Menu
2019-05-07T16:56:13-03:00
Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.
O caçador de boas empresas

Guru dos emergentes aposta em varejistas e empresas com liderança global, mas está cético com os bancos

Na avaliação de Mark Mobius, as Lojas Americanas podem se beneficiar da volta do consumo brasileiro e na questão do comércio eletrônico

7 de maio de 2019
15:26 - atualizado às 16:56
Mark Mobius
Mark Mobius, CEO da Mobius Capital - Imagem: Valeria Gonçalvez

Sempre vestido de maneira exótica, o guru dos emergentes, Mark Mobius, CEO da Mobius Capital, está de volta ao Brasil e disse que está cada vez mais convencido de que o país pode decolar.

Em evento do BTG Pactual, ele destacou hoje (7) que nem mesmo a reforma da Previdência pode atrapalhar as suas compras pelo menos por agora. "Estou olhando a direção para onde as coisas estão indo, mas, no geral, eu costumo olhar mais para o crescimento, empresas com bom balanço e com boa rentabilidade".

Ao falar sobre as apostas, ele disse que a atenção está voltada para as Lojas Americanas e para a small cap, Iochpe-Maxion, que possui 31 fábricas de rodas e componentes estruturais e que está presente em 14 países. Ambas são empresas em que o gestor já investe. Hoje, a gestora possui cerca de US$ 180 milhões em ativos sob sua gestão.

Na avaliação dele, as Lojas Americanas podem se beneficiar da volta do consumo brasileiro e na questão do on-line. Já a Iochpe-Maxion é uma das preferências do empresário por conta da várias fábricas que possui localizadas em vários lugares do mundo e também por causa da grande expertise na área.

Outro ponto citado por Mobius foi a questão de investir em empresas com bom ESG (sigla em inglês para um método de avaliação das questões ambientais, sociais e de governança das empresas). Para ele, as companhias com esse tipo de preocupação produzem mais resultado e acabam sendo mais rentáveis.

Governo Bolsonaro

Ao ser questionado sobre o que achava da performance do governo, Mobius disse que Bolsonaro está no caminho certo. "Apesar de não entender muito sobre economia, ele disse que está escolhendo as pessoas corretas", destacou o gestor.

Ele também disse que está confiante no trabalho do secretário de desestatização e privatizações, Salim Mattar. A expectativa do gestor é que ele faça a venda de várias estatais e essa privatização deve ser bem positiva para o país, já que há algumas boas "pechinchas".

Mobius falou ainda que espera que a reforma seja aprovada ainda neste ano e que espera um bom crescimento do país no longo prazo. "Segundo ele, o Brasil possui muita força jovem e trabalhadora, mas terá que investir em educação, que é uma das peças-chave".

Situação mundial

E como não podia deixar de ser, o guru ainda comentou sobre guerra entre Estados Unidos e China. Para ele, ambas as nações devem chegar a um acordo porque precisam e que isso precisa ocorrer até as eleições norte-americanas do ano que vem.

"Na minha visão, o Trump é um típico homem de negócios nova-iorquino. Penso que essa ideia de elevar a sobretaxa de importação sobre os chineses é mais uma ameaça, mas não sei se isso será feito de fato", destacou o guru.

Ainda segundo Mobius, se for feito um acordo entre as duas nações, o único problema para o mundo será o Brexit e o impacto que isso terá para a Europa. "A economia ficará muito ruim se o acordo do Brexit não sair bom. Hoje, por exemplo, já vemos os aluguéis caindo em Londres. Não é pra menos que vou mudar o meu escritório de lugar", falou entre risos.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

As ações das novas petroleiras valem a pena?

Nos recentes movimentos de rotação de carteiras nos mercados, temos nos deparado com a dicotomia Velha Economia (empresas de segmentos tradicionais) e Nova Economia (empresas ligadas à tecnologia e novas formas de consumo). Dentro do que se convencionou chamar de Velha Economia, temos visto o destaque das empresas de commodities, justamente o forte do Brasil. […]

Problemas no paraíso

Cesp, Engie, AES Brasil e mais: seca reduz brilho de ações do setor de geração hídrica

Com menos água, as empresas geram menos em hidrelétricas, mas não ficam livres de cumprir os contratos de fornecimento de energia

Jabuti do bem?

MP da Eletrobras: contratação de térmicas a gás pode diminuir conta de luz, diz estudo da Abegás

A medida vem sendo criticada pela maioria das elétricas, que alegam que ela vai na contramão da modernização e competitividade do setor

Viagem bilionária

Bilhete dourado: comprador misterioso gasta R$ 1,4 bilhão para ir ao espaço com Jeff Bezos

O turista espacial superou cerca de sete mil ofertas em um leilão beneficente realizado para definir o tripulante da espaçonave New Shepard

Fechamento dos mercados

Vacinação no Brasil volta a fazer preço, e Ibovespa sobe 0,59%, deixando para trás cautela com ‘Super Quarta’; dólar recua mais de 1%

Mercado deve operar em compasso de espera até a próxima quarta-feira, quando os BCs do Brasil e dos Estados Unidos divulgarão as suas decisões de política monetária

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies