Menu
2019-05-02T16:16:04+00:00
Definindo as pautas

Previdência é prioridade do governo e da Câmara, diz Maia

Presidente da Câmara afirmou que a reforma é necessária para colocar fim a um ciclo de subsídios que agora dá sinais de esgotamento

15 de abril de 2019
17:21 - atualizado às 16:16
Rodrigo Maia
Rodrigo Maia - Imagem: André Dusek/Estadão Conteúdo

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta segunda-feira, 15, que a reforma da Previdência é a agenda prioritária do governo federal e também da Câmara.

Maia participa do Fórum Veja Exame 100 dias de governo, que o Grupo Abril realiza hoje em São Paulo. "A reforma da Previdência é um agenda prioritária do governo e, do meu ponto de vista, da Câmara também", comentou.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

De acordo com Maia, a reforma da Previdência se faz necessária porque após 30 anos da Constituição Federal de 1988 iniciou-se no Brasil um ciclo de subsídios que agora dá sinais de esgotamento.

Junto a isso, segundo Maia, o governo perdeu sua capacidade de atender às demandas sociais. Agora, inicia-se um novo ciclo com a eleição de um governo mais à direita. Movimentos como o que levou à eleição de Bolsonaro no Brasil, sob um desejo generalizado de mudanças, gera rupturas.

Esta ruptura, de acordo com o deputado não é diferente das que ocorreram nos Estados Unidos com a eleição de Trump e na Europa com o Brexit.

"O que a gente tenta agora é compreender qual é a agenda da direita para o Brasil. Para mim é colocar a agenda da organização fiscal, onde as despesas não correspondem mais às demandas do povo. Tanto que a agenda dos Estados e dos municípios em Brasília é descobrir fontes de recursos", disse Maia.

Para o presidente da Câmara, o principal ponto a ser combatido é o equilíbrio das contas previdenciárias que chegam a R$ 300 bilhões.

Economia fiscal

Maia afirmou que confia na aprovação da admissibilidade da reforma da Previdência na Comissão de Constituição de Justiça (CCJ). O parlamentar acredita que é grande a chance de aprovação da proposta no Congresso e diz ter certeza que a economia fiscal em 10 anos, se não for de cerca de R$ 1 trilhão como na proposta original, ficará próxima do que espera o ministro da Economia, Paulo Guedes.

Para Maia, é preciso entender a reforma da Previdência como uma medida importante para o Brasil, e não o governo afirmar que está enviando para o Congresso a reforma porque está sendo obrigado.

Ele evitou dar uma nota aos 100 dias do governo Bolsonaro, porque não quer parecer que está contra ou a favor. No entanto, ele ressaltou que foram "100 dias com turbulência, mas que o avião passou pela turbulência".

O presidente da Câmara lembrou que o País passa por transformações políticas e que, portanto, a dificuldade inicial é compreensível. "Todas essas transformações geram um conflito num primeiro momento, de debates, não é só no Brasil, esses movimentos geram alguma ruptura no sistema. Na verdade, não chega a ser uma ruptura, é uma nova construção", disse.

Reforma tributária

Maia disse ainda que a admissibilidade da reforma tributária deverá ser aprovada nas próximas semanas. Afirmou que existe na casa uma proposta de reforma tributária de referência, baseada nas propostas do ex-deputado Luiz Carlos Hauly e do economista Bernard Appy. "Vamos aprovar a admissibilidade da reforma tributária nas próximas semanas", reiterou.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Ninguém se mete nos juros

Presidente do Fed alfineta Trump e fala em danos “quando a política monetária se inclina a interesses”

Jerome Powell enfatizou a independência da autoridade monetária dos Estados Unidos nesta quarta-feira

Nada muda!

Relator da reforma da Previdência afasta possibilidade de redução de alíquotas para Estados

Líder do Podemos, José Nelto (GO), questionou Samuel Moreira sobre o assunto na Comissão Especial nesta terça-feira

Tesourada suave

Líder do Fed afirma que cortar juros em 50 pontos-base em julho seria “exagero”

James Bullard foi o único a votar por reduzir os juros em 25 pontos-base no encontro do Comitê Federal de Mercado Aberto na semana passada

Melou o cronograma?

Líder do PP diz que partido quer adiar votação da reforma da Previdência em comissão

Arthur Lira afirmou que partes do texto ainda precisam ser debatidas pelos deputados, como as questões das desconstitucionalização, Estados e BPC

Bateu o martelo

Cade aprova venda de fatia da Petrobras em Tartaruga Verde e Espadarte à Petronas

Decisão do conselho antitruste consta em despacho publicado no Diário Oficial da União desta terça-feira

xi...

Mesmo com reforma, governo não retomará investimento por 4 anos, diz secretário do Tesouro

Mansueto Almeida ainda disse que o governo continuará com uma taxa de investimentos de 0,5% do Produto Interno Bruto (PIB).

mundo encantado

Herdeira da Disney defende a taxação de fortunas para salvar o ‘sonho americano’

Abigail Disney assinou uma carta com outros bilionários — entre eles George Soros — pedindo que os candidatos a Presidência dos EUA assumam compromisso de propor a taxação de grandes fortunas

Canetada

Bolsonaro vetará lista tríplice para nomes de agências reguladoras, diz porta-voz

Proposta aprovada no Congresso estabelece que a lista tríplice será elaborada por uma comissão de seleção, que terá sua composição e forma de atuar regulamentadas pelo próprio presidente da República

E-commerce na mira

Comércio eletrônico brasileiro tem nota abaixo do nível aceitável, mostra índice

Nota do Brasil no EQI 2019 sugere que faltam informações nas páginas de produtos nos sites de comércio eletrônico, que há dificuldades em integrar a experiência de compras online e offline e que o processo de cadastro de produtos é ineficiente

Câmbio

Liquidez seca e Banco Central oferta dólares no mercado à vista

Leilão de linha de US$ 1 bilhão foi anunciado e realizado no fim da manhã e buscou prover liquidez ao mercado em período de maior demanda por moeda à vista

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements