Menu
2019-06-11T07:59:52+00:00
olha quem movimenta

Petrobrás e Caixa vão movimentar R$ 15 bi na Bolsa

Após a Petrobrás anunciar na sexta-feira que a venda de sua participação na BR Distribuidora colocará R$ 8 bilhões em seus cofres, a petrolífera divulgou ontem que a Caixa quer vender suas ações da empresa, por R$ 7,2 bilhões

11 de junho de 2019
7:59
Montagem da fachada da Caixa e Petrobras
Imagem: Montagem Andrei Morais/Shutterstock

A venda de ativos de empresas e bancos públicos via Bolsa começa a trazer para o mercado a movimentação de uma quantia significativa de recursos. Após a Petrobrás anunciar na sexta-feira que a venda de sua participação na BR Distribuidora colocará R$ 8 bilhões em seus cofres, a petrolífera divulgou ontem que a Caixa quer vender suas ações da empresa, por R$ 7,2 bilhões. Anteriormente, a Caixa já havia vendido seus papéis da IRB Brasil Re, por R$ 2,5 bilhões. Todas operações aconteceram ou serão feitas pela Bolsa.

No anúncio de ontem, a Petrobrás informou que a Caixa levará a mercado sua participação de 3,24% na petroleira por meio de uma oferta pública de papéis. As ações ordinárias (com direito a voto) serão vendidas no Brasil e no exterior.

Pelo prospecto, cerca de 30% das ações serão destinadas aos investidores pessoa física, que terão entre 17 e 24 de junho para fazer as reservas. O valor mínimo de investimento será de R$ 3 mil e o máximo de R$ 1 milhão. Funcionários da Petrobrás e da Caixa terão prioridade para comprar até 2% do valor total. O início das negociações das ações vendidas no pregão da bolsa está previsto para o dia 27.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Apesar de a economia brasileira passar por um momento delicado, a operação deverá contar com demanda forte de investidores estrangeiros, segundo fontes, por se tratar de uma empresa global e de alta liquidez. Ontem, as ações da Petrobrás caíram 1,94%.

A venda das ações da Petrobrás é a segunda saída da nova gestão da Caixa, presidida por Pedro Guimarães, de áreas que fogem de seu foco principal de atuação. É esse o mandato da gestão Guimarães, bem como tornar o banco mais eficiente. No início do ano, a instituição - que não quis comentar a operação - já havia emplacado uma oferta de papéis da resseguradora IRB Brasil Re, que somou R$ 2,5 bilhões.

Na fila do plano de desinvestimento, estão ações da Alupar, de energia elétrica, e do Banco do Brasil - ambas detidas pelo FI-FGTS e para as quais a Caixa está selecionando assessores financeiros para vendê-las por meio de uma oferta na bolsa.

Devolução. Com o dinheiro obtido, além de investir mais no negócio bancário, a Caixa quer devolver recursos recebidos pelo governo para reforçar seu capital por meio da emissão dos chamados instrumentos híbridos de capital e dívida (IHCD). A Caixa tem saldo de R$ 40 bilhões, que já começou a devolver e quer zerar o quanto antes.

A venda das ações da Petrobrás deve ter efeito positivo no banco estatal, gerando lucro líquido não recorrente no segundo trimestre. O impacto, porém, vai depender do preço dos papéis na oferta, que será definido em 25 de junho.

A expectativa inicial era fazer a oferta de ações em maio, mas alguns fatores fizeram a Caixa adiar a transação. Em abril, com falas do presidente Jair Bolsonaro sobre o preço do diesel, os papéis da Petrobrás caíram na Bolsa, o que fez a instituição rever o cronograma de vendas.

Em seguida, uma liminar concedida pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin questionou a venda de estatais sem autorização do Congresso. Na semana passada, porém, o STF decidiu que subsidiárias de estatais podem ser vendidas sem o crivo de deputados e senadores.

No mesmo dia em que STF decidiu pela liberação, a Petrobrás anunciou a venda de parte de suas ações na BR Distribuidora - que deve ser a maior oferta pública secundária de ações do País neste ano. Com a venda, a petroleira deverá reduzir de cerca de 70% para menos de 50% de participação na distribuidora de combustíveis. O mercado acredita que seja possível concluir a operação em julho.

O mercado ainda conta com outras operações em andamento, como CPFL e Light.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Novo comando

Gustavo Montezano é indicado para lugar de Levy no BNDES

Atual secretário-adjunto da Secretaria de Desestatização, Montezano já foi sócio do Banco Pactual. Ministério da Economia agradece dedicação de Levy

Xi...

Odebrecht pede recuperação judicial nesta segunda-feira

Não estão incluídas as seguintes sociedades: Braskem S.A., Odebrecht Engenharia e Construção S.A., Ocyan S.A., OR S.A., Odebrecht Transport S.A., Enseada Industria Naval S.A. (em conjunto denominadas “Negócios”), assim como alguns ativos operacionais na América Latina e suas respectivas subsidiárias, além de outros nomes

Câmbio

Banco Central anuncia rolagem de linha de dólar na terça e quarta-feira

Serão ofertados até US$ 2 bilhões por dia visando rolar US$ 3,375 bilhões que venceriam no começo de julho

De olho na Previdência

Onyx: “relatório da reforma vai permitir país incluir palavrinha previsibilidade”

“O Brasil estará equilibrado pelos próximos 10 anos ou 15 anos”, acrescentou Lorenzoni, apesar de Guedes ter dito na semana passada que, com o texto de Moreira, o próximo governo já teria de fazer outra reforma

perdido com os centavos?

Novo cofrinho de poupança? Neon anuncia função de investimento de trocados em CDB

Função que começa a ser implantada neste mês permitirá que usuários destinem parte de pagamentos no débito para aplicações automáticas em CDB

Mais magrinha

Petrobras negocia venda de participações em áreas onde descobriu gás em SE

Como o foco do seu plano de negócios atualmente é o pré-sal, localizado na região Sudeste do País, o investimento em outras áreas, como em Sergipe, está atrelado à adoção de soluções financeiras que não comprometam o orçamento da companhia e também não gerem mais dívida

EUA x China

Qual o custo da guerra comercial? Para a Huawei, serão US$ 30 bilhões a menos em receita

O presidente da Huawei, Ren Zhengfei, passou estimativas quanto aos impactos que a guerra comercial trará para a empresa. E tanto a receita quanto as vendas internacionais de smartphones serão fortemente afetadas

Grave crise

Odebrecht pode fazer pedido de recuperação judicial nesta segunda-feira

Com dívida de R$ 80 bilhões e com execuções em curso, a empresa está sem alternativas para resolver seu problema de liquidez financeira

em busca da previdência perfeita

Guedes quer ajustar relatório da reforma

Ministro vai buscar negociar ajustes no relatório da reforma da Previdência com o relator da proposta, deputado Samuel Moreira; o relator e o secretário Especial de Previdência, Rogerio Marinho, já conversaram informalmente neste fim de semana

Boas novas!

Nubank levanta R$ 375 milhões para financiar expansão e emplaca captação inédita

A fintech estreou a nova modalidade com uma oferta de R$ 75 milhões e que atraiu cinco investidores institucionais. Na mesma operação, o Nubank captou outros R$ 300 milhões via letras financeiras sênior

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements