Menu
Vinícius Pinheiro
O melhor do Seu Dinheiro
Vinícius Pinheiro
2019-06-11T19:05:51+00:00
Seu Dinheiro na sua noite

Que venha a concorrência

11 de junho de 2019
19:05
O Melhor do Seu Dinheiro
Imagem: Andrei Morais/Seu Dinheiro

Durante a greve dos caminhoneiros no ano passado, boa parte da população se colocou a favor do movimento, e por um motivo justo: o preço dos combustíveis é muito alto no Brasil.

Mas você já parou para pensar no caminho que a gasolina (ou o diesel, no caso) faz até chegar à bomba dos postos?

Embora o monopólio da Petrobras na produção de combustíveis tenha caído há mais de duas décadas, na prática a estatal continua no domínio dessa atividade. E mercados com baixa ou nenhuma concorrência não costumam funcionar bem.

Em governos anteriores, a solução para esse problema foi simplesmente intervir na Petrobras, com o controle do preço praticado nas refinarias. Como sabemos, o resultado dessa política foi desastroso.

O presidente Jair Bolsonaro chegou a ensaiar uma repetição da estratégia, mas parece que foi convencido a adotar outra saída que, pelo menos no meu modo de entender, pode ser bem mais eficiente: estimular a concorrência.

A Petrobras anunciou no fim de abril a intenção de vender oito de suas 13 refinarias, responsáveis por quase metade da produção do país.

Mas esse plano criou um novo problema. E se um único grupo privado assumisse o controle da maior parte das refinarias, não estaríamos apenas substituindo um monopólio público por um privado?

O Cade, órgão de defesa da concorrência, já estava de olho nesse mercado e hoje fechou um acordo com a Petrobras que deve agilizar o processo de venda das refinarias. Ao mesmo tempo, prevê algumas salvaguardas para evitar uma nova concentração dos ativos.

Os investidores gostaram da notícia, e o melhor termômetro desse sentimento está nas ações da estatal hoje na bolsa. A Bruna Furlani conta nesta matéria os detalhes do acordo fechado entre a Petrobras e o Cade.

100 mil (de novo) à vista

A alta das ações da Petrobras ajudou o Ibovespa a ficar a apenas 1.040 pontos da marca histórica de 100 mil. Esse também é o maior patamar do principal índice da bolsa desde 19 de março. Além da estatal, a Vale foi destaque de alta hoje graças a notícias vindas da China. O andamento de votações no Congresso e a perspectiva de que o vazamento das mensagens do ministro Sergio Moro fiquem restritas ao plano político também levaram os investidores às compras na B3 hoje. Saiba os detalhes de todos as notícias que movimentaram os mercados na cobertura do Victor Aguiar.

Sua aposentadoria (por enquanto) não está em risco

Lembra quando eu escrevi aqui na newsletter que poderia faltar dinheiro para o pagamento das aposentadorias e outros benefícios? Isso aconteceria se o Congresso não liberasse o governo de um dos compromissos da chamada “regra de ouro” das finanças públicas. Pois bem, hoje a comissão de parlamentares que tratou do assunto deu sinal verde para o governo tomar R$ 248,9 bilhões em crédito para o pagamento de despesas com Previdência, Bolsa Família e Plano Safra. Confira como foi costurado esse acordo na reportagem do Eduardo Campos.

Moro x Lula no STF

Um novo embate entre Sergio Moro e o ex-presidente Lula, o primeiro após a divulgação de conversas do ministro, está marcado no STF. O ministro Gilmar Mendes confirmou que a segunda turma do Supremo deve analisar um novo pedido de habeas corpus do ex-presidente, dessa vez alegando suspeição de Moro para julgar o caso. Gilmar também deixou alguns sinais sobre como essa avaliação da Corte deve ser conduzida, como você confere nesta matéria.

Como fica o lucrão?

Tem muita gente que resolve investir em ações de grandes bancos porque enxerga nelas lucro garantido mesmo nos momentos de crise. Mas com a queda dos juros, o crescimento desses resultados bilionários passou a depender mais da concessão de crédito. O problema é que, como a economia não tem ajudado, alguns analistas que cobrem o setor financeiro já começaram a ficar preocupados. Mas o que os bancos dizem sobre isso? Se você também é acionista ou pretende comprar ações de bancos na bolsa, recomendo a leitura desta matéria com o presidente do Bradesco, Octavio de Lazari.

E por falar em bancos…

Hoje foi a vez do Banco Inter dar mais um grande passo na bolsa de valores. A diretoria da instituição anunciou que fará uma emissão de ações ordinárias e dará início a um programa de emissão de certificados de depósitos de ações para a formação de units. O objetivo do Inter por trás dessas medidas é muito claro: ampliar a governança corporativa do banco, cujas ações quadruplicaram de valor nos últimos 12 meses. Confira os detalhes dos planos do banco digital que já atraiu mais de 2 milhões de clientes.

Pare, pense e compre (ou venda)

Já comentamos por aqui que um dos grandes segredos do mercado de ações é saber a hora certa de agir. O bom investidor da renda variável é aquele que acompanha e controla os passos dos ativos na carteira. Mas como alcançar esse objetivo? O Fausto Botelho traz nesta semana algumas dicas para administrar bem suas posições, diminuir os riscos e, principalmente, aumentar seus rendimentos, sempre com base na análise gráfica.

Este artigo foi publicado primeiramente no "Seu Dinheiro na sua noite", a newsletter diária do Seu Dinheiro. Para receber esse conteúdo no seu e-mail, cadastre-se gratuitamente neste link.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

será que vai?

Guedes não mostrou proposta de privatização da Petrobras, diz Bolsonaro

Ontem, reportagem disse que o governo quer concluir a venda da estatal até 2022; as ações da Petrobras dispararam

mais um que passou

Câmara aprova projeto que permite posse de arma em toda a propriedade rural

Projeto segue para Bolsonaro sancionar ou vetar; regra atual diz que posse só é permitida na sede da propriedade

Bolsa

Ação da Telebras dispara com privatização no radar, mas não deveria

Com a alta de mais de 60% ontem na bolsa, o valor de mercado da Telebras na bolsa passou para mais de R$ 1,9 bilhão, mas os resultados da estatal nem de longe justificam toda essa euforia. E os minoritários ainda correm o risco de diluição

O paraíso dos especuladores

Você prefere ser um abutre rico ou um argentino quebrado?

A Argentina jamais se soergueu ao governo peronista. Tornou-se a pátria da inflação, dos choques heterodoxos, das reformas monetárias e das moratórias – e o paraíso dos especuladores.

Mercado entre estatais e BCs

Mercado fez a festa com notícia “requentada” sobre privatização de empresas estatais, mas agora aguarda ata do BCE e discurso em Jackson Hole

Com acordo

Senado aprova MP da liberdade econômica sem previsão de trabalho aos domingos

Governo preferiu recuar e concordar com a retirada da autorização para trabalho aos domingos para garantir a votação da medida a tempo

Seu Dinheiro na sua noite

Temporada de caça às estatais

Uma das críticas mais recorrentes ao governo nesse começo de gestão Bolsonaro foi a aposta de todas as fichas na reforma da Previdência. Durante os longos meses de tramitação da proposta na Câmara, o país ficou praticamente parado. O saldo do projeto aprovado pelos deputados e que agora está no Senado revelou-se até melhor do […]

Dinheirinho na mão

Saque do FGTS terá impacto mais importante na renda de Norte e Nordeste

Saques médios a serem liberados representam 21,5% da renda habitual média da região Nordeste, e 20,1% da renda habitual média do Norte

Um pente-fino

Quais são e como atuam as empresas que o governo pretende privatizar

Equipe econômica de Bolsonaro anunciou nesta quarta-feira as empresas que serão os novos alvos do governo nas privatizações do segundo semestre

Assunto que interessa

Câmara instala comissão especial para analisar novo marco legal para saneamento

Proposta será relatada pelo deputado Geninho Zuliani (DEM-SP) e o presidente do colegiado será o deputado Evair de Melo (PP-ES)

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements