Menu
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
Processadora de carnes

Surfando em uma onda positiva, JBS vê seu rating pela Moody’s subir e anuncia captação de recursos no exterior

Rating da companhia passou de B1 para Ba3, com perspectiva estável

17 de outubro de 2018
14:05 - atualizado às 14:51
Moody's também disse em comunicado que a JBS está buscando reduzir seu volume de dívidas até 2021 - Imagem: Shutterstock

Quem analisava a estrutura financeira da JBS há pouco mais de um ano provavelmente não apostaria em um futuro muito promissor da empresa. A processadora de carnes viveu tempos bem difíceis depois do famoso "Joesley Day", dia em que vieram à tona as delações premiadas e os escândalos de corrupção envolvendo seus executivos.

Mas parece que essa tempestade ficou de vez para trás. Nesta quarta-feira, 17, a companhia deu dois passos importantes rumo ao que parecem ser novos tempos. O primeiro deles veio lá de fora: com mudanças na gestão de suas dívidas, a JBS viu sua nota de crédito ser elevada pela agência de classificação de risco Moody's de B1 para Ba3, com perspectiva estável.

Em comunicado, a Moody's deixou claro que o destaque positivo para que o rating da JBS subisse foi a melhora no perfil de crédito da empresa de processamento de carnes. A agência acrescentou que a empresa está buscando reduzir seu volume de dívidas até 2021 e alongar vencimentos.

Por outro lado...

A Moody's também apontou desafios que a JBS enfrenta, como sua liquidez após escândalos de corrupção envolvendo tanto a empresa como sua controladora J&F quanto executivos como os irmãos Joesley e Wesley Batista.

Para amenizar os efeitos da liquidez, a JBS buscou negociar R$ 12,2 bilhões em instrumentos de dívida de curto prazo com bancos, visando um acordo de normalização. No fim de junho deste ano, a dívida de curto prazo representava 7% da dívida total.

Volta por cima?

O segundo passo importante da empresa de carnes foi o anúncio de que vai captar US$ 500 milhões em recursos no exterior. Segundo o Broadcast/Estadão Conteúdo, a captação teria opção de compra em três anos com taxa entre 7% e 7,5% como ideia de retorno inicial. O processo será feito por meio de seu braço de investimento JBS Investments.

A emissão recebeu rating Ba3 pela Moody's e BB- pela Standard & Poor's e pela Fitch. De acordo com o prospecto que anunciou a oferta, os recursos serão utilizados para recomprar os bônus da JBS que vencem em 2020. A operação está sendo coordenada pelo Barclays, BB Securities, Bradesco BBI, BTG Pactual e Santander.

*Com Estadão Conteúdo.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
Dia 17

Buona Sera, Queiroz

Presidente dá entrevista à emissora italiana e STF entra no caso Queiroz

Governo brasileiro no Fórum Econômico Mundial

O que dirá Paulo Guedes em Davos?

Ideia é atualizar as perspectivas com relação ao futuro do Brasil, transmitindo a imagem de uma democracia vibrante e que funciona bem

Estatal vai recorrer

Petrobras tem revés no Carf e pode pagar até R$ 1,5 bilhão em processo

Petroleira informou que aguarda a intimação oficial na via administrativa e que pretende recorrer da decisão

Meios de pagamento

Em negócio bilionário de fintechs, Fiserv compra First Data por US$ 22 bilhões

A união fortalece as companhias na disputa contra os novos competidores nesse mercado. First Data é dona da marca Bin de maquininhas de cartão no Brasil

Longo prazo

Enel vende por R$ 2,9 bilhões usinas renováveis à CGNEI, da China

Valor total da transação entre as companhias foi US$ 700 milhões (cerca de R$ 2,9 bilhões); as três usinas possuem contratos de venda de energia de longo prazo (PPAs) em vigor

Ex-motorista de Flávio Bolsonaro

STF suspende investigação sobre movimentações financeiras de Queiroz

Ex-motorista do senador eleito, Queiroz é investigado por transações atípicas

câmbio

O que o mercado futuro nos diz sobre o dólar?

Cotação da moeda americana, que fez mínimas a R$ 3,68 na semana passada, volta a mirar os R$ 3,80

Passo a passo

10 regras de bolso para quem quer investir sem ter trabalho

Não quer se tornar um ás dos investimentos? Tem preguiça? Não tem tempo para se dedicar? Seus problemas acabaram! Siga essas dicas para investir no modo “easy”

Vídeo

Desaceleração da China: por que o que acontece do outro lado do mundo importa para o investidor

Por que as bolsas ao redor do mundo são afetadas pelas perspectivas para a economia chinesa? E como os investimentos dos brasileiros são afetados pelo que acontece no gigante asiático? Entenda por que você também deveria ficar sempre de olho na China

Exile on Wall Street

Cinco passos para a real educação financeira

O mercado financeiro pertence aos praticantes: as pessoas aprendem e se educam a partir da prática; o conhecimento precisa emanar da prática para a teoria. E não o contrário.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu