Menu
2019-07-05T11:01:43+00:00
Previdência em pauta

Vitor Hugo: ‘Vamos tentar acordo para profissional de segurança na reforma’

Deputado Major Vitor Hugo também afirmou durante a entrevista à rádio CBN que é interessante para o governo, se houver condições políticas, colocar Estados e municípios na reforma da Previdência

5 de julho de 2019
11:01
Major Vitor Hugo
Major Vitor Hugo - Imagem: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

O líder do governo na Câmara, deputado Major Vitor Hugo (PSL-GO), disse na manhã desta sexta-feira, 5, em entrevista à rádio CBN, que o governo ainda tentará, no Plenário da Casa, algum acordo para "valorizar o profissional de segurança pública". A afirmação ocorre após o governo não conseguir emplacar regras mais brandas para policiais no texto da reforma, seja no texto do relator, seja via destaques.

O destaque sobre esse tema, o de nº 40, buscava estender as regras especiais de aposentadoria das Forças Armadas para agentes de segurança no âmbito da União: policiais federais, agentes penitenciários e agentes socioeducativos. Foi, no entanto, rejeitado logo no começo da apreciação dos destaques pelo Comissão Especial, na tarde de quinta-feira.

"Vamos tentar viabilizar acordo (para rever as regras ao profissionais de segurança pública), mas não podemos ser irresponsáveis a ponto de arriscar a aprovação da reforma", afirmou Vitor Hugo na entrevista à CBN. O líder do governo na Câmara citou um dilema, dizendo que o governo tem a intenção de "valorizar o profissional de segurança pública", mas houve um impasse ao longo de todo o dia, seria "um problema desestruturar todos os acordos que foram firmados". "Estávamos alinhados para aprovar (o texto da reforma na comissão), não poderíamos colocar em risco acordos", acrescentou.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Sobre mudar as regras no Plenário, o deputado disse que isso ocorrerá apenas "se houver possibilidade de consenso entre os que querem aprovar". "Se não, vamos ter que tentar rever isso de outra forma", afirmou na entrevista.

Inclusão de Estados e municípios

O deputado Major Vitor Hugo também afirmou durante a entrevista que é interessante para o governo, se houver condições políticas, colocar Estados e municípios na reforma da Previdência. Mas ele ponderou que, assim como ocorreu na fase de negociações, deixará a cargo dos congressistas e dos próprios governadores esse trabalho. "Não vamos buscar votos para incluir Estados e municípios. Se o texto for aprovado, mesmo sem Estados e municípios, ficaremos felizes com a reforma", afirmou.

O deputado disse que o governo caminha para ter os 308 votos necessários para a aprovação da reforma no Plenário da Câmara dos Deputados, em dois turnos. Nesta quinta, a Comissão Especial da reforma da Previdência aprovou o relatório apresentado pelo deputado Samuel Moreira (PSDB-SP) por 36 votos a favor e 13 contrários. "A oposição quase nunca foi maior (na votação) que 13", observou.

Ao ser questionado se o governo pode ceder em alguma coisa que pretenda apresentar em plenário, o deputado afirmou que o governo, "com mais calma, hoje e no fim de semana, vai estudar as possibilidades". "No atual quadro político, conseguimos uma reforma em torno de R$ 1 trilhão em dez anos. É uma vitória do governo e do País, vai dar potência fiscal para outros voos mais amplos, como a reforma tributária, o pacto federativo".

Vitor Hugo também citou medidas de impacto micro que foram discutidas em café da manhã com Banco Central. "Há várias frentes que vão começar ser atacadas para melhorar a economia a partir dessa aprovação (da reforma da Previdência)", disse.

Desentendimento com Rodrigo Maia

Sobre seu desentendimento com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), Vitor Hugo afirmou que é preciso considerar que "foi uma semana tensa". "E aqueles que querem aprovar estavam mais tensos. Ontem (quinta) foi um momento crucial", disse.

Segundo ele, "houve uma pequena tensão com Maia quando da definição da questão dos policiais". "Em função de semana mais tensa, porque desaguaria em sequência de votações em série, os ânimos de todos estavam mais tensionados. Mas nós queremos o País melhor e queremos a aprovação da Previdência. Qualquer diferença do passado vai ser superada", disse. "Não existe entre nós (eu e Maia) qualquer problema", finalizou.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Economia aquecida?

Empresários esperam queda na inadimplência e mais investimentos até o fim do ano

Pesquisa também mostra que 55% das empresas têm a intenção de aportar recursos em novos produtos e serviços, 53% querem dar um upgrade tecnológico e 46% capacitar seus profissionais

Seu Dinheiro na sua noite

O elefante na loja de cristais dos mercados

No seu livro Princípios – leitura obrigatória (ao lado do meu romance Os Jogadores, é claro…) –, Ray Dalio afirma que o importante para quem investe não é prever o futuro, mas captar mudanças no ambiente econômico enquanto elas estão acontecendo. O bilionário gestor do maior “hedge fund” do mundo sabe que é natural os […]

Sete blocos envolvidos

MPF entra com ação para impedir leilão de petróleo ao lado de Abrolhos

MPF na Bahia sustenta que blocos não deveriam ir a leilão sem os devidos estudos ambientais prévios

Papel passado

Bolsonaro sanciona com vetos MP da liberdade econômica

Presidente disse durante a cerimônia de sanção que o governo avalia projeto para incentivar a abertura de empresas

OUÇA O QUE BOMBOU NA SEMANA

Podcast Touros e Ursos: A Selic caiu novamente. E agora, como ficam os seus investimentos?

Repórteres do Seu Dinheiro trazem em podcast semanal um panorama sobre tudo o que movimentou os seus investimentos nesta semana

A grana tá solta

Governo libera R$ 12,459 bilhões do Orçamento de 2019 e educação leva a maior fatia do bolo

Parte desse dinheiro não poderá ser distribuída livremente já que, do total, R$ 2,6 bilhões vêm das receitas recuperadas por meio da Operação Lava Jato

Tesourada no governo também

Ministério da Economia corta projeção da Selic em 2019 de 6,2% para 5,9%

Projeção para o câmbio médio deste ano passou de R$ 3,8 para R$ 3,9. Já a estimativa para a alta da massa salarial passou de 5,5% para 4,9%

Meio ambiente em jogo

Amazon entra na onda verde e assina acordo ambicioso para combater mudanças climáticas

Como parte do plano, Bezos disse ainda que vai adquirir 100 mil vans de entregas elétricas da startup de veículos elétricos Rivian e que elas vão começar a rodar a partir de 2021

O céu é o limite?

Ações da Braskem disparam na bolsa após notícias sobre venda pela Odebrecht

Construtora teria recontratado a empresa Lazard para dar continuidade às negociações de venda da sua participação na Braskem

Nova tecnologia

Tim prepara novos polos de testes do 5G no Brasil

“Queremos disponibilizar a tecnologia o quanto antes para que os desenvolvedores comecem a projetar aplicações. Quando o 5G chegar, elas já estarão disponíveis”, explicou, em entrevista ao Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements