Menu
2020-07-01T20:10:46-03:00
Estadão Conteúdo
crédito na crise

BTG abre linha de microcrédito para empreendedores, a partir de R$ 500

Mesmo que bilhões de reais tenham sido injetados na economia brasileira para mitigar os efeitos da crise, micro e pequenas empresas acabaram ficando sem crédito em meio à pandemia

1 de julho de 2020
20:10
André Esteves, bilionário fundador do banco BTG Pactual
André Esteves, fundador do banco BTG Pactual - Imagem: CLAYTON DE SOUZA/ESTADÃO CONTEÚDO/AE/

Mesmo que bilhões de reais tenham sido injetados na economia brasileira para mitigar os efeitos da crise, micro e pequenas empresas acabaram ficando sem crédito em meio à pandemia. Foi olhando para esse nicho que o BTG Pactual definiu que atuaria para ajudar a minimizar alguns dos efeitos da crise, que fez minguar as receitas de muitas empresas.

Até o fim deste mês a ideia é conceder R$ 3 milhões em crédito para os micro e pequenos empreendedores - a princípio mil varejistas por todo o País. Para acessar os pequenos, o banco utilizará as tradicionais maquininhas, amplamente utilizadas por muitos deles.

As pequenas e médias empresas (PMEs) já eram um dos focos para a área digital da instituição financeira, segmento que vinha crescendo e que no final de março tinha uma carteira de R$ 3,3 bilhões, com estimativas de subir para até R$ 7 bilhões até o final do ano. Os pequenos empreendedores que não eram clientes do BTG agora chegam para conseguirem uma linha de crédito e manter o negócio de pé.

"Essa iniciativa nasceu de uma provocação interna na unidade de varejo digital, sobre o que poderia ser feito à sociedade nesse contexto de pandemia. Fizemos uma seleção para pegar os menores, com tíquete a partir de R$ 500, o que seria uma complementação de renda", afirma o responsável por PMEs do BTG, Gabriel Motomura, em entrevista ao Broadcast. Partindo de R$ 500, a linha de microcrédito vai até R$ 15 mil, com prazo de 24 meses para pagar, com 6 meses de carência e condições facilitadas.

Um dos primeiros a receber o crédito, na semana passada, foi Gustavo Henrique Santos Manaces, de 22 anos, proprietário de uma franquia de limpeza sustentável de automóveis em Ipatinga, Minas Gerais. Com suas receitas caindo cerca de 50% com a pandemia, já que muitos carros ficaram parados em casa, ele precisou de crédito para pagar algumas contas do negócio, dentre elas os royalties da franquia. A empresa dona da marca postergou os pagamentos dos últimos três meses, mas as contas recairiam em julho e o caixa não seria suficiente. Ao procurar um banco, em maio, não conseguiu acessar o crédito. "Agora deu para dar uma respirada", comenta. Gustavo Henrique ficou sabendo dessa linha do crédito por meio de sua maquininha de pagamento. Ao entrar no site da empresa se deparou com essa linha.

Para chegar ao Gustavo e aos demais empreendedores que até aqui nunca tinham tido acesso ao banco, o BTG fechou uma parceria com a fintech Justa, de meios de pagamento e oferta de crédito, que atua em todo o território nacional.

"O objetivo é chegar nos mais afetados pela crise, como salões de beleza, oficinas mecânicas, padarias, armarinhos e outros pequenos varejistas, com linhas que façam com que eles consigam voltar à atividade, com capital para comprar estoque, por exemplo. A ideia é dar dinheiro para o negócio voltar a girar", destaca o responsável pela carteira de crédito do banco, Rogério Stallone. Segundo o executivo, a digitalização permite que esse crédito chegue na ponta nas mais diversas regiões do País.

Motomura frisa que, além das maquinhinhas, outra forma de chegar aos pequenos e médios, com um tíquete médio um pouco maior, entre R$ 15 mil e R$ 30 mil, é por meio da antecipação de recebíveis. "É um processo aderente ao open banking, que viabiliza esse tipo de negócio", comenta.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Dança das cadeiras

Bradesco anuncia mudanças na executiva e cita desafios concorrenciais e da covid

A vice-presidência com foco nos clientes vai abrigar o cargo de Chief Customer Officer (CCO).

PODCAST TELA AZUL

Tela Azul #21: Um fundo de investimentos focado em games!

Na edição desta semana do Tela Azul, recebemos o Rodrigo Knudsen, gestor do fundo Vitreo Tech Games.

estreia boa

Assaí sobe mais de 400% e Pão de Açúcar cai mais de 68%. Tá certo isso?

Como listagem ocorreu após cisão das operações do atacarejo, e não IPO, ações estão passando por reajuste para refletir nova realidade

Agora vai?

Bolsonaro diz que ‘está quase tudo certo’ para nova rodada do auxílio emergencial

Segundo Bolsonaro, o novo valor do auxílio, acordado em R$ 250 por quatro meses, está “acima da média do Bolsa Família, que é de R$ 190”.

Exile on Wall Street

Águas de março para salvar o verão: cinco ações bem quentes

O boletim do primeiro bimestre de 2021 traz notas vermelhas.  A alta dos juros de mercado trouxe aumento da atratividade relativa da renda fixa e preocupações com o valuation de nomes de crescimento.   Internamente, a falta de clareza sobre nossa trajetória fiscal e o temor de adoção de maior intervencionismo estatal na economia impuseram perdas […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies