Menu
2020-06-09T18:46:15-03:00
Felipe Saturnino
Felipe Saturnino
Subiram mais de 250% desde a mínima

Ações de Gol, Via Varejo e CVC são as que mais se recuperaram na crise, diz Economatica

Levantamento classifica as maiores variações de papéis desde a cotação mínima atingida durante a crise

9 de junho de 2020
15:37 - atualizado às 18:46
Avião da companhia aérea, Gol
Imagem: Divulgação/Gol

A ação da Gol (GOLL4) foi a que a teve a recuperação mais intensa durante o período da crise desencadeada pela pandemia do coronavírus, seguida por Via Varejo (VVAR3) e CVC (CVCB3), de acordo com levantamento da Economatica.

Após o preço mínimo atingido de R$ 5,60, em 18 de março, o papel da companhia aérea foi cotado a R$ 23,99 no fechamento desta segunda-feira (8) — o que representa alta de 328,39%. Nesta terça, a Gol cai 4,75%, para R$ 22,85.

O dado mostra uma retomada vigorosa em meio a condições mais favoráveis do mercado, mas ainda não quer dizer que o preço voltou aos níveis pré-crise. O que mostra isso é a queda de 29,07% que a ação da Gol ainda tem em relação a esse patamar.

O levantamento da Economatica considera os preços das ações do dia 21 de fevereiro como referência. Na ocasião, o preço do papel da Gol valia R$ 33,82.

Aquela sessão do mercado foi marcada por tensão nos negócios, tanto na bolsa quanto no câmbio. Os investidores reagiram com cautela à disseminação do coronavírus por outros países, além da China.

Confira a lista com as maiores recuperações do levantamento da Economatica

As outras recuperações

Via Varejo e CVC completam o pódio das empresas do Ibovespa que mais se recuperaram na crise, diz a Economatica.

A varejista teve a segunda maior alta desde o seu vale no período. O menor preço a que caiu o papel da Via Varejo foi R$ 4,10, verificado em 3 de abril. Ao preço de fechamento ontem, a ação valia R$ 15,50, um salto de 278,05% em relação à mínima.

Mas, no patamar pré-crise, uma ação da Via Varejo valia R$ 16,64 — ou seja, ainda está 6,85% abaixo dele. Hoje, a Via Varejo cai 2,13%, para R$ 15,17.

A CVC, por sua vez, saiu de R$ 6,49, na mínima alcançada em 18 de março, e no fechamento de ontem tinha valor de R$ 23,04, uma disparada de 255%. Em relação ao preço-base, no entanto, a ação ainda está 25,39% abaixo. A CVC sobe 4,38%, para R$ 24,05, nesta sessão.

Azul (AZUL4), Braskem (BRKM5) e BTG Pactual (BPAC11) são outros destaques. A petroquímica avançou 173,58%, ainda 10% abaixo do nível antes da turbulência. Hoje, a Braskem cai 1,52%, para R$ 27,13.

A aérea subiu 164% desde o preço mínimo, e, sobre o pré-crise, o preço da ação tombou 50,85%. O banco avançou 152,85%, estando 9% abaixo do preço pré-covid. As ações de Azul caem 5,30%, para R$ 25,90, e as units do BTG tem alta de 0,42%, para R$ 66,30.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

abaixo do esperado

Pedidos de auxílio-desemprego nos EUA caem 228 mil na semana

número ficou abaixo da expectativa de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, que previam 1,1 milhão de solicitações

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta quinta-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

exile on wall street

A eterna morte das Big Techs

Se o retorno com as ações de Apple, Google e Facebook tem sido excepcional na última década, intacto através de subprimes e pandemias, onde está o risco?

Mercados hoje

Ibovespa opera em alta e dólar cai com alívio fiscal e indicadores no Brasil e nos EUA

Fala de Bolsonaro sobre teto de gastos e indicadores no Brasil e nos EUA aliviam um pouco a pressão sobre a bolsa e o dólar

queda na receita

Volume de serviços sobe 5% em junho ante maio, mas cai 12,% ante junho de 2019

A taxa acumulada no ano foi de redução de 8,3%. Em 12 meses, os serviços acumulam queda de 3,3%.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements