Menu
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
Processadora de carnes

Surfando em uma onda positiva, JBS vê seu rating pela Moody’s subir e anuncia captação de recursos no exterior

Rating da companhia passou de B1 para Ba3, com perspectiva estável

17 de outubro de 2018
14:05 - atualizado às 14:51
Moody's também disse em comunicado que a JBS está buscando reduzir seu volume de dívidas até 2021 - Imagem: Shutterstock

Quem analisava a estrutura financeira da JBS há pouco mais de um ano provavelmente não apostaria em um futuro muito promissor da empresa. A processadora de carnes viveu tempos bem difíceis depois do famoso "Joesley Day", dia em que vieram à tona as delações premiadas e os escândalos de corrupção envolvendo seus executivos.

Mas parece que essa tempestade ficou de vez para trás. Nesta quarta-feira, 17, a companhia deu dois passos importantes rumo ao que parecem ser novos tempos. O primeiro deles veio lá de fora: com mudanças na gestão de suas dívidas, a JBS viu sua nota de crédito ser elevada pela agência de classificação de risco Moody's de B1 para Ba3, com perspectiva estável.

Em comunicado, a Moody's deixou claro que o destaque positivo para que o rating da JBS subisse foi a melhora no perfil de crédito da empresa de processamento de carnes. A agência acrescentou que a empresa está buscando reduzir seu volume de dívidas até 2021 e alongar vencimentos.

Por outro lado...

A Moody's também apontou desafios que a JBS enfrenta, como sua liquidez após escândalos de corrupção envolvendo tanto a empresa como sua controladora J&F quanto executivos como os irmãos Joesley e Wesley Batista.

Para amenizar os efeitos da liquidez, a JBS buscou negociar R$ 12,2 bilhões em instrumentos de dívida de curto prazo com bancos, visando um acordo de normalização. No fim de junho deste ano, a dívida de curto prazo representava 7% da dívida total.

Volta por cima?

O segundo passo importante da empresa de carnes foi o anúncio de que vai captar US$ 500 milhões em recursos no exterior. Segundo o Broadcast/Estadão Conteúdo, a captação teria opção de compra em três anos com taxa entre 7% e 7,5% como ideia de retorno inicial. O processo será feito por meio de seu braço de investimento JBS Investments.

A emissão recebeu rating Ba3 pela Moody's e BB- pela Standard & Poor's e pela Fitch. De acordo com o prospecto que anunciou a oferta, os recursos serão utilizados para recomprar os bônus da JBS que vencem em 2020. A operação está sendo coordenada pelo Barclays, BB Securities, Bradesco BBI, BTG Pactual e Santander.

*Com Estadão Conteúdo.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também

Quem é a Pi

Somos uma plataforma aberta de investimentos formada por um time com pessoas de diferentes perfis, unidos por um único propósito: ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente. #Simples, porque temos uma loja de investimentos 100% digital a sua disposição mesmo antes de você abrir a conta; #Seguro […]

Tem que mudar isso aí!

Líderes de 13 partidos divulgam documento de apoio à Previdência, mas sem BPC e aposentadoria rural

Partidos que, juntos, somam 291 deputados também querem barrar proposta que retira da Constituição algumas regras para concessão e cálculo de benefícios

Olha a bomba!

Líderes de partidos na Câmara concordam em votar PEC que aumenta o poder do Congresso sobre o Orçamento

Projeto de 2015 foi ressuscitado pelos deputados em meio à crise política com o governo e pode ir a plenário já nesta terça-feira

Turma preocupada

Governadores alertam Guedes sobre a condução da reforma da Previdência

Líderes estaduais afirmam que a reforma da Previdência é uma condição de sobrevivência para União, Estados e municípios

Foi por pouco!

Ausente da CCJ, Guedes apanha, mas não será convocado

Ministro da Economia cancelou participação em audiência pública e virou alvo da oposição, mas deputados fecharam acordo para que Guedes compareça à comissão na quarta-feira da próxima semana como convidado

Agora vai?

Empresário deve assumir a comunicação do governo Bolsonaro

Mudança ocorre em meio ás críticas de que a comunicação do Planalto não “desenrolou” e que “já é abril e nada avançou”

DE OLHO NO GRÁFICO

Bull trap no ibovespa e S&P – Proteja-se

Coluna traz vídeos sobre análise gráfica e dicas de investimentos. Terças e quartas o tema é o mercado de ações. Quinta-feira é a vez das criptomoedas

Negócio de gigante

Uber compra Careem, sua rival no Oriente Médio, por US$ 3,1 bilhões

Negócio vai permitir que a Uber amplie sua influência na grande região que vai do Marrocos ao Paquistão

Tá feia a coisa

Avianca faz audiência para devolver aeronaves após eliminar rotas e fechar bases operacionais

Empresa justifica que as mudanças fazem parte de um processo de readequação das operações e redução da frota

De bem com o governo?

Maia volta ao time defensor da Previdência e se diz “preocupado com o Brasil sem reforma”

Presidente da Câmara defendeu o ministro Paulo Guedes após ele ter cancelado a participação na Comissão de Constituição e Justiça

Debate da reforma da Previdência

Oposição começa a recolher assinaturas para obrigar Paulo Guedes a comparecer à CCJ da Câmara

Iniciativa para convocar o ministro da Economia acontece após ele ter dar um “bolo” na comissão nesta terça-feira

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu