Menu
2019-04-05T15:39:28+00:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Tá faltando gás?

Varejo inicia ano com sinal de recuperação, embora lenta e gradual, diz IBGE

Segundo gerente do IBGE, uma recuperação mais vigorosa dependerá de uma melhora substancial na renda das famílias e do crédito

14 de março de 2019
11:58 - atualizado às 15:39
Varejo
Varejo -

Após as oscilações excessivas registradas nos meses de novembro e dezembro de 2018, o varejo começou o ano de 2019 "com um sinal de recuperação, embora ainda lenta e gradual", avaliou Isabella Nunes, gerente da Coordenação de Serviços e Comércio do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

"Novembro (3,1%) e dezembro (-2,1%) foram meses com variação muito forte", lembrou Isabella Nunes.

A pesquisadora lembra que o desempenho do último bimestre de 2018 foi muito afetado pela antecipação de compras em novembro motivada pela Black Friday, que prejudicou o resultado de dezembro.

Com o avanço de 0,4% nas vendas registrado em janeiro, o saldo é positivo, como mostra a média móvel trimestral, com alta de 0,5% no primeiro mês de 2019.

"Mostrando que varejo continua sim a sua trajetória de recuperação, mas de forma lenta e gradual", disse Isabela. "Quase todas as atividades reverteram em janeiro a queda nas vendas registrada em dezembro", completou.

Renda e financiamento são peças-chave

Nunes também afirmou que uma recuperação mais homogênea e vigorosa do varejo dependerá de uma melhora mais substancial na renda das famílias e do crédito.

"O comércio varejista depende basicamente de renda disponível, de financiamento e também de algum acréscimo extraordinário de renda, como aconteceu em 2017 com o FGTS liberação dos recursos das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço. Como a massa de renda tem se mantido estável todo o tempo, ela contribuiu, mas não tem capacidade de promover um crescimento mais intenso nas vendas. A taxa de juros que a gente paga ainda é muito elevada em relação ao que a gente pagava em 2014", lembrou.

Segundo a pesquisadora, o avanço na ocupação via informalidade no mercado de trabalho também limita um crescimento na renda das famílias, fazendo com que destinem o orçamento disponível para a aquisição de itens básicos.

"O consumo que aparece forte e vem se destacando é justamente o mais ligado a produtos básicos. O consumo de itens de valor agregado mais elevado depende dessas outras condicionantes", disse Nunes.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Corrida contra o tempo

Câmara e Senado devem votar hoje MP que permite capital estrangeiro em áreas; Gol e Azul sobem na bolsa

MP do setor aéreo foi editada no fim do ano passado por Michel Temer e permite que estrangeiros possam deter até 100% do capital das aéreas brasileiras

Mais perto do que se imagina

Sem reformas, País deve violar “regra de ouro” em 2020 e ter recessão, diz OCDE

Organização acredita que não aprovação das reformas resultaria em custos de financiamento mais altos e consequentemente um crescimento mais baixo

A volta da esquerda?

Quatro a cada 10 norte-americanos apoiam o socialismo, diz pesquisa

Levantamento da Gallup mostra que 43% das pessoas acreditam que o socialismo é algo bom para o País, enquanto para 51% ainda é algo ruim; números contrastam com pesquisa de 70 anos atrás

Fraudes em fundos de pensão

Justiça ratifica denúncia de Operação Rizoma contra desvios no Postalis e Serpros

Entre os acusados estão o empresário Milton Lyra, o “operador do MDB”, o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, e o empresário Arthur Mario Pinheiro Machado

Blog da Angela

Grandes fundos emprestaram uma bolada de dinheiro para o governo. Por que isso é ruim?

Patrimônio de fundos sob gestão dos maiores administradores do país está comprometido em 80% com títulos públicos; ações respondem por 3,5% e aplicações no exterior por 0,5% do total

Bateu o pé

Presidente da Comissão Especial reafirma calendário da reforma da Previdência e diz que relatório sai até dia 15

Prazo para apresentação de emendas, que encerraria nesta quinta-feira, 23, deve ser adiado para o dia 30

De olho no gráfico

É hora de comprar Ambev, BB, Petrobras e outras blue chips da Bolsa?

Coluna traz vídeos sobre análise gráfica e dicas de investimentos. Terças e quartas o tema é o mercado de ações. Quinta-feira é a vez das criptomoedas

Aliança ambiciosa

EDP e Engie assinam memorando para criação de joint venture no setor eólico

Em nota, a EDP informa que as duas empresas combinarão seus ativos eólicos offshore e os projetos em desenvolvimento na recém-criada joint venture, que deve estar em operação até o fim de 2019

Câmbio

BC rola mais US$ 1,25 bilhão em leilão linha com compromisso de recompra

Operações foram anunciadas na sexta-feira. Ontem, rolagem também foi de US$ 1,25 bilhão e ainda teremos mais uma operação amanhã

Nada muda (ufa!)

Fitch reafirma rating do Brasil em “BB-“, com perspectiva estável

Nota do País segue limitada pelas fraquezas nas finanças, perspectivas de crescimento fracas, corrupção e um ambiente político turbulento

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements