Menu
2019-11-04T06:44:09+00:00
lá fora

Under Armour é alvo de investigação contábil

Caso examina se a fabricante de roupas esportivas modificou as vendas de um trimestre para outro para parecer mais saudável

4 de novembro de 2019
6:44
Under Armour
Imagem: Shutterstock

As autoridades federais dos EUA estão investigando as práticas contábeis da Under Armour Inc. em um caso que examina se a fabricante de roupas esportivas modificou as vendas de um trimestre para outro para parecer mais saudável, segundo pessoas familiarizadas com o assunto.

Como parte da investigação, que ainda não se tornou pública, os investigadores interrogaram na semana passada pessoas em Baltimore, onde a empresa está sediada, disse uma das pessoas.

Os promotores do Departamento de Justiça estão conduzindo uma investigação criminal sobre o assunto e coordenando com investigadores civis na Securities and Exchange Commission (SEC, a comissão de valores mobiliários dos EUA), disse outra pessoa.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

A Under Armour informou que está cooperando com o Departamento de Justiça e as investigações da SEC. "A empresa começou a responder a solicitações de documentos e informações relacionadas principalmente a suas práticas contábeis e divulgações relacionadas em julho de 2017", afirmou. "A empresa acredita firmemente que suas práticas e divulgações contábeis eram apropriadas".

Porta-vozes do Departamento de Justiça e da SEC se recusaram a comentar. A empresa divulgará os resultados do terceiro trimestre nesta segunda-feira,

Ao examinar o que é conhecido como práticas de reconhecimento de receita, as autoridades geralmente se concentram em saber se as empresas registram receita antes de serem efetivamente auferidas ou se adiam a data das despesas para fazer com que os ganhos pareçam mais fortes, entre outras possíveis infrações.

A Under Armour vem reestruturando suas operações e lutando contra as vendas fracas nos últimos dois anos. Até então, estava entre os fabricantes de vestuário que mais cresceram, acumulando 26 trimestres seguidos de pelo menos 20% de crescimento de receita, na comparação anual.

Essa sequência terminou abruptamente quando a Under Armour não cumpriu suas metas de vendas no último trimestre de 2016. Em 31 de janeiro de 2017, as ações da empresa caíram depois que a empresa anunciou um crescimento de apenas 12% no trimestre nas vendas e cortou suas previsões de crescimento para o ano seguinte. Naquele dia, a Under Armour também disse que seu então diretor financeiro estava saindo depois de um ano no cargo.

Naquela época, o fundador, presidente e principal executivo da empresa, Kevin Plank, atribuiu a desaceleração ao menor número de visitas às lojas por consumidores, à variedade de produtos e às mudanças no setor de roupas esportivas, incluindo a falência de varejistas como a Sports Authority Inc. Plank iniciou uma reestruturação, cortando empregos e contratando Patrik Frisk como presidente.

A Under Armour teve três diretores financeiros de 2016 a 2017. Brad Dickerson, que atuou como na posição desde 2008 e deixou a empresa em fevereiro de 2016. Então assumiu o cargo Chip Molloy, que permaneceu apenas um ano, deixando a empresa por motivos pessoais, segundo a companhia. David Bergman foi nomeado chefe interino de finanças em fevereiro de 2017, depois que a empresa relatou sua perda trimestral de vendas e a saída de Molloy. Bergman, que trabalha na Under Armour desde 2004 em várias funções financeiras, foi nomeado diretor financeiro permanente em dezembro de 2017. Dickerson, Molloy e Bergman não responderam imediatamente aos pedidos de comentário neste domingo.

A desaceleração do crescimento, juntamente com algumas quedas inesperadas no lucro trimestral, alimentou preocupações sobre a capacidade da Under Armour de continuar a conquistar participação de mercado frente a Nike e a Adidas. As ações da empresa, que antes eram negociadas acima de US$ 40, fecharam a US$ 18,91 na sexta-feira.

No mês passado, a empresa informou que Plank estava deixando o cargo de CEO em 1º de janeiro, depois de mais de 20 anos no cargo. Plank permanecerá na empresa como presidente do conselho de administração e chefe de marca, e Frisk assumirá o cargo de CEO e continuará se reportando a Plank.

Fonte: Dow Jones Newswires

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Novidades

Fusão entre Boeing e Embraer consegue aprovação em grande mercado

O acordo entre ambas aparece na lista de transações que data de 19 de novembro. No documento, as transações são colocadas como “aprovadas sem condicionantes”

Seu Dinheiro na sua noite

126…144…197 mil pontos para o Ibovespa

Eu vou, sem saber pra onde nem quando vou parar. O clássico de Roberto Carlos “120… 150… 200 Km Por Hora” podia muito bem embalar a leitura desta newsletter. Assim como o velocímetro do carro na canção do Rei (uma das minhas favoritas), as projeções dos analistas para a bolsa no ano que vem apontam para cima. […]

Quanto vale o show?

Plataforma de investimentos do BTG Pactual pode valer até R$ 10 bilhões, calcula UBS

Banco suíço iniciou a cobertura das ações do BTG Pactual, que já triplicaram de valor neste ano, com recomendação de compra e preço-alvo de R$ 82,00

Emprego

Mercado de trabalho cria 70.852 empregos com carteira assinada em outubro

Esse foi o melhor resultado para o mês desde 2017, quando foram criadas 76.599 vagas no décimo mês do ano. Em outubro do ano passado, houve abertura líquida de 57.733 vagas, na série sem ajustes

De olho nos papéis

BTG reitera compra de Klabin e Suzano e aumenta preço-alvo das ações

Em relatório, analistas do banco expandiram o preço-alvo dos papéis da Suzano para R$ 44 (o valor anterior era de R$ 40), e da Klabin para R$ 20, ante R$ 18

Otimismo

Para o Credit Suisse, 2020 é o ano dos emergentes — e o Brasil tende a ser um dos destaques

A equipe de análise do Credit Suisse aposta nos mercados emergentes para 2020. E, nesse grupo, as ações e ativos do Brasil aparecem entre as principais recomendações

Perspectivas 2020

Para Goldman Sachs cenário é desafiador para o Brasil, mas mais esperançoso

Preocupação não é com a direção da política econômica, mas sim com a capacidade de implementar agenda de reformas fiscais

Mercado de capitais

Ações da Cogna sobem com notícia de IPO de unidade nos EUA

A Cogna espera uma avaliação de até R$ 8 bilhões pela Vasta, plataforma de serviços digitais para escolas privadas, na oferta pública inicial de ações, que deve acontecer em 2020, de acordo o site Brazil Journal

um olho aqui e nos vizinhos

Política impede avanço de reformas na América Latina, mas Brasil é notável exceção, diz Moody’s

Para 2020, a visão dos analistas é de que o ambiente para a região e os emergentes como um todo é negativo, por conta do aumento de riscos políticos e geopolíticos

na ponta do lápis

BNDES perdeu tempo na venda de fatia da JBS, diz presidente do conselho de administração do banco

Em evento no Rio de Janeiro, Carlos Thadeu de Freitas estimou o impacto financeiro dessa demora em R$ 1 bilhão a R$ 2 bilhões

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements