Menu
2018-12-31T11:28:33+00:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Boletim Focus

Projeções para Selic e inflação em 2019 recuam, segundo o último Focus do ano

Para o PIB, expectativa de crescimento aumentou; perspectiva para o câmbio permanece

31 de dezembro de 2018
10:35 - atualizado às 11:28
Gráfico de alta com homem sobre avião de papel
Juro baixo, inflação controlada e crescimento favorecem ativos de riscoImagem: Shutterstock

A expectativa do mercado para a taxa básica de juros para o fim de 2019 caiu de 7,25% para 7,13% ao ano, apontam as estimativas do último Boletim Focus do Banco Central do ano.  Na prática, o percentual indica que os economistas ouvidos estão divididos entre uma Selic de 7,25% ou de 7,00% no fim do ano que vem.

Para o grupo de analistas que mais acertam as projeções (top 5) de médio e de curto prazos, a mediana da taxa básica em 2019 seguiu em 6,50% ao ano, ante uma previsão de 7,00% e 7,50% um mês antes, respectivamente. Ou seja, para esses analistas, a Selic estacionaria na sua mínima histórica durante todo o ano que vem.

No geral, o mercado espera que os juros se mantenham em 6,50% ao ano pelo menos nos primeiros meses do governo Bolsonaro, iniciando um novo ciclo de alta apenas no segundo semestre de 2019.

Para 2020, a projeção da Selic se manteve em 8,00% no fim do ano, tanto para o mercado em geral quanto para os analistas dos rankings top 5.

A projeção para o crescimento do PIB no ano que vem, no entanto, subiu de 2,53% para 2,55%. Para 2018, a expectativa de crescimento permaneceu em 1,30%, e para 2020 também se manteve a projeção de alta de 2,50%.

Inflação e câmbio

A projeção de inflação pelo IPCA para 2019 também caiu, de 4,03% para 4,01%. Já os analistas dos rankings top 5 mantiveram suas previsões em 3,96%.

A expectativa para o IPCA de 2018 permanece em 3,69%, sendo 3,66% para os analistas dos rankings top 5.

Para o câmbio, foi mantida a expectativa de dólar a R$ 3,80 tanto para 2019 quanto para 2020 em todos os recortes.

Confira o Boletim Focus na íntegra.

Projeções favorecem os ativos de risco

As projeções de Selic baixa, inflação controlada e crescimento econômico favorecem os ativos de risco, cuja rentabilidade está fortemente ligada ao setor produtivo.

Assim, investimentos como ações, fundos imobiliários e imóveis tornam-se atrativos, bem como os ativos de renda fixa que se beneficiam da queda nos juros futuros e que financiam a atividade.

*Com Estadão Conteúdo

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Você lembra do Windows Phone?

Bill Gates admite erro que poderia ter mudado a história dos smartphones

Em 2008, em uma reunião de emergência, a Microsoft decidiu remodelar os planos do seu sistema operacional para se adequar. E embora Gates tenha deixado o cargo de CEO em 2000, é provável que o seu conselho tenha sido levando em consideração

sem consenso

Líder do governo elogia projeto de agências reguladoras criticado por Bolsonaro

Para o senador Fernando Bezerra Coelho, o texto, já aprovado pela Câmara, aperfeiçoou o processo de escolha para o comando das agências

resenha com rodrigo

Maia lança podcast e diz que relatório deve ser votado até dia 27

Publicação será semanal e a previsão é de que seja publicado às segundas-feiras nas redes sociais do deputado

por mais impostos

George Soros e outros bilionários assinam carta pedindo imposto sobre grandes fortunas

Os herdeiros Regan Pritzker e Abigail Disney, além do cofundador do Facebook, Chris Hughes, e outras 15 pessoas assinam o documento pedindo o compromisso dos candidatos a Presidência dos EUA

de olho na reforma tributária

‘Claro que a proposta de reforma não é anti-Guedes’

Baleia Rossi, líder do MDB na Câmara, acredita que é um cenário positivo para a aprovação da mudança do sistema tributário brasileiro

foco na agenda econômica

Congresso quer protagonismo e promete votar a reforma tributária ainda este ano

PEC proposta acaba com três tributos federais – IPI, PIS e Cofins. Extingue o ICMS, que é estadual, e o ISS, municipal. Todos eles incidem sobre o consumo

Valor menor que as estimativas

Investimento direto no país soma US$ 7,070 bi em maio, diz BC

No acumulado do ano até maio, o ingresso de investimentos estrangeiros destinados ao setor produtivo somou US$ 35,137 bilhões

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta segunda-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

fala bc

Setor externo tem superávit de US$ 662 milhões em maio, revela BC

Estimativa para a dívida externa brasileira em maio é de US$ 322,476 bilhões, segundo a instituição; ano de 2018 terminou com uma dívida de US$ 320,612 bilhões

Seu mentor de investimentos

A pirâmide do Rei do Gado

Para quem investiu nos bois de papel, que não eram tão gordos assim, o desfecho foi trágico: cerca de 30 mil investidores perderam 3,9 bilhões de reais, uma média de 130 mil reais per capita

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements