Menu
2018-11-06T09:29:46+00:00
Disputa

Três grupos disputam complexo eólico da Renova avaliado em R$ 700 milhões

Ao todo, já foram gastos R$ 2,1 bilhões, sendo R$ 900 milhões de dívidas com o BNDES, com o projeto, segundo o Estado de S. Paulo

6 de novembro de 2018
9:28 - atualizado às 9:29
Energia eólica
Imagem: shutterstock

AES Tietê, Aliança Energia e Rio Energy estão na disputa pelo Complexo Eólico Alto Sertão III, da Renova Energia. Avaliado em cerca de R$ 700 milhões, o negócio envolve um projeto de 400 megawatts (MW) no interior da Bahia - é energia suficiente para abastecer uma cidade de 1,6 milhão de pessoas. A venda do projeto ou uma capitalização na holding para conclusão do empreendimento deve ser fechada ainda neste ano, segundo o jornal "Estado de S. Paulo".

Fundada em 2001, a Renova tem como sócios a estatal mineira Cemig; a Light, do Rio de Janeiro; o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a RR Participações. Até agosto deste ano, Alto Sertão III estava sendo negociado com a canadense Brookfield, apontada como a favorita a concluir a transação. A gestora tinha interesse nos ativos que complementariam seus projetos de energia renovável, mas as negociações não foram adiante, apurou o Estado com pessoas familiarizadas com o assunto. Procurada, a Brookfield não comenta.

Uma fonte ligada aos sócios da Renova afirmou que além da venda total dos parques, há outras alternativas em análise. A entrada de um sócio por meio da capitalização da holding seria uma delas. Nesse caso, o empreendimento seria concluído, podendo ser vendido posteriormente por um preço mais alto, afirmou uma fonte.

Hoje o projeto está com 87% dos investimentos concluídos. No total, foram gastos até agora R$ 2,1 bilhões, sendo R$ 900 milhões de dívidas com o BNDES - originalmente, esse valor era de R$ 650 milhões, referente a um empréstimo ponte que vem sendo renovado a juros altos. Para concluir o projeto, faltam R$ 325 milhões, apurou o jornal O Estado de S. Paulo.

A empresa tem pressa para definir o futuro do complexo eólico. Com a paralisação das obras, a companhia tem sido obrigada a comprar energia no mercado à vista todo mês para cumprir contratos firmados no mercado. A Renova tem cerca de 100 MW de energia de Alto Sertão III vendida em contrato.

Complexos

O empreendimento faz parte de um conjunto de três complexos eólicos levantados pela Renova na Bahia. Os dois primeiros, que somam quase 700 MW de potência instalada, já foram vendidos. O primeiro foi adquirido pela Brookfield e o segundo pela AES Tietê, que no ano passado desembolsou R$ 600 milhões pelo ativo e agora avalia a compra do terceiro complexo.

A aquisição de Alto Sertão III representaria um ganho de escala e eficiência para a empresa controlada pelo grupo americano, que vendeu neste ano a Eletropaulo e já afirmou que quer apostar em energia renovável no Brasil. Procurada, a AES Tietê informou, por meio de nota, que a companhia "está atenta a todas as oportunidades do setor, mas não comenta sobre rumores de mercado".

Outra empresa que tem interesse no complexo eólico é a Aliança Geração de Energia, uma joint venture formada em 2015 por Cemig e Vale. O grupo tem sete usinas hidrelétricas, com capacidade de 1.158 MW, e um parque eólico de 98,7 MW. Procurada, a empresa afirmou que não comentaria o assunto.

A Rio Energy, da gestora internacional Denham Capital, tem parques eólicos na mesma região onde está localizado Alto Sertão III. A companhia não retornou os pedidos de entrevista.

Histórico

A Renova foi uma das primeiras empresas a apostar na energia eólica no Brasil. Em 2010, com um portfólio robusto de projetos no Nordeste, a companhia abriu o capital na Bolsa de Valores de São Paulo, hoje B3, e atraiu a atenção de vários investidores, como Cemig e Light. Mais tarde, a empresa fechou uma parceria frustrada com a americana SunEdison. O negócio obrigou o grupo a fazer uma rígida reestruturação, com novos aportes de sócios e venda de ativos. A dívida da holding é de R$ 1,3 bilhão, sendo 65% com os sócios.

Atualmente, a empresa tem três pequenas centrais hidrelétricas (PCH), de 41,8 MW; e participação de 51% da Brasil PCH, dona de 13 usinas espalhadas pelo Brasil, com capacidade de 148,4 MW. Procurada, a Renova não quis se pronunciar.

*Com Estadão Conteúdo

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

De olho no gráfico

As diferentes análises técnicas e uma resposta sobre se é hora de entrar na bolsa americana

No vídeo de hoje, falo sobre as diferentes formas de encarar a análise técnica e seus distintos métodos de aplicação

Seu Dinheiro na sua noite

O que o Banco Central diz sobre o dólar?

Responsável pela gestão de R$ 40 bilhões, Rogério Xavier é conhecido tanto por ser um dos mais brilhantes gestores de fundos do mercado brasileiro como por não ter papas na língua. Por isso mesmo acordei cedo para conferir a participação dele em um evento promovido pela XP Investimentos. A reportagem completa sobre a fala de […]

Negócio fechado

Petrobras bate o martelo e vende a Liquigás por R$ 3,7 bilhões

A Petrobras assinou nesta terça-feira o contrato para venda da Liquigás para o consórcio formado por Itaúsa, Copagaz e Nacional Gás Butano, por R$ 3,7 bilhões

Se livraram

CVM absolve ex-conselheiros que liberaram Eike Batista da ‘put’ de US$ 1 bilhão na OGX

Adriano Salvi, Jorge Rojas e Roberto Paulino foram acusados pela área técnica da CVM de violarem seu dever de diligência

Boas novas

Boeing afirma que recebeu 50 pedidos para aeronaves 737 Max

Entre os potenciais compradores estão a Air Astana, que é cazaquistanesa e que teria assinado um acordo de intenção para adquirir 30 jatos. As informações são da Bloomberg

Bye bye!

Bolsonaro assina carta de desfiliação do PSL

Carta abre caminho para que Bolsonaro possa assumir a presidência da sigla que decidiu fundar, o Aliança pelo Brasil

Migração

Depósitos na NuConta passam a ser feitos em RDB do Nubank por padrão, mas cliente pode voltar à versão antiga

Quem acessa o app do Nubank tem se deparado com um aviso dizendo que novos depósitos passarão a ser feitos no RDB da instituição; cliente, no entanto, pode optar por voltar aos títulos públicos

Próxima fase

CCJ da Câmara aprova a redação final da reforma da Previdência dos militares

Análise do texto manteve o relatório final da comissão especial aprovado no mês passado sob gritos contra o presidente Jair Bolsonaro

Fica pra depois

CCJ da Câmara adia votação da PEC da segunda instância

Redação original proposta por Manente encontra resistência entre os deputados da Comissão e líderes partidários

Definindo prioridades

Governo deve qualificar 18 projetos de PPI nesta terça-feira

Será a última reunião do ano do conselho, que escolhe os projetos que passam a ser carteira do programa e prioridade no governo

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements