Menu
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
À espera de um desfecho

S&P coloca rating da Embraer em observação para possível rebaixamento

O possível rebaixamento “se deve, principalmente, a uma menor escala e ao aumento da concentração de clientes em sua divisão de defesa, além da maior volatilidade dos lucros e da necessidade de melhorar a rentabilidade de sua divisão de jatos executivos”

11 de janeiro de 2019
19:33 - atualizado às 19:34
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

A agência de classificação de risco S&P Global Ratings colocou o rating BBB da Embraer na listagem "CreditWatch" com implicações negativas após o aval dado pelo governo Bolsonaro ao acordo firmado entre a empresa brasileira e a americana Boeing.

"Se a transação for concluída conforme a proposta, os negócios da Embraer serão reduzidos às suas unidades de jatos executivos e de defesa, que têm margens menores e maior volatilidade do que a divisão de aviação comercial. No entanto, a Embraer manterá uma participação de 20% em uma joint venture com perspectivas de crescimento mais fortes, beneficiando-se da especialização e capacidade comercial da Boeing", comentou a S&P em comunicado divulgado nesta sexta-feira, 11. Para a agência, apesar da melhora na posição de equilíbrio da Embraer, "acreditamos que a cisão enfraquecerá consideravelmente o perfil de risco de negócios e a qualidade de crédito da empresa".

Ainda no comunicado, a S&P apontou que a decisão de colocar o rating da Embraer em observação para possível rebaixamento "se deve, principalmente, a uma menor escala e ao aumento da concentração de clientes em sua divisão de defesa, além da maior volatilidade dos lucros e da necessidade de melhorar a rentabilidade de sua divisão de jatos executivos". Atualmente, a agência estima que a margem Ebitda da divisão de jatos executivos da Embraer esteja próxima de 5% ante 15% da divisão de aviação comercial.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
Dia 18

A caixa transparente do BNDES

Dados sobre tomadores, valores, prazos e taxas já estavam abertos desde 2015

Nada animador

Tesla derrete na bolsa de Nova York após anunciar corte de 7% no quadro de funcionários

Após o anúncio feito pelo CEO da empresa, Elon Musk, através de um email, os papéis da montadora registravam queda de 12% na Nasdaq

Caso Queiroz de volta?

Marco Aurélio Mello dá sinais de que vai rejeitar a suspensão das investigações envolvendo Flávio Bolsonaro

Ministro do STF disse que a “lei vale para todos” e lembrou que, em casos semelhantes, negou seguimento aos processos

Indo pro mercado

Governo de São Paulo anuncia que fundo imobiliário do Estado sairá em março

Segundo o governador João Doria, comercialização do fundo terá início em março deste ano

Nova fase da petroleira

Petrobras anuncia enterro de empréstimos feitos junto aos bancos públicos

Presidente da estatal, Roberto Castello Branco, disse que a petroleira não pegará mais dinheiro com BNDES e Banco do Brasil

Testando a equipe

Por que Davos será decisivo para Bolsonaro?

Sem a presença de Trump, Macron, Macri e Xi Jinping, presidente brasileiro terá um espaço privilegiado no evento

Estreia do novo governo

Discurso de Bolsonaro em Davos defenderá reformas e pilares do liberalismo de Guedes

Apesar do rascunho do discurso já estar pronto, a versão final só deve sair após uma ajudinha de Paulo Guedes

Seu mentor de investimentos

O que você precisa de fato entender na hora de investir seu dinheiro

Nos mercados mundo afora, pouco importa se você é um expert da tecnologia ou das commodities. Na hora H, o que vale mesmo é saber de preço

Ministro da Casa Civil

Para Onyx, família Bolsonaro é vítima de tentativa de desgaste

Vice-presidente do Supremo, ministro Luiz Fux, atendeu a um pedido da defesa de Flávio Bolsonaro e determinou a suspensão da investigação sobre movimentações de Queiroz

Tá ruim? Injeta dinheiro que melhora!

Mercado azedou? A bolsa caiu? Chama o Fed!

Mudança de discurso do Banco Central americano explica boa parte desse rali das bolsas de valores neste começo de 2019. A questão é: isso vai durar?

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu