Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-03-23T19:26:31-03:00
Felipe Saturnino
Felipe Saturnino
Graduado em Jornalismo pela USP, passou pelas redações de Bloomberg e Estadão.
Compre Vale

Vale é ‘abrigo’ contra a crise do coronavírus, diz BTG Pactual; confira as razões

Procurando por um alívio na carteira? A Vale possui baixa alavancagem e geração de fluxo de caixa livre robusta, além da expectativa de que volte a pagar dividendos ainda em 2020, diz o BTG

23 de março de 2020
12:52 - atualizado às 19:26
Navio da Vale
Imagem: Agência Vale

O ADR — recibo que representa ações e é negociado na Bolsa de Valores de Nova York (Nyse) — da mineradora Vale oferece características defensivas que podem amortecer um desempenho de baixa ou garantir performance relativamente superior à média de seus pares.

Esta é a visão do BTG Pactual apresentada em relatório nesta segunda-feira, 23, assinado pelos analistas Leonardo Correa e Caio Greiner. A mineradora é a escolha principal do banco em razão do seu perfil de "abrigo" para uma situação turbulenta como a atualmente vista nos mercados.

Embora refira-se ao ADR, a recomendação também é válida para as ações aqui na B3, já que a tendência é que as cotações andem juntas.

Segundo o BTG, ainda que seja tipicamente uma má ideia comprar ações ligadas a commodities no meio de uma recessão, a recuperação da China e a normalização dos negócios por lá são razões para o otimismo com a Vale.

"É incrível que até agora os riscos aos lucros parecem ser bem nulos para a companhia", diz o BTG, citando um descolamento entre o desempenho da ação e os fundamentos do mercado do minério de ferro.

Como explicar a boa perspectiva com a Vale? O BTG enumerou cinco motivos:

  1. Baixa alavancagem, com a relação entre dívida líquida-Ebitda em 0,5, o que minimiza riscos de insolvência;
  2. Indicação de geração de fluxo de caixa livre robusta, com provável Ebitda acima dos US$ 15 bilhões, colocando a empresa em um nível de rendimento perto de 20%.
  3. Fundamentos do minério de ferro mantêm-se com a mesma performance, mesmo em meio à normalização na China e os desafios agudos de oferta da commodity
  4. As baixas expectativas atuais: o BTG prevê queda para US$ 75 no preço da commodity (que até agora se manteve estável entre US$ 90 e US$ 95), sendo que a ação da Vale hoje implica o minério cotado a um preço menor, na casa dos US$ 50, nível hoje muito improvável;
  5. Os dividendos da mineradora, que, segundo o BTG, a Vale pode voltar a pagar no segundo semestre do ano.

O BTG espera que a Vale tenha um desempenho acima da média de seus pares no curto prazo. Nesta perspectiva, o ADR da companhia deve estreitar a diferença de desempenho em relação aos preços do minério, que têm se sustentado no mercado internacional — sem, portanto, apresentar ameaça aos lucros da empresa.

Deste modo, o banco avista ainda um potencial de alta para o ADR da empresa e recomenda compra. Ainda assim, o preço-alvo do ADR foi reduzido de US$ 15,50 para US$ 13 pelo banco, que antecipa que a diminuição do risco relacionado às ações ocorrerá gradualmente.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Fusão cheia de travas

Na Omega Geração (OMGE3), um grupo importante de acionistas está descontente — e quer barrar os planos da empresa

Fundos detentores de 28,6% da Omega Geração (OMGE3) se uniram e dizem que não vão aprovar a fusão com a Omega Distribuição nos termos atuais

Potencial de 36% de alta

Como fica a XP após a separação do Itaú? Para o JP Morgan, é hora de comprar as ações da corretora

A equipe do JP Morgan vê as pressões vendedoras nas ações da XP após a separação com o Itaú se dissipando; assim, a recomendação é de compra

Digitalização

A hora e a vez do e-commerce: com pandemia, comércio online mais que dobra e já chega a 21% das vendas do varejo

O fechamento das lojas físicas promovido pela pandemia fez o setor de varejo acelerar a aposta no e-commerce e nas vendas digitais

A bolsa como ela é

Stone, Inter e Méliuz caem forte na bolsa. É o fim das fintechs como as conhecemos?

Muito desse movimento tem a ver com a subida dos juros. Mas alguns fatores específicos também pesaram sobre as ações. Em alguns casos, pesaram com razão; em outros, nem tanto

Ajuste seu relógio

Pregão terá uma hora a mais a partir de novembro; entenda a mudança e veja a nova agenda da bolsa

As alterações começam a valer a partir do dia 8 de novembro; a B3 vai ajustar a bolsa para refletir o fim do horário de verão nos EUA

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies