2020-12-16T19:05:12-03:00
Ivan Ryngelblum
Ivan Ryngelblum
Jornalista formado pela PUC-SP, com pós-graduação em Economia Brasileira e Globalização pela Fipe. Trabalhou como repórter no Valor Econômico, IstoÉ Dinheiro e Agência CMA.
benefícios

Quem ganha mais com ativos da Oi: TIM, Claro ou Vivo?

BTG Pactual avalia que operação resultará em sinergias relevantes e vai reduzir diferença de espectros do vencedor com concorrentes

16 de dezembro de 2020
9:48 - atualizado às 19:05

Em uma operação que marcou o início de uma nova era para o setor de telecomunicações, a Oi (OIBR3) vendeu, na segunda-feira (14), as suas operações de telefonia móvel para um consórcio formado por TIM (TIMS3), Vivo (VIVT4) e Claro por R$ 16,5 bilhões.

Neste novo mundo que se forma, o BTG Pactual aponta para uma grande vencedora, a TIM, que deve ter um ganho de R$ 7,3 bilhões em valor de mercado, ou R$ 3,00 por ação – o equivalente a 21% das cotações atuais.

Os analistas Carlos Sequeira e Osni Carfi calcularam este valor a partir das sinergias que devem surgir com a incorporação da maior parte das operações da Oi – a TIM ficará com 54% do espectro da companhia carioca, 40% de seus clientes e 49% da infraestrutura.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente

As sinergias viriam por meio da otimização das despesas e custos associados à manutenção da rede e investimentos, resultando em ganhos financeiros relevantes.

“A aquisição de 44% das operações de telefonia móvel da Oi pela TIM vai adicionar cerca de R$ 1,8 bilhão em fluxo de caixa operacional livre a mais, antes da incidência de impostos”, diz trecho do relatório.

A compra também ajuda a reduzir a diferença na quantidade de espectro da TIM. Atualmente, ela possui 33,5% menos do que a Claro e 19% menos em relação à Vivo. Com a compra das operações da Oi, a diferença cai para 5% e 11%, respectivamente – a Vivo expandiu a quantidade de espectro com a operação, voltando a ser a maior operadora neste critério.

E a Oi?

No caso da Oi, os analistas do BTG Pactual avaliam que a venda das operações móveis representou mais um passo bem sucedido do processo de reestruturação da companhia.

Com a operação, a companhia já arrecadou o equivalente a 73% do montante previsto com a venda de ativos (R$ 24,5 bilhões).

O próximo passo é a venda de participação em sua empresa de infraestrutura. No certame, previsto para o primeiro trimestre, a Oi espera levantar R$ 6,5 bilhões.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

CERCO FECHANDO?

Com big techs na mira dos órgãos reguladores, Cade britânico manda Meta, a dona do Facebook, vender a Giphy

A Autoridade de Concorrência e Mercados do Reino Unido considera que o negócio tem potencial de prejudicar usuários de mídia social e anunciantes

Tendências da bolsa

AGORA: Ibovespa futuro recua com novos temores sobre a covid-19 no mundo e dólar também cai

Os investidores permanecem de olho na votação da PEC dos precatórios na CCJ do Senado, marcada para esta terça-feira (30)

O melhor do Seu Dinheiro

Ômicron de “A” a “Z”, dividendos, balanço da Black Friday e outros destaques

A variante ômicron recebeu este nome para evitar maiores conflitos de linguagem, mas Matheus Spiess vai além da semântica em sua análise

A BOLSA HOJE

Esquenta dos mercados: notícia sobre possível baixa eficácia das vacinas contra ômicron derruba mercados, em dia de discurso de Powell e votação dos precatórios

O investidor local ainda permanece de olho nas falas de Roberto Campos Neto e Paulo Guedes em eventos separados hoje

SÓ NO SAPATINHO

Dividendos: Arezzo (ARZZ3) vai distribuir R$ 60 milhões aos acionistas; veja como participar

Serão R$ 33,78 milhões em JCP e R$ 26,22 milhões em dividendos a serem depositados até 31 de janeiro de 2022