Menu
2020-02-21T18:39:06-03:00
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
Tudo o que a gente quer ver

Ações das Lojas Americanas disparam mais de 7% com mercado digerindo seus resultados fortes em 2019

Visão dos investidores é de que a companhia entregou números consistentes e bastante satisfatórios

21 de fevereiro de 2020
15:12 - atualizado às 18:39
Lojas Americanas
Imagem: Wikipedia

A sexta-feira de carnaval veio com um gostinho especial para os acionistas das Lojas Americanas, que viram os papéis (LAME4) da empresa dispararem na bolsa após a divulgação do balanço anual na noite desta quinta-feira (20).

No fechamento do pregão, as ações preferenciais das Americanas subiram 7,68%, negociadas a R$ 28,90. No meio do dia, chegaram a registrar alta de mais de 9%.

A companhia registrou um lucro líquido de R$ 704,1 milhões no ano de 2019, número que representa uma extraordinária alta de 130,4% na comparação com o ano anterior. Grande parte do resultado se deve ao desempenho das Lojas Americanas no 4º trimestre de 2019, quando a empresa teve lucro líquido de R$ 596,6 milhões, alta de 143% na comparação com o mesmo período de 2018.

Todos os principais números vieram positivos. Em termos de receita líquida, a empresa alcançou R$ 18,662 bilhões em 2019, alta de 5,5%. Já a geração de caixa medida pelo Ebitda (Lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) fechou o ano passado em R$ 3,456 bilhões, alta e 10,9%.

  • Lucro líquido (2019): R$ 704,1 milhões (↑130,4%)
  • Ebitda (2019): R$ 3,456 bilhões (↑10,9%)
  • Receita Líquida (2019): R$ 18,662 bilhões (↑5,5%)

‘Tudo o que queremos ver’

Foi exatamente com essa frase que o banco Credit Suisse abriu seu relatório para comentar o balanço da Lojas Americanas. Os analistas se mostraram bastante animados com os números apresentados, destacando o forte desempenho da empresa no segmento de comércio online.

Apesar de estar em linha com as estimativas do banco, os números mostram que a companhia entrou em 2020 com bastante força e uma geração de fluxo de caixa bastante positivo.

Na visão do Credit, esse panorama traz uma base sólida para que as ações das Americanas entreguem resultados positivos nos próximos meses, que podem ser incrementados caso os números financeiros da empresa sigam em alta.

Conjunto consistente

Na mesma linha de análise do Credit Suisse, o banco BTG Pactual também recebeu de maneira positiva o balanço das Lojas Americanas. De acordo com os analistas, ainda que bons resultados trimestrais fossem esperados, “eles reforçam uma melhora nos negócios da companhia no último semestre de 2019”.

O BTG também ressaltou sua perspectiva positiva para os próximos resultados das Americanas, sobretudo no que tange o setor de comércio eletrônico. Essa visão sustenta a recomendação de compra dos papéis, com preço-alvo de R$ 28 em doze meses.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

balanço

Diesel e gasolina fecham semestre em queda, diz Ministério de Minas e Energia

Segundo o MME, o fator de utilização das refinarias da Petrobras também foi reduzido no final do primeiro semestre

Pedra no sapato do governo

Congresso poder por obstáculo às vendas de estatais

Para o Congresso, a companhia não poderia ter transferido as refinarias para novas empresas criadas apenas para serem vendidas ao setor privado

agenda do governo

Sem privatizar estatais, governo quer liquidar Ceitec

Maior desejo do governo ainda é privatizar a Eletrobras, mas, para isso, será preciso convencer o Congresso a aprovar um projeto de lei que autorize capitalizar a companhia e reduzir a participação da União

Diagnóstico confirmado

Bolsonaro testa positivo para o coronavírus e mercados brasileiros pioram

Em entrevista concedida mais cedo, o presidente Jair Bolsonaro confirmou que seus testes para a Covid-19 deram positivo — informação que elevou a cautela nos mercados brasileiros

Cautela

Verde vê ‘dose alta de incerteza’ no Brasil e mantém risco menor que o habitual

Em relatório de gestão, fundo Verde diz que Brasil terá que conviver com pandemia até haver uma vacina e que sequelas fiscais vão perdurar por muitos anos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements