Menu
2019-03-08T18:05:29-03:00
Estadão Conteúdo
Jornal gringo de olho na Previdência

Financial Times cita “xixigate” e pergunta se agenda de costumes prejudicará reformas

Em reportagem espercial, publicação britânica lança temores de que Bolsonaro esteja excessivamente concentrado em disputas digitais desnecessárias

8 de março de 2019
18:05
Jair Bolsonaro
Certas frases, conforme o FT, podem definir presidências - Imagem: Shutterstock

O jornal britânico de economia Financial Times publicou nesta sexta-feira, 8, uma reportagem sobre o Brasil em sua versão online que traz uma pergunta sobre a recente atuação do presidente: as "Guerras de cultura" de Jair Bolsonaro vão prejudicar as reformas econômicas do Brasil?". O texto do FT salienta que o "xixigate" aumenta os temores de que o presidente esteja excessivamente concentrado em disputas digitais desnecessárias.

Certas frases, conforme o diário, podem definir presidências. O presidente dos EUA, John F. Kennedy, disse: "Não pergunte o que seu país pode fazer por você, pergunte o que você pode fazer pelo seu país."

Nesta semana, Jair Bolsonaro, o novo presidente do Brasil, cunhou algumas frases reveladoras, segundo a publicação. "Não me sinto confortável em mostrar, mas temos que expor a verdade", escreveu em um tuíte ligado a um vídeo obsceno. "É isto que tem virado muitos blocos de rua no carnaval brasileiro", acrescentou o presidente.

O site salientou que críticos pediram ao Twitter que banisse o presidente da rede social ou que o Congresso abrisse processo de impeachment por causa do "xixigate". Também que defensores elogiaram sua "razoabilidade". Um conselheiro leal defendeu o tuíte como uma demonstração corajosa de degeneração pública - validando assim o apelo de Bolsonaro às armas por valores familiares e pela moralidade cristã tradicional.

Se o objetivo de Bolsonaro era desviar a atenção do público de outros problemas, ou revidar as sátiras carnavalescas feitas em relação a sua presidência e pessoa, de acordo com o texto, ele conseguiu em parte. Dois trending topics brasileiros desta semana foram #BolsonaroEstaCerto e #PresidenteGoldenShower. Havia ainda #ImpeachmentBolsonaro e #VergonhaDoPresidente.

O FT lembrou que mais de 58 milhões de brasileiros votaram em Bolsonaro nas eleições do ano passado, apesar de seu histórico de comentários incendiários e provocativos. De fato, para muitos, a abordagem das guerras culturais de Bolsonaro foi central em seu apelo.

Uma preocupação agora, no entanto, é que seu estilo de governo esteja excessivamente focado em guerras culturais e disputas digitais desnecessárias, e que isso poderia prejudicar as principais reformas econômicas e o papel do Brasil como a maior democracia da América Latina.

"Podemos voltar a discutir Venezuela e a reforma da Previdência agora?", perguntou o analista político Oliver Stuenkel.

Bolsonaro, cujo índice de aprovação pública caiu de 65% para 39%, deve se reunir com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, em Washington, dentro de dez dias.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

medida anticrise

Governo vai prorrogar novamente corte de jornada e salário

Programa foi anunciado em abril como medida para evitar um aumento ainda maior do desemprego diante da pandemia do novo coronavírus

defesas na corte

STF julga ação sobre venda de refinarias da Petrobras; veja o que já foi dito

Corte analisa um pedido de autoria do Senado Federal que alega que o governo federal estaria desmembrando a empresa para vender ativos; julgamento acontece nesta quinta

atenção, acionista

Hypera paga R$ 185,4 milhões em juros sobre capital próprio

Segundo a empresa, serão de R$0,29290 por ação ordinária, com retenção de imposto de renda na fonte; veja condições

PANDEMIA NO PAÍS

Brasil registra 1.031 mortes por coronavírus nas últimas 24 horas

O último registro acima de mil mortes pela covid-19 havia ocorrido em 15 de setembro

privatizações

‘Paulo Guedes está desequilibrado’, diz Maia após acusação

Ministro falou que há boatos de que o deputado fez um acordo com a esquerda para não pautar as privatizações

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements