Menu
2019-06-12T10:47:09+00:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Atividade fraca no setor

Vendas no varejo recuam 0,6% em abril, segundo IBGE

Setor varejista apresentou recuo em cinco das oito atividades pesquisadas, puxado pela queda nas atividades nos hipermercados e vestuário

12 de junho de 2019
9:50 - atualizado às 10:47
Varejo
Imagem: shutterstock

Após dois meses de estabilidade o volume de vendas do comércio caiu 0,6% em abril, em relação a março. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (12) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na Pesquisa Mensal de Comércio.

O resultado veio abaixo da mediana de expectativas dos analistas ouvidos pelo Broadcast. Na comparação anual, com abril de 2018, as vendas no varejo tiveram um crescimento de 1,7%. Em 2019, as vendas no varejo acumula uma alta de 0,6% e no acumulado dos últimos 12 meses houve avanço de 1,4%.

O setor varejista apresentou recuo em cinco das oito atividades pesquisadas. O setor de hipermercados apresentou a 3ª queda consecutiva, recuando 3,4% de fevereiro a abril, e o de vestuário caiu pela 2ª vez. Depois de duas altas, a venda de artigos farmacêuticos também apresentou uma baixa de 0,7%. O índice sofreu influência do reajuste dos medicamentos em abril. Artigos de uso pessoal e doméstico e Equipamentos e Material para Escritório fecham as categorias que apresentaram queda no mês.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Segundo Isabella Nunes, gerente da pesquisa, as variações do comércio em 2019 o mantém no mesmo nível de dezembro do ano passado. “De janeiro a abril não acumulou nada. É como se o ano de 2019 não tivesse dado nenhuma contribuição para a recuperação da trajetória de queda iniciada em 2014”. Ainda segundo a pesquisadora,as vendas dos supermercados têm sido afetadas tanto por um aumento nos preços dos alimentos consumidos no domicílio quanto pela estabilidade da massa de rendimentos dos trabalhadores.

"A atividade econômica em baixa, a alta capacidade ociosa, o desemprego chegando a 13 milhões de pessoas e mesmo o emprego gerado é na informalidade. Tudo isso faz com que a massa de rendimentos não cresça de forma suficiente para estimular o consumo, que fica restrito às necessidades mais básicas, como supermercado e setor farmacêutico", enumerou Isabella.

No varejo ampliado, que inclui o volume de vendas de veículos e material de construção, os números ficaram estáveis no mês de abril. Em março, a atividade do setor havia avançado 1,1%.

O IBGE também revisou o resultado de vendas no varejo em março ante fevereiro. De uma alta de 0,3%, o avanço passou a ser de 0,1%. Em fevereiro ante janeiro o resultado passou de estabilidade para queda de 0,1%, enquanto janeiro ante dezembro de 2018 passou de 0,5% para 0,6%.

*Com Estadão Conteúdo

 

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Seu Dinheiro na sua noite

Tupi or not tupi

Há quase um século, o escritor Oswald de Andrade redigia o Manifesto Antropofágico, o clássico (e divertidíssimo) texto no qual defende a valorização de uma cultura verdadeiramente brasileira. A ideia não era se opor à influência estrangeira, mas devorá-la. A zoeira com o monólogo de Shakespeare em Hamlet (“To be, or not to be”) sintetiza […]

No júri

Petrobras tem vitória no Carf em processo envolvendo R$ 5,1 bilhões

Processo administrativo fiscal trata da cobrança de CIDE-Importação sobre remessas ao exterior para pagamento de contratos de afretamento

Crédito mais barato

Caixa apresenta nova modalidade de financiamento com juros atrelados ao IPCA

Taxas de juros da nova modalidade vão oscilar entre 2,95% a 4,95% ao ano mais a variação do IPCA. A demanda estimada pelo produto está na casa de R$ 50 bilhões

Vai tranquilo

Maia sobre reforma tributária: “não estamos com pressa”

Presidente da Câmara diz querer estabelecer um debate sobre o tema de forma tranquila e profunda

De mudança e sob nova direção

Após governo mandar Coaf para o BC, Ricardo Liáo é nomeado novo presidente do órgão

Indicação é vista como uma forma de garantir certa continuidade na administração do Coaf

Sem sinal

Oi perde quase metade do valor na bolsa em apenas quatro dias

Com mais de 37,5 milhões de clientes no país, Oi passa a ser avaliada em apenas R$ 4,4 bilhões na B3; só hoje, as ações ordinárias da operadora registraram uma desvalorização de 27%, cotadas a R$ 0,73

DE OLHO NO GRÁFICO

Queda do Ibovespa, S&P e as ações para ficar de olho

No De Olho no Gráfico de hoje, Fausto Botelho fala de suas expectativas para o Ibovespa, o S&P, o Nasdaq, o dólar e o desempenho das ações para as quais tem recomendação de venda

Primeiro texto

Relator da reforma da Previdência no Senado diz estar fazendo esforço para entregar relatório na sexta-feira

A presidente da CCJ, Simone Tebet, já havia dito que essa era a previsão, sendo que a leitura do documento será feita no dia 28

Siga o dinheiro

Fluxo do gringo na bolsa em 2019 ainda é positivo e eu posso provar

Dados disponibilizados pela B3, que mostram saída de R$ 19 bilhões até 15 de agosto, não contabilizam valores movimentados em ofertas de ações

um passo atrás

‘Não quero submeter meu filho ao fracasso’, diz Bolsonaro sobre Embaixada

Presidente admitiu a possibilidade de desistir da nomeação de seu filho, após “guerra de pareceres” no Senado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements