Menu
2019-11-12T15:17:05-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Voltando ao positivo

Volume de serviços sobe 1,2% em setembro, a maior alta mensal em mais de um ano

Resultado ficou acima do teto das estimativas dos analistas, que previam desde uma queda de 0,30% a um avanço de 1,10%

12 de novembro de 2019
10:49 - atualizado às 15:17
Serviços
Imagem: Shutterstock

O volume de serviços prestados subiu 1,2% em setembro ante agosto, na série com ajuste sazonal, segundo os dados da Pesquisa Mensal de Serviços, informou nesta terça-feira, 12, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No mês anterior, o resultado foi revisto de uma queda de 0,2% para recuo de 0,1%.

O resultado ficou acima do teto das estimativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que previam desde uma queda de 0,30% a um avanço de 1,10%, com mediana positiva de 0,60%.

Na comparação com setembro do ano anterior, houve alta de 1,4% em setembro de 2019, já descontado o efeito da inflação. Nessa comparação, as previsões iam de queda de 0,10% a aumento de 2,70%, com mediana positiva de 0,40%.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

A taxa acumulada no ano foi de 0,6%. Em 12 meses, houve elevação de 0,7%.

Desde outubro de 2015, o órgão divulga índices de volume no âmbito da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS). Antes disso, o IBGE anunciava apenas os dados da receita bruta nominal, sem tirar a influência dos preços sobre o resultado. Por esse indicador, que continua a ser divulgado, a receita nominal subiu 1,0% em setembro ante agosto. Na comparação com setembro de 2018, houve aumento na receita nominal de 4,9%.

Maior alta desde agosto de 2018

A alta de 1,2% no volume de serviços prestados na passagem de agosto para setembro foi a mais acentuada desde agosto de 2018, quando o setor cresceu 1,9%. Os dados são da Pesquisa Mensal de Serviços, divulgada nesta terça-feira, 12, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Os serviços avançaram 0,8% do terceiro trimestre de 2019 ante o segundo trimestre do ano, a melhor taxa desde o primeiro trimestre de 2014, quando havia crescido 1,3%.

"A alta elimina as perdas do primeiro trimestre (-0,4%) e do segundo trimestre (-0,3%)", ressaltou Rodrigo Lobo, gerente da Pesquisa Mensal de Serviços no IBGE.

Na comparação com o terceiro trimestre do ano anterior, os serviços tiveram expansão de 0,6% no terceiro trimestre deste ano, o quinto resultado trimestral positivo consecutivo.

4 atividades em alta

Quatro das cinco atividades de serviços registraram avanços na passagem de agosto para setembro, segundo os dados da Pesquisa Mensal de Serviços divulgados nesta terça-feira, 12, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na média global, houve elevação de 1,2%.

O volume de serviços prestados encolheu apenas na atividade de informação e comunicação, com queda de 1,0% em setembro ante agosto. Houve expansão em transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (1,6%), outros serviços (0,5%), serviços prestados às famílias (0,8%) e serviços profissionais, administrativos e complementares (1,8%).

As maiores contribuições para a alta global em setembro foram dos setores de transportes e de serviços profissionais.

"Dentro de transportes, foi o transporte rodoviário de carga e o aéreo de passageiros. Dentro de serviços profissionais, foi aluguel de máquinas e equipamentos e serviços de engenharia", apontou Rodrigo Lobo, gerente da Pesquisa Mensal de Serviços no IBGE.

O agregado especial de Atividades turísticas registrou alta de 4,8% em setembro ante agosto.

Nada como dias úteis a mais

O bom desempenho do volume de serviços prestados no País em setembro foi ligeiramente beneficiado pelo chamado "efeito calendário". O mês de setembro deste ano teve dois dias úteis a mais que em setembro do ano passado.

"Quando a gente olha para setores que têm maior influência de dias úteis, que são os transportes e serviços profissionais e administrativos, eles têm impacto forte de fechamento de contratos por causa do efeito calendário", lembrou Rodrigo Lobo, gerente da Pesquisa Mensal de Serviços do IBGE.

Se neutralizados os efeitos dos dias úteis a mais, a alta de serviços profissionais passaria de 2,9% para 1,4%. Ao mesmo tempo, a queda de transportes passaria de -1,7% para -2,3%. "São dois setores claramente influenciados", afirmou Lobo.

O índice de difusão dos serviços, que mostra o porcentual de subsetores investigados com avanços, aumentou de 45,8% em agosto para 48,2% em setembro.

"Houve avanço no total de serviços com aumento no volume em relação ao mês anterior. Há ganho de ritmo, mas ainda insuficiente para superar a metade. Ainda tem mais da metade dos serviços mostrando queda em comparação ao ano anterior", lembrou Lobo.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Atenção, acionistas

Itaúsa e Bradesco anunciam pagamento de juros sobre capital próprio para seus acionistas

O pagamento de JCP também é uma forma de distribuir lucros, mas em vez de terem um benefício tributário para os acionistas, como ocorre com os dividendos, os Juros sobre Capital Próprio beneficiam a empresa

DE OLHO NO SERVIÇO PÚBLICO

Reforma administrativa é no sentido de valorização do quadro atual, diz Guedes

Ele defende que a estabilidade não seja automática, mas conquistada pelo servidor após anos de boas avaliações no trabalho

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

É pra sorrir ou pra chorar?

A bolsa teve hoje um dia bastante parado, terminando o pregão praticamente no zero a zero. Nesse marasmo do mercado – que ainda contou com um alívio para a cotação do dólar – um papel se destacou no Ibovespa: as ações da Smiles dispararam quase 20%. Só que isso não quer dizer, necessariamente, que o acionista da […]

Poucas emoções

Num dia morno, o Ibovespa caiu e perdeu os 111 mil pontos; dólar recua a R$ 4,12

O Ibovespa cedeu a um leve movimento de correção e fechou em baixa, interrompendo a sequência de cinco altas consecutivas. Já o dólar à vista teve uma nova sessão de alívio, chegando à mínima em um mês.

MAIOR OTIMISMO COM PIB

Para Abimaq, PIB deve crescer 2,5% no próximo ano

A indústria, de uma maneira geral, de acordo com o executivo, vai crescer de 3,5% a 5%, focada muito no mercado interno

QUEDA À VISTA?

Bolsonaro sobre carne: Estamos na entressafra e preço vai diminuir

Bolsonaro disse que está levando “pancada” pelo preço da carne. “Muitos falam, nas redes sociais, que tem de ter tabelamento. Na Venezuela está tudo tabelado: vai lá comprar carne”, disse o presidente

DE OLHO NO CHURRASCO

Carnes podem continuar subindo até fim de janeiro ou início de fevereiro, diz FGV

Em meio ao aumento das exportações para a China por causa do impacto da peste suína africana (PSA) naquele país, a inflação das carnes foi destaque na aceleração, tanto no atacado quanto no varejo

Sorriso amarelo

Veneno numa mão, antídoto na outra: a estratégia da Gol para incorporar o Smiles

A nova proposta da Gol para a incorporação do Smiles é atrativa para os atuais acionistas da companhia de fidelidade, mas deixa clara a turbulência na relação entre as empresas

a conta do benefício

Gigantes do Vale Silício deixam de pagar US$ 100 bilhões em impostos em uma década

Seis das principais empresas do Vale do Silício têm se beneficiado de estruturas governamentais ainda não preparadas para lidar com os serviços oferecidos por elas. Amazon, Facebook, Google, Netflix, Apple e Microsoft — cujo valor de mercado somado é de R$ 4,5 trilhões — deixaram de pagar ao menos de US$ 100,2 bilhões em impostos […]

OLHO NAS COTAÇÕES

BTG Pactual eleva preço-alvo das ações de Lojas Americanas e B2W após Investor Day

No caso das Lojas Americanas, a previsão de alta é de 54,2% em relação ao fechamento da última sexta-feira. Já no caso da B2W, a valorização seria de 20,5%

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements