à prova de crise" que justifica o aumento do preço-alvo de sua ação de R$ 46 para R$ 52 — um potencial de alta de 12,9%.

No entanto, a recomendação é neutra, já que as ações da Weg já precificam grande parte das oportunidades de crescimento e seu "perfil premium" de negócios.

A empresa deverá apresentar números do 2º trimestre mais positivos do que o esperado, informa o BTG, citando conversa com a companhia. O banco vê que as principais linhas de negócios da Weg terão uma recuperação melhor do que a estimada pelo banco.

Para o BTG, a exposição da empresa a países experienciando melhora na atividade econômica, como a China, a depreciação do real e a resiliência de seu backlog de produtos de ciclo longo também sustentam o aumento do preço-alvo do papel.

"A capacidade da empresa de fornecer resultados sólidos no segundo trimestre mostra como o modelo de negócios da Weg é à prova de crise", diz o BTG.

Por volta das 15h45, as ações da Weg disparavam 5,21%, para R$ 48,45. No mesmo horário, o principal índice acionário da B3 operava em alta de 0,32%, aos 94.677,35 pontos. No acumulado do ano, os papéis da Weg já saltaram mais de 40,60% — a bolsa tem queda superior a 18% no período.

O banco reconhece também a crescente digitalização do sistema de manufatura como uma tendência poderosa no futuro, potencialmente adicionando "uma nova e grande avenida de crescimento para a Weg".

"Mais uma vez, a empresa nos surpreendeu positivamente com sua capacidade de adaptar rapidamente sua plataforma de negócios a novas oportunidades de crescimento", diz o BTG, citando eficiência energética, energia renovável, mobilidade elétrica, além da indústria digital.

Os analistas admitem, no entanto, que "avaliar o valor" dessas oportunidades é bastante difícil, dado o estágio inicial da tecnologia atualmente.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

parada desde maio de 2019

Com dívidas de R$ 2,7 bi, Avianca Brasil entra com pedido de falência

Com dívidas que somam R$ 2,7 bilhões, a companhia aérea estava sem operar desde maio do ano passado

os dados da caderneta

Com pandemia, poupança tem captação líquida de R$ 20,5 bilhões em junho

A poupança captou R$ 84,434 bilhões no acumulado do ano. Foi o 4º mês seguido de depósitos na caderneta

Sem empolgação

Aura Minerals estreia na B3 em queda firme e com baixo volume de negociação

Os Brazilian Depositary Receipts (BDRs) da canadense Aura Minerals começaram a ser negociados hoje na B3 — mas os investidores não se mostram muito entusiasmados com o papel

efeito coronavírus?

China confirma suspensão de exportação de carne suína de unidades da BRF e da JBS

Órgão não especifica o motivo do veto, mas as plantas suspensas têm em comum o fato de já terem registrado casos do novo coronavírus entre seus funcionários

dinheiro em gestora

BNDES investe R$ 300 milhões em fundo de participações focado em médias empresas

Alaof V Brasil foi um dos quatro fundos de “private equity” selecionados por meio de chamada multissetorial realizada pelo banco em dezembro de 2018

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements