Menu
2020-05-15T20:14:50-03:00
Felipe Saturnino
Felipe Saturnino
Graduado em Jornalismo pela USP, passou pelas redações de Bloomberg e Estadão.
Recessão forte

BTG Pactual projeta queda de 7% do PIB em 2020 e vê dólar a R$ 5,50

Banco também prevê um corte de 0,75 ponto da Selic em junho, no que seria o movimento final de flexibilização pelo Banco Central

15 de maio de 2020
20:14
pib 2020
Imagem: Shutterstock

O BTG Pactual revisou a sua projeção de PIB para 2020 e agora espera uma queda de 7% na atividade econômica, frente à expectativa anterior, de retração de 4%, segundo relatório. A expectativa para crescimento da economia no ano que vem passou de 3% para 3,5% pelo efeito de "carry over" ou herança estatística.

Os dados econômicos de abril demonstraram, segundo o BTG, que o impacto das medidas de isolamento social são maiores do que o previsto inicialmente.

Além disso, há incertezas sobre a duração das restrições de circulação, já que a epidemia continua a avançar em número de contágios e não há sinais de retomada da economia.

Para o primeiro trimestre, o banco reduziu sua expectativa de retração do PIB de -2,5% para -1,3%, já que o isolamento social acentuou um quadro de desaceleração, segundo o BTG.

Mas o tombo projetado para o trimestre seguinte foi acentuado, de -6,8% para -14,6%, com a perspectiva de que setores não-essenciais e de lazer não serão reabertos, reduzindo ainda mais o nível da atividade econômica.

O PIB deve começar a se recuperar a partir do terceiro trimestre, mas a taxa de desemprego deve terminar o ano em 16%, de acordo com as previsões do banco.

Dólar e juros

O BTG espera agora que o dólar termine o ano R$ 5,50, acima da expectativa anterior, de R$ 4,80. A revisão se deve ao cenário adverso para a economia, a deterioração fiscal e um patamar menor do juro básico.

As contas públicas agora deverão encerrar 2020 com déficit de R$ 940 bilhões, levando a dívida pública para 95% do PIB, disse a instituição.

A aposta do BTG é também de uma moderação adicional — e derradeira — da taxa Selic por parte do Banco Central na reunião Comitê de Política Monetária (Copom) em junho.

A dose do corte deverá ser de 0,75 ponto, aponta o relatório. Para o banco, o BC está atento às chances de uma contração maior que a esperada se materializar, mas está limitado pelo risco fiscal, que impõe uma cautela na margem. Neste último caso, o comitê reduziria a taxa básica de juros em 0,5 ponto.

Inflação

Segundo o banco, ainda assim o cenário inflacionário é benigno, especialmente para 2020. A inflação para este ano foi revista nas projeções do BTG, passando de 2,3% para 1,8%, com efeitos da desaceleração econômica e da queda do preço do petróleo no mercado internacional compensando a alta do dólar.

A perspectiva para 2021 também é positiva, tendo a projeção para o ano sido reduzida de 3,4% para 3,2%, mas há riscos em ambas as direções.

Para cima, a recuperação dos preços de combustíveis deve acompanhar a do petróleo, além de maiores preços de eletricidade como consequência de margens maiores após o pacote de salvamento do setor e o provável diferencial de tarifa elétrica pela bandeira indicada.

Para baixo, há os riscos de uma pequena demanda, o que poderia manter uma baixa inflação de serviços para o horizonte previsível.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Fechamento

Dólar sobe, Eletrobras fecha em queda no exterior e ações de tecnologia sustentam alta de índices nos EUA

Renúncia de Ferreira Junior ao cargo de presidente da estatal brasileira afeta confiança dos investidores na privatização; S&P 500 e Nasdaq fecham em alta

SD PREMIUM

Segredos da bolsa: Ata do Copom é destaque em meio à preocupação com covid-19 e cenário fiscal

A queda do EWZ, o principal fundo de índice com ações brasileiras em Nova York, indica uma reabertura no vermelho para o Ibovespa na volta do feriado

Futuro da estatal

‘Temos dentro da Eletrobras profissionais capazes de me suceder’, diz Wilson Ferreira

Após deixar presidência, Wilson Ferreira responde se há conflito de interesse ao se manter no conselho da Eletrobras e, ao mesmo tempo, presidir a BR Distribuidora

Expectativas

Novo presidente da Eletrobras (ELET3) deve dar prioridade à privatização, diz Caio Megale

Após saída de Wilson Ferreira, analista afirma que ‘a privatização da Eletrobras tem sua importância pela sua situação atual e pelo seu grau de maturidade (para ser privatizada)’

Reformas

‘Vamos limpar a pauta, destravando o horizonte de investimentos’, diz Paulo Guedes

Ministro prometeu que o governo não irá aumentar impostos e reforçou que a atividade está se recuperando em ‘V’

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies