Menu
2019-08-29T18:02:08-03:00
Larissa Santos
Só as mais mais

Magazine Luiza é marca que mais cresceu no país; Itaú lidera ranking

Em 2019, o valor total das 25 marcas mais valiosas do país bateu R$ 129 bilhões, segundo ranking da Interbrand, um recorde histórico. Bancos e cervejas seguem no top 5, mas há novatos avançando na lista

29 de agosto de 2019
16:09 - atualizado às 18:02
Banco Itaú Unibanco
Itaú: banco mantém liderança do ranking, seguido por Bradesco Imagem: Shutterstock

Feche seus olhos e pense nas cinco marcas brasileiras que você mais consome. Quais imagens aparecem na sua mente? Talvez o laranja do Itaú? A assistente virtual do Magazine Luiza? O slogan da Skol? O verde da Natura? O logo da Renner? Se você pensou em alguma delas, não está sozinho. Todas aparecem no ranking das 25 Marcas Brasileiras Mais Valiosas em 2019, produzido pela Interbrand, consultoria global de marcas, divulgado na noite desta quarta-feira (28).

Em 2019, o portfólio total dessas marcas resultou em um acumulado de R$ 129 bilhões. Trata-se de um recorde na história do ranking, produzido pela consultoria desde 2010. Numa economia que 'balança, mas não cai', estas empresas conseguiram, juntas, aumentar em 7,65% seu valor em relação ao ano anterior.

O cálculo da Interbrand é feito a partir de uma metodologia que leva em conta performance financeira, percepção e influência das marcas junto aos consumidores (veja mais abaixo).

Mas, direto ao ponto, quem levou a melhor neste ano? Quanto a isso, nenhuma surpresa: com uma marca avaliada em R$ 33,5 bilhões, o Itaú se valorizou 13% desde o ano passado e manteve a dianteira pelo décimo levantamento consecutivo. A instituição é seguida com certa distância pelo Bradesco, que cresceu 10% e alcançou a marca de R$ 24,8 bilhões.

O líder despontou 9 anos atrás com valor de R$ 20,6 bi e, após uma oscilação negativa entre 2012 e 2013, engatou uma forte crescente a partir de 2014.

Há cinco anos, o topo do ranking é dominado por empresas dos setores financeiros e cervejeiro. Em 2019, a soma do valor das cinco maiores marcas correspondeu a 76% do total das 25.

Confira o ranking das 25 Marcas Brasileiras mais Valiosas em 2019:

As marcas brasileiras mais valiosas de 2019, segundo o Interbrand
As marcas brasileiras mais valiosas de 2019, segundo o Interbrand - Imagem: Interbrand

Magalu surpreende

O momento difícil da economia brasileira não impediu que Magazine Luiza, CVC e Localiza apresentassem crescimentos expressivos no período. As empresas apresentaram valorizações de 46%, 21% e 21%, respectivamente.

O incrível Huck do Varejo, o Magalu quase triplicou de valor desde 2016, saltando para a casa do R$ 1 bilhão. Até pouco tempo atrás, o Magalu aparecia no ranking ocasionalmente. Agora, tudo indica que veio para ficar, se afastando da lanterninha e ocupando a décima quarta posição.

O Interbrand ressalta que o Magazine Luiza passou as barreiras do varejo, criando uma lapidada cadeia de e-commerce. A marca foi capaz de democratizar o consumo de produtos pelo formato digital. Também conseguiu estabelecer um bom relacionamento com seus consumidores, investindo no pós-venda e até criando tutoriais para seus produtos.

Já a agência de viagem e a locadora de veículos foram notáveis no quesito engajamento, sendo bem avaliadas por "ouvir e dialogar" com os clientes. Segundo o site  Net Promoter Score, ambas são altamente recomendadas por quem utiliza seus serviços, sendo a Localiza a primeira entre as 25 marcas, e a CVC a mais bem posicionada de seu ramo.

As estreantes

As grandes novidades da tabela de 2019 são as redes de supermercados Assaí e Atacadão, ambas do segmento de atacado. Em um ano, o Assaí obteve um aumento de 20% de valor, a quarta maior variação percentual do ranking. A dupla surfou na longa crise econômica, se posicionando como alternativas mais baratas em um momento de dificuldade financeira da população.

Quem vai para o ranking?

A consultora global de marcas desenvolveu em 1988 uma metodologia própria para avaliar as empresas brasileiras e formular o ranking, em uma parceria com a London Business School.

Para a classificação, são analisadas as formas pelas quais uma marca consegue influenciar o desempenho de uma empresa. Para tanto, é examinando seu impacto em consumidores, funcionários, investidores e fornecedores.

A metodologia para avaliar o "Valor de Marca" possui três etapas: a análise financeira, o papel da marca no comportamento de compra e a avaliação da força da marca para criar lealdade.

Realizada em todo o Brasil, a pesquisa reuniu mais de mil entrevistados que avaliaram cerca de cem marcas, resultando em um amplo panorama do cenário atual e impressões positivas e negativas de diferentes marcas em diversos segmentos.

O leque de segmentos avaliados é amplo indo desde vestuário, telecom, saúde, bancos e afins.

Os critérios básicos para uma marca poder participar do ranking são:

1. Ser de origem brasileira;

2. Ter informações financeiras públicas;

3. Publicar resultados individuais das marcas;

4. Gerar lucro econômico positivo;

Se a marca atender aos quatro aspectos, a Interbrand parte para a avaliação.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Preferimos ter um lado fiscal um pouco pior para que as pessoas possam honrar seus contratos, diz Campos Neto

O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, destacou que a instituição se preocupa em dar condições às empresas cumprirem suas obrigações financeiras, evitando um movimento de quebra massiva de contratos

Crise da Covid-19

Brasil ultrapassa marca de 10 mil casos de coronavírus

Em 24 horas, o Brasil notificou mais de mil novos casos de coronavírus e outros 72 casos fatais. A taxa de mortalidade no país está em 4,2%

Em conversa com o setor de varejo

Governo faz o máximo para o dinheiro chegar à ponta final, diz Guedes

O ministro Paulo Guedes, participou de conferência com líderes do setor de varejo neste sábado, detalhando as inciativas do governo na crise do coronavírus

Guerra de preços

Arábia Saudita e Rússia continuam trocando farpas e trazem preocupação ao mercado de petróleo

Arábia Saudita e Rússia voltaram a trocar acusações no âmbito da guerra de preços do petróleo — e já se começa a falar que a reunião emergencial da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) da próxima segunda-feira foi por água abaixo

Impactos

Crise do coronavírus reduz consumo de carne e já paralisa 11 frigoríficos no país

A indústria da carne já começa a sentir os primeiros efeitos da crise do coronavírus, com uma menor demanda por produtos — o que paralisa alguns frigoríficos no país

Seu Dinheiro no Sábado

MAIS LIDAS: Um bilionário na luta contra o coronavírus

A notícia a respeito das iniciativas do bilionário Elon Musk no combate à pandemia de coronavírus foi a mais lida dessa semana no Seu Dinheiro

Ano difícil

Braskem fecha 2019 com prejuízo líquido de R$ 2,8 bilhões, revertendo o lucro de 2018

A Braskem encerrou 2019 com um prejuízo bilionário e contração nas receitas e no Ebitda em relação a 2018

LIÇÕES PARA AVALIAR UM NEGÓCIO

8 formas de saber se é um bom investimento

Na escola, seu boletim é a marca do seu sucesso. Nos negócios, são as demonstrações financeiras. Se você quer ser bem-sucedido, precisa saber como tirar conclusões sobre a saúde da empresa e seu potencial.

Queda do petróleo

Distribuidoras de gás natural pedem à Petrobras antecipação na redução do preço

Associação Brasileira de Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás) solicitou à Petrobras uma antecipação para 1 de abril na redução do preço do gás natural que vai ocorrer em maio deste ano, da ordem de 10%

Vendendo aéreas

Warren Buffett vende US$ 390 milhões em ações de companhias aéreas americanas

Buffett reduziu de seu portfólio o número de papéis da Delta Air Lines em 13 milhões, e da Southwest Airlines, em 2,3 milhões

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements