Menu
2019-07-31T14:25:24+00:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
trabalho intenso

Ideia é votar 2º turno da reforma no dia 7, diz secretário da Previdência

Para Rogério Marinho, o processo todo deve ser concluído no Senado Federal até meados de setembro

31 de julho de 2019
14:24 - atualizado às 14:25
Carolina Antunes/PR
Marinho citou que a questão da inclusão dos Estados e municípios na reforma pelo Senado ainda não está descartada. -

O secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, disse, em entrevista à GloboNews na manhã desta quarta-feira, 31, que acredita que a reforma da Previdência deve ser votada em segundo turno na Câmara dos Deputados no dia 7 de agosto.

Para ele, o processo todo deve ser concluído no Senado Federal até meados de setembro. "O governo não tirou férias, sabemos que a batalha da Previdência ainda não foi vencida", disse. O secretário ressaltou que prosseguem as conversas do governo com o Congresso para que o texto avance.

Também na manhã de hoje, o presidente Jair Bolsonaro disse a repórteres na portaria do Palácio da Alvorada que, após café da manhã com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), havia criado a expectativa de que a votação em segundo turno fosse concluída na semana que vem.

Estados e municípios

Marinho citou que a questão da inclusão dos Estados e municípios na reforma pelo Senado ainda não está descartada. "Tenho conversado com o Davi Alcolumbre (DEM-RJ) para articular a votação. Estados e municípios saíram por uma questão política, por falta de apoio formal de governadores sobretudo do Nordeste", afirmou.

O secretário disse acreditar em uma mudança de comportamento dos governadores, o que poderia ajudar na reinclusão dos Estados e municípios.

Marinho falou, ainda, que o Senado deve votar a reforma da maneira como ela foi aprovada na Câmara, e que eventuais inclusões ou exclusões de partes do texto voltarão aos deputados, mas que isso não prejudica o que já tiver sido acertado entre as duas casas legislativas.

Contingenciamento

Por fim, Marinho comentou o novo contingenciamento anunciado semana passada e oficializado na terça-feira, 30, em edição extra do Diário Oficial da União. "O contingenciamento é necessário por conta das dificuldades de receita, para que a gente consiga cumprir a regra de ouro", disse.

De acordo com ele, boa parte do contingenciamento pode ser revertido no final do segundo semestre caso a reforma da Previdência seja aprovada e o Tesouro consiga receitas extraordinárias por meio da venda de ativos.

*Com Estadão Conteúdo 

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

A Bula do Mercado

Mais um feriado testa mercado

Pausa na cidade de São Paulo amanhã deve enxugar a liquidez dos mercados domésticos, provocando distorções nos preços dos ativos

Não vai ter Disney

Dólar a R$ 4,20 surpreende, mas nem tanto. Olho no BC

Mercado aguarda algum aceno do Banco Central (BC), que pode vir pela mesa de operações ou na fala de Roberto Campos Neto, que participa de audiência no Senado

Nada de aumento

“Há zero possibilidade de aumentar a carga de impostos”, diz Waldery

Waldery explicou que a meta de déficit primário de 2019 está mantida em R$ 139 bilhões, mas lembrou que o saldo negativo deve ficar abaixo dos R$ 80 bilhões

Contas públicas

Governo central deve fechar 2019 com déficit abaixo de R$ 80 bi, diz Guedes

Guedes voltou a dizer que o sucesso do leilão da cessão onerosa também ajudou a fazer um resultado fiscal melhor, além de permitir um maior repasse de recursos para Estados e municípios. “O ano de 2019 foi interessante, porque conseguimos muita colaboração com Congresso nas reformas econômicas. Também houve muita colaboração do Judiciário”, completou

Novidades na cervejaria

Ambev anuncia Jean Jereissati como presidente da companhia em 2020

A partir de 1º janeiro de 2020, Jereissati Neto acumulará as funções de diretor-presidente e diretor de vendas e de marketing

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Game over? A vida com o dólar acima de R$ 4,20

A primeira vez que o dólar atingiu o patamar de R$ 4,20 foi em setembro de 2015. Eu me lembro de receber a notícia de uma forma bem inusitada, no meio da plateia de um evento voltado a grandes investidores. Enquanto o palestrante da vez tentava injetar alguma esperança sobre as perspectivas da economia brasileira em […]

Olho nos números

BMG não agrada mercado em primeiro balanço após IPO e ações caem

Apesar da queda acentuada dos papéis, ao comentar o balanço do BMG, os analistas do BTG Eduardo Rosman e Thomas Peredo se mostraram mais tranquilos com o resultado e destacaram que os números vieram dentro do esperado pela maioria dos investidores com quem conversaram

Gestoras

JGP segue comprada em bolsa enquanto acompanha guerra de narrativas

Gestora discute tese de que a manufatura e o comércio global estão próximos ao fundo do poço e prestes a se recuperar

Mudança de coleção

Dona da Le Lis Blanc e Dudalina, a Restoque tenta pôr ordem na casa. O mercado está cético

Em meio a um processo de mudança de estratégia, a Restoque reportou mais um conjunto de resultados trimestrais desanimadores, o que fez suas ações chegarem às mínimas em mais de três anos

Mudanças à vista

Desoneração da cesta básica vai acabar, diz Tostes Neto

Para compensar o gasto com tributo, o governo deve devolver dinheiro aos mais pobres como adicional aos programas sociais

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements