Menu
Márcio Anaya
Bon Vivant
Márcio Anaya
2019-02-24T16:09:05+00:00
Bon Vivant

Que tal testar as novas regras do golfe? Veja onde praticar o esporte em grande estilo sem sair do Brasil

Após mudanças de regulamento, esporte se tornou mais dinâmico

24 de fevereiro de 2019
6:37 - atualizado às 16:09
Campo Olímpico de Golfe (RJ). Foto de Equipe COG
Campo Olímpico de Golfe do Rio, um dos poucos legados da competição realizada na cidade, em 2016. - Imagem: Equipe COG

Os amantes do golfe ganharam neste ano um incentivo extra para praticar a modalidade. Após dois anos de estudos, novas regras finalmente entraram em vigor, com o objetivo de simplificar o esporte e, principalmente, torná-lo mais dinâmico. “O jogo se tornou mais amigável e mais rápido”, diz Abilio Junior, head professional do Gavea Golf and Country Club, no Rio, um dos mais belos e restritos clubes do gênero no país.

Ainda pouco conhecido do grande público no Brasil, o golfe costuma atrair celebridades, sobretudo de outros esportes. O americano Kelly Slater, uma lenda do surf profissional, é um dos que podem ser vistos de vez em quando arriscando algumas tacadas no Gavea Golf.

Gavea Golf, no Rio, é um dos mais tradicionais e restritos clubes da modalidade no país. - Imagem: Divulgação

“Quando ele (Slater) tem compromissos ou competições no Rio, às vezes passa lá”, revela Junior. O ex-namorado da mega top model Gisele Bündchen “é um bom jogador”, garante o especialista.

A lista de esportistas famosos que gostam de golfe conta ainda, por exemplo, com os ex-jogadores de futebol Ronaldo Fenômeno e Kaká. No mundo financeiro, Fernando Pinto de Moura, conselheiro do Banco Alfa, e Armínio Fraga, ex-presidente do Banco Central, são conhecidos praticantes da modalidade.

Para ser sócio do Gavea Golf, é preciso indicação de no mínimo três sócios com mais de cinco anos de casa. - Imagem: Divulgação

Fraga, inclusive, frequenta o Gavea Golf, um clube cercado de charme e tradição, que já recebeu a visita do príncipe de Gales Edward, na década de 30, e cuja origem data de 1921. Hoje, para integrar o seleto quadro de associados do Gavea Golf, não basta estar disposto a desembolsar por volta de R$ 100 mil por um título. É necessária a indicação de no mínimo três sócios com mais de cinco anos de casa.

Celebridades de outros esportes que amam o golfe costumam visitar o Gavea, como o surfista americano Kelly Slater. - Imagem: Divulgação

Outra referência no Rio é o Itanhangá Golf Club, na Barra da Tijuca, criado em 1933 e que já teve o presidente Getúlio Vargas entre os frequentadores.

A ligação do esporte com a cidade maravilhosa, portanto, é antiga – e se fortaleceu em 2016, ano em que a cidade sediou as Olimpíadas. Foi justamente nessa edição dos Jogos que o golfe retornou como esporte olímpico, após 112 anos!  “Isso trouxe uma divulgação que até então não havia no país”, afirma o presidente da Confederação Brasileira de Golfe (CBG), Euclides Gusi. “O Brasil contou com três atletas no evento (Adilson da Silva, Miriam Nagl e Victoria Lovelady), nenhum deles convidado, mas sim por méritos.”

Um dos poucos legados da competição para o Brasil foi o Campo Olímpico de Golfe, inaugurado no fim de 2015, na Barra, e que traz a marca do arquiteto americano Gil Hanse.

Campo Olímpico de Golfe do Rio fica na Barra da Tijuca e é considerado um dos melhores da América Latina. - Imagem: Fabiano Espinola

A crise financeira vivida pelo país nos anos seguintes, no entanto, minou os patrocínios, realidade que Gusi espera que mude daqui para frente, diante da expectativa de retomada no crescimento econômico e com o novo regulamento do golfe. Ao mirar em mudanças que, na prática, aumentam a velocidade das partidas, as novas regras trouxeram também um benefício comercial, lembra Gusi: ampliar as chances de que haja, por exemplo, a transmissão de um jogo pela TV.

Até o ano passado, o tempo médio de uma partida de golfe com 18 buracos era de aproximadamente quatro horas. Agora, espera-se que esse intervalo caia em 30 minutos. Ainda assim, exigiria do expectador o mesmo que assistir, por exemplo, a dois jogos inteiros de futebol na sequência, já incluindo o tempo extra normalmente aplicado pelos juízes. A aposta, porém, está nas disputas de golfe em campos menores, com 9 buracos, o que levaria de uma hora a 90 minutos, em média, considerando os critérios de jogo em vigor.

Vista área do Campo Olímpico de Golfe do Rio, quando que recebeu a modalidade nos Jogos após um intervalo de 112 anos. - Imagem: Gustavo Garrett

“Aí já começa a ficar equivalente ao tempo de ir à academia de ginástica ou praticar natação, por exemplo. É algo que pode ser encaixado no começo ou fim do dia das pessoas”, observa Gusi, da CBG. “A expectativa é usar esse momento de mudança de governo federal, com perspectivas econômicas mais sólidas, para trabalhar junto a empresas dispostas a apoiar ou patrocinar o golfe.”

Atualmente, o país conta com cerca de 9 mil jogadores que participam de eventos oficiais e algo como 6 mil praticantes por lazer, segundo dados da CBG. Além de clubes – sendo o São Paulo Golf Club, em Santo Amaro, o mais antigo do país (fundado no fim do século XIX) –, o esporte pode ser praticado em campos abertos ao público, como o Olímpico, no Rio, e o da Federação Paulista de Golfe, que fica próximo ao aeroporto de Congonhas, na capital.

Mapa score do Campo Olímpico de Golfe, que além dos Jogos Olímpicos já recebeu torneios como o Aberto do Brasil e o Aberto do Estado do Rio - Imagem: Divulgação

A Federação Paulista tem um campo executivo de 9 buracos, mas que simula os obstáculos de uma área oficial, com bancas de areia, lago, árvores e “greens” (área onde fica o buraco e a bandeira) ondulados. Considerado ideal para tacadas curtas, o local tem como diferencial ficar aberto até as 22h todos os dias da semana, e até as 20h aos sábados, domingos e feriados. O green fee de uma partida de 18 buracos (no caso, duas voltas) varia de R$ 46 a R$ 62 e, no caso de 9 buracos, de R$ 40 a R$ 46. Não há cobrança para o empréstimo de tacos.

Campo executivo da Federação Paulista de Golfe, próximo ao Aeroporto de Congonhas, na capital. - Imagem: Divulgação

Como quase todo o equipamento de golfe é importado, quem quiser adquirir artigos específicos precisa encomendar. Um jogo completo masculino da modalidade, com 9 tacos e acessórios, custa em média R$ 2 mil, mas a conta pode facilmente atingir R$ 10 mil, dependo da quantidade de itens e da marca. “A vantagem é a durabilidade, em geral de quatro a cinco anos”, afirma Gusi, da CBG.

Para saber mais*

www.gaveagolfclub.com.br

www.itanhanga.com.br

www.rioogc.com.br

www.cbg.com.br

www.fpgolfe.com.br/ce

www.spgc.com.br

*Informações de referência, não se tratando de indicações dos produtos ou serviços.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Mais perto do que se imagina

Sem reformas, País deve violar “regra de ouro” em 2020 e ter recessão, diz OCDE

Organização acredita que não aprovação das reformas resultaria em custos de financiamento mais altos e consequentemente um crescimento mais baixo

A volta da esquerda?

Quatro a cada 10 norte-americanos apoiam o socialismo, diz pesquisa

Levantamento da Gallup mostra que 43% das pessoas acreditam que o socialismo é algo bom para o País, enquanto para 51% ainda é algo ruim; números contrastam com pesquisa de 70 anos atrás

Fraudes em fundos de pensão

Justiça ratifica denúncia de Operação Rizoma contra desvios no Postalis e Serpros

Entre os acusados estão o empresário Milton Lyra, o “operador do MDB”, o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, e o empresário Arthur Mario Pinheiro Machado

Blog da Angela

Grandes fundos emprestaram uma bolada de dinheiro para o governo. Por que isso é ruim?

Patrimônio de fundos sob gestão dos maiores administradores do país está comprometido em 80% com títulos públicos; ações respondem por 3,5% e aplicações no exterior por 0,5% do total

Bateu o pé

Presidente da Comissão Especial reafirma calendário da reforma da Previdência e diz que relatório sai até dia 15

Prazo para apresentação de emendas, que encerraria nesta quinta-feira, 23, deve ser adiado para o dia 30

De olho no gráfico

É hora de comprar Ambev, BB, Petrobras e outras blue chips da Bolsa?

Coluna traz vídeos sobre análise gráfica e dicas de investimentos. Terças e quartas o tema é o mercado de ações. Quinta-feira é a vez das criptomoedas

Aliança ambiciosa

EDP e Engie assinam memorando para criação de joint venture no setor eólico

Em nota, a EDP informa que as duas empresas combinarão seus ativos eólicos offshore e os projetos em desenvolvimento na recém-criada joint venture, que deve estar em operação até o fim de 2019

Câmbio

BC rola mais US$ 1,25 bilhão em leilão linha com compromisso de recompra

Operações foram anunciadas na sexta-feira. Ontem, rolagem também foi de US$ 1,25 bilhão e ainda teremos mais uma operação amanhã

Nada muda (ufa!)

Fitch reafirma rating do Brasil em “BB-“, com perspectiva estável

Nota do País segue limitada pelas fraquezas nas finanças, perspectivas de crescimento fracas, corrupção e um ambiente político turbulento

menos linhas

Mesmo com reformas, texto da Constituição tem de ser reduzido, diz presidente do STF

Para o ministro Dias Toffoli, se forem aumentados números de dispositivos na Constituição, a possibilidade de judicialização das questões é maior

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements