Menu
Victória Mantoan
Clube do livro
Victória Mantoan
É jornalista e especialista em conteúdo da Empiricus
Colunista

Quatro livros para entender o (nada fácil) Brasil de hoje

Ainda que os efeitos das pesquisas eleitorais sobre a Bolsa sejam imediatistas, as sacudidas são testemunhas do entranhamento que há entre economia e política

29 de setembro de 2018
6:01 - atualizado às 16:18

Para iniciar esta coluna inaugural, vou tomar emprestada e talvez deformar a fala de uma grande figura, com o já adiantado pedido de desculpas: Antônio Cândido, que podemos chamar de pai da teoria literária brasileira, dizia que a literatura serve para confirmar a humanidade do homem. Eu gosto de traduzir essa ideia dizendo que ela nos lembra de que, no fundo, estamos todos no mesmo barco. Mas creio que dá para ir além: a leitura, de modo geral, tem essa capacidade – não apenas a ficção.

A crise que o Brasil enfrentou nos últimos anos, mesmo com o acirramento ideológico (se não por conta dele), no mínimo, escancarou discussões antes muito restritas à classe política e até acadêmica. Orçamentos das diferentes esferas de governos, teto dos gastos, dívida pública, Previdência, reformas. Se não sabemos todos ao certo a definição técnica e os detalhes de cada um desses termos, passamos a ouvi-los nos almoços de domingo em família. A figura do ministro da Fazenda é uma das mais importantes variáveis da atual disputa eleitoral.

Thomas Piketty ficou mundialmente famoso com o livro Capital – No século XXI. Discorde-se ou não das teses defendidas em sua obra, o autor deu uma declaração que reflete bem a razão de existir deste Seu Dinheiro e o que se pretende nesta coluna e que eu parafraseio agora: ao falar de economia, estamos tratando da vida das pessoas, dos salários delas, das suas aposentadorias.

E podemos sempre fazer isso com bons livros.

Certas ideias de Brasil

Ainda que os efeitos das pesquisas eleitorais sobre a Bolsa sejam imediatistas, as sacudidas são testemunhas do entranhamento que há entre economia e política, que também aparece nesta coluna. Isso não é uma particularidade brasileira, é claro. Mas temos muitas outras. Começamos, então, com uma lista de livros que podem ajudar a entender o Brasil de hoje.

Para dar nome à lista, tomo emprestada expressão usada pelos próprios autores indicados. O que temos aqui não é uma repetição das mesmas ideias de maneira diferentes, são interpretações, que podem convergir e divergir em diferentes pontos. “Certas ideias de Brasil”:

O pior emprego do mundo - Thomas Traumann

"O Brasil das últimas décadas lembra uma das Cidades invisíveis, de Italo Calvino"

Se você acha que o pior emprego do mundo é o seu, talvez seja a hora de ter uma conversa com Traumann, que já foi porta-voz da presidência e ministro da Secretaria de Comunicação Social. Ele está disposto a afirmar que o ocupante da pasta da Fazenda é que ganha, na verdade, a disputa. O livro conta com prefácio de Delfim Netto e, em um momento em que o chefe da economia brasileira está tão em destaque, a obra é esclarecedora. Além de enxergar claramente o impacto das decisões dos ministros sobre o seu dinheiro, se chegar ao final, você terá uma grata leitura sobre "como se escolhe um ministro da Fazenda".

Crise e reinvenção da política no Brasil - Fernando Henrique Cardoso

"É uma situação insustentável, não há dúvida. A questão é como enfrentá-la"

Ao falar de política, o ex-presidente jamais poderia deixar de fora aspectos essencialmente econômicos (e não deixou mesmo). Discute a Constituição de 1988 e suas implicações tanto para partidos quanto para o orçamento do Estado. Aceitando que os dois temas não podem ser tratados sozinhos, dado que na vida real política e economia andam de mãos dadas, é possível fazer discussões mais pragmáticas sobre os caminhos do Brasil.

O elogio do vira-lata - Eduardo Giannetti

"O texto semeia, a leitura insemina. O leitor lê o livro, mas há livros que leem o leitor"

Em uma reunião de 25 textos produzidos entre 1989 e 2018, talvez seja possível dizer que Giannetti faz um mergulho nas raízes de nosso conhecido complexo de vira-lata em busca do que há de elogioso no nosso Brasil. Seu livro extrapola a cartilha de economia para tratar de temas culturais e até filosóficos. Dentre as abordagens, há a história do pensamento econômico e discussões que ajudam a entender a postura de "inferioridade" que mantemos diante das "nações ricas".

Uma certa ideia de Brasil -  Pedro Malan

"Verdadeiro, falso e fictício"

Cito aqui o título de um dos textos escritos ao longo de 15 anos por Pedro Malan em coluna no jornal O Estado de S. Paulo e que agora foram reunidos em livro. Como ele mesmo faz questão de apontar no prefácio, a obra dá conta de cinco mandatos presidenciais interpretados, ouso dizer que, "em tempo real". Como historiadora, não resisti e um apanhado de leituras sobre a economia brasileira feitas "agora" sendo lidas "depois". Passa diante dos olhos do leitor um projeto de Brasil (ou projetos) que prosperou e ruiu.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
Conteúdo patrocinado por Startse

Milionária sem sair da cama

O caso da inglesa que ficou milionária trabalhando de pijama no quarto – e o número de brasileiros que querem enriquecer da mesma forma.

Clima está tenso

“O governo é um deserto de ideias”, afirma Maia

Na avaliação do presidente da Câmara, o ministro da Economia, Paulo Guedes, é “uma ilha” dentro do Executivo

Um toma lá da cá

Em discurso, Bolsonaro diz que responsabilidade sobre a previdência está com o Parlamento

“Não é uma questão de governo, e sim de estado, para que nós do Brasil não experimentemos situações que outros países enfrentaram, como na Europa”, disse o presidente

Aliados

Partidos saem em defesa de Maia após crise com governo

Em um gesto de apoio a Maia, o PPS recebeu o presidente da Câmara em sua convenção nacional realizada hoje em Brasília

Águas passadas?

Maia diz que atrito com governo em relação à Previdência é “página virada”

Ele falou com jornalistas antes de uma breve participação em congresso do PPS, em Brasília

Bon Vivant

Saiba quais são as maratonas preferidas de quem trabalha no mercado financeiro

Boston, Chicago, Nova York e Berlim estão entre as competições preferidas, mas a lista inclui também provas exóticas

Tempos ruins para a empresa

Dívida da Avianca dá “salto” e agora é de R$ 2,7 bilhões

A alteração no valor da dívida ocorreu em dois momentos. Em janeiro, a companhia atualizou a primeira lista para R$ 1,3 bilhão por conta própria. Protocolada ontem na Justiça, a segunda modificação, para R$ 2,7 bilhões, veio depois de pedido dos credores

Será que vem chumbo quente por aí?

Caminhoneiros se mobilizam para nova paralisação

Os monitoramentos são feitos pelo Gabinete de Segurança Institucional (GSI), que tem por missão se antecipar aos fatos para evitar problemas para o governo

Clima pesado no governo

“Não dei motivo”, diz Bolsonaro sobre a saída de Maia da articulação

O presidente disse que a declaração de seu filho, o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), com críticas a Maia por adiar a tramitação do projeto anticrime, não é motivo para ele ameaçar sair da articulação política

Polêmica

Bretas usou proposta rejeitada no Congresso para prender Temer, diz jurista

Thiago Bottino afirmou que tanto os procuradores do Ministério Público Federal quanto Bretas se fundamentaram no item número 9 do pacote das “Dez medidas contra a corrupção”, apresentado em 2016 por integrantes da Lava Jato, para prender Temer

BOMBOU NA SEMANA

MAIS LIDAS: do país das maravilhas à dura realidade

 A segunda-feira começou com o Ibovespa aos 100 mil pontos, um marco histórico na bolsa de valores brasileira. O clima azedou e o índice fechou na sexta abaixo de 94 mil

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu