Menu
2019-04-04T13:45:35+00:00
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Nobel no Brasil

‘Trump está completamente divorciado da realidade’, diz Richard Thaler

Durante palestra em São Paulo nesta semana, Nobel de Economia fez duras críticas à política econômica e diplomática do presidente americano e deu sua opinião sobre as ações de empresas de tecnologia

24 de novembro de 2018
15:30 - atualizado às 13:45
Richard Thaler participa de evento da Empiricus, em São Paulo
Richard Thaler, Nobel em Economia: "Trump não acredita em ciência e expertise" - Imagem: Murillo Constantino/QuartettoCom

O Nobel de Economia Richard Thaler, especialista em Economia Comportamental, esteve nesta semana em São Paulo para palestrar no evento de comemoração aos nove anos da Empiricus. Durante sua fala, o professor da Universidade de Chicago foi questionado sobre suas opiniões em relação ao governo Trump, do qual é um crítico ferrenho.

“Quanto tempo nós temos?”, questionou, rindo, antes de responder à pergunta.

“Se nos limitarmos às questões econômicas - afora o problema de que Trump está completamente divorciado da realidade -, ele começa essas guerras comerciais porque acha que negociações internacionais são como desenvolvimento imobiliário [principal negócio de Trump como empresário]”, disse Thaler.

Ao impor tarifas para os bens chineses, continuou o economista, o presidente americano fala como se fosse a China a responsável por pagá-las. “Mas são os consumidores americanos que estão pagando. É assim que funciona. Se meu iPhone custava mil dólares e agora custa 1.010 dólares por causa de uma tarifa, sou eu que pago”, exemplificou.

Outra crítica de Richard Thaler foi quanto à renegociação do Tratado Norte-Americano de Livre Comércio (Nafta, na sigla em inglês), repaginado por Donald Trump e renomeado como Acordo Estados Unidos-Canadá-México.

“Ele quis renegociar o Nafta e acabou com algo bem similar, com um nome diferente, mas que inclui vários elementos do tratado do Obama do qual ele falou tão mal”, disse.

Mas o problema mais sério da administração Trump, segundo o professor, é a negação das mudanças climáticas. Para o professor, o maior erro do presidente americano foi anunciar a retirada dos Estados Unidos do Acordo Global sobre o Clima, o Acordo de Paris.

Apesar de parecer sem efeito, pois o acordo não impõe obrigações, a decisão foi uma sinalização ruim. “Nós temos que cooperar como sociedade, e para que as pessoas cooperem, é preciso haver confiança. E isso [a saída do acordo] fez com que os Estados Unidos parecessem menos confiáveis”, opinou Thaler.

“Trump não acredita em ciência e expertise. Todos os presidentes que estiveram no poder ao longo da minha vida tiveram ótimos economistas trabalhando com eles, exceto Trump. Não tem ninguém lá! E isso não tem nada a ver com política. Eu sou democrata, mas o Bush teve bons economistas com ele, o pai dele também, e ninguém quer trabalhar com a administração atual.”

Ações de empresas de tecnologia estão superavaliadas?

Questionado sobre se as ações de empresas de tecnologia americanas estão superavaliadas, Thaler disse que essas companhias hoje valem muito, mas estão fazendo dinheiro, diferentemente do que aconteceu nos anos 2000.

“Elas podem até estar superavaliadas, mas estão fazendo dinheiro e está havendo disrupção”, disse.

Ele citou o exemplo da Netflix, que passou por três disrupções tecnológicas e não só sobreviveu como foi bem-sucedida em todas: a inovação na forma de se alugar filmes em DVD, o streaming e, mais recentemente, a produção de conteúdo próprio.

A fala de Richard Thaler pareceu afastar a ideia de que o setor de tecnologia ainda é pouco compreensível, arriscado e propenso à formação de bolhas, uma vez que as companhias do setor já parecem ser sólidas e bem-sucedidas.

Mas o Nobel ainda guarda suas dúvidas quanto ao Bitcoin: “O Bitcoin é um exemplo interessante de que é difícil investir. Eu havia dito que Bitcoin era uma bolha, mas se eu tivesse operado vendido em Bitcoin naquela época, teria quebrado”.

Para Thaler, vale a máxima de Warren Buffett: “Se você não entende o que está acontecendo, fique longe”, lembrou.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

MAIS UMA

Bolsonaro afirma que governadores do Nordeste tentam manipular eleitor

O uso de um termo pejorativo para se referir aos nordestinos provocou a reação de governadores da região, que manifestaram “espanto e profunda indignação”

BNDES

Com BNDES menor, pode faltar crédito para investimento

O patamar de desembolsos em torno de R$ 70 bilhões por ano, sinalizado pelo novo presidente, equivale a 1% do Produto Interno Bruto, menor nível em 20 anos.

Boa notícia

Risco volta ao nível de quando país tinha selo de bom pagador

Além do avanço na reforma previdenciária, contribuiu para a redução do risco país o cenário de um mercado internacional mais calmo

Bandeira eleitoral

Tema “corrupção” perde espaço no Twitter de Bolsonaro

Depois de assumir o poder, o assunto perdeu espaço em sua timeline e, segundo levantamento no perfil do presidente, apareceu em apenas 1,4% das postagens.

Uma dose de realismo

Bilionários garantem: este é o melhor momento para se estar vivo

Bill Gates, Warren Buffett, Elon Musk e Barack Obama são categóricos: se você pudesse escolher qualquer momento na história para nascer, seria este.

Promessa é dívida

MAIS LIDAS: Oi e FGTS foram as grandes promessas da semana

São elas: a liberação do saque do FGTS pelo governo Bolsonaro e o plano da diretoria da Oi de tirar a empresa do buraco. Confira

Dá para se arrepender?

Opção do saque do FGTS será reversível

A ideia é que a nova opção de saque permita ao trabalhador resgatar uma parcela em troca de abrir mão da retirada de todo o fundo caso seja demitido sem justa causa

o novo sempre vem

Novo Mercado, nível 1 ou 2: Diga-me a governança da ação e eu te digo quais são os direitos do investidor

Segmento da B3 estabeleceu maior nível de governança entre as empresas e amenizou conflitos entre minoritários e controladores; são hoje 142 empresas no Novo Mercado

De olhos bem abertos

Dez bancos serão investigados por supostos abusos na oferta de consignado a idoso

As empresas têm dez dias para apresentar defesa e, posteriormente, se confirmados os indícios de infração, poderão ser multadas em até R$ 9,7 milhões. As notificações estão formalizadas no Diário Oficial da União (DOU) em despachos do DPDC, órgão da Secretaria Nacional do Consumidor do Ministério da Justiça e Segurança Pública

Seu Dinheiro na sua noite

E o Oscar vai para…

As histórias que mexeram com seus investimentos hoje

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements