Menu
Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.
Alô, alô desigualdades sociais...

Os 26 mais ricos detêm a mesma quantia que a metade mais pobre da população mundial, segundo estudo da Oxfam

A pesquisa mostrou também que, no Brasil e no Reino Unido, os 10% mais ricos pagaram uma porcentagem menor de impostos do que os 10% mais ricos

21 de janeiro de 2019
18:06 - atualizado às 18:20
Baldei com dinheiro - Imagem: Shutterstock

Às vésperas das discussões do Fórum Econômico Mundial, a confederação internacional Oxfam divulgou hoje (21) que,  apenas no ano passado, as 26 pessoas mais ricas eram donas da mesma quantia em dinheiro que toda a metade mais pobre da população mundial. Em 2017, a cifra era maior e por volta de 43 pessoas. Desde a última crise mundial, o número de bilionários praticamente dobrou em dez anos.

Além de a riqueza estar cada vez concentrada nas mãos de poucos, o estudo "Bem-estar público ou benefício privado, na tradução para o português", aponta que a fortuna dos bilionários aumentou para US$ 2,5 bilhões por dia em 2018, o que representa uma alta de 12% no ano. Por outro lado, no mesmo período, a renda da metade mais pobre sofreu uma queda de 11%.

O estudo destaca ainda que, entre 2017 e 2018, o mundo viu o surgimento de um bilionário a cada dois dias.

Brasil é destaque negativo

Com o aumento da desigualdade, a população de menor renda foi uma das mais afetadas. E o nosso país obteve destaque negativo no quesito tributação. A pesquisa mostrou que, no Brasil e no Reino Unido, os 10% mais pobres pagaram uma porcentagem maior de impostos do que os 10% mais ricos

Segundo o relatório, a situação é agravada por conta da evasão fiscal. O problema é que os mais ricos costumam ocultar das autoridades tributárias ao menos US$ 7,6 bilhões.

E nos países em desenvolvimento, as manobras feitas por algumas empresas que evitam pagar impostos ou que transferem quantias para paraísos fiscais fazem com que essas nações deixem de arrecadar cerca de US$ 100 bilhões em impostos, de acordo com a pesquisa.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Ricos estão pagando menos impostos

Mas isso não foi exclusividade dessas nações. De acordo com o estudo, o tributo pago pelos mais ricos e por donos de empresas caiu drasticamente em outros lugares do mundo. Por exemplo, nos países desenvolvidos, a taxa marginal média de imposto de renda individual marginal passou de 62% em 1970 para 38% em 2013.

Enquanto isso nos países em desenvolvimento, a taxa marginal média de imposto de renda individual ficou em 28%, na média. Na pesquisa, a organização destacou a importância de aumentar as taxas de impostos para corporações e para os mais ricos com o objetivo de diminuir as desigualdades sociais.

De acordo com a pesquisa, com uma simples mudança seria possível arrecadar dinheiro suficiente para educar 262 milhões de crianças e oferecer serviços de saúde que poderiam salvar mais de 3.3 milhões de vidas. Basta que fosse exigido o pagamento de uma taxa extra de apenas 0,5% sobre a riqueza de 1% dos bilionários mais ricos do planeta.

Comentários
Leia também
Com governo em crise

“Estamos determinados a mudar o rumo do país”, diz Bolsonaro no Twitter

Segundo presidente, o governo está fiscalizando recursos, diminuindo gastos, propondo endurecimento penal e a reforma da Previdência

Crise no governo

Magoado, Bebianno não vai poupar filho de Bolsonaro

A interlocutores, Bebianno tem deixado clara sua mágoa com a atitude do vereador do Rio de Janeiro que tentou lhe cunhar a pecha de mentiroso

No Twitter

Trump diz que fará reuniões e ligações importantes sobre acordo comercial com a China

Na última sexta-feira, Trump comunicou que americanos e chineses estariam “muito próximos” de um “acordo muito bom”

Entrevista

“Sem investimentos será difícil continuar”, diz presidente da GM no Brasil

Segundo Carlos Zarlenga, negociações com funcionários, fornecedores, concessionários e governos para atrair novos projetos estão dando certo

Reformar é preciso

Guedes vence primeira batalha da Previdência, mas guerra será longa

Força da reforma parcialmente apresentada está no tempo de transição de 12 anos, mais curto que o previsto no texto enviado por Michel Temer

Bon Vivant

Hospedagem com tons de realeza: conheça os mimos dos hotéis ‘6 estrelas’ do Brasil

Hotéis mais luxuosos do país apostam em experiências exclusivas, vinhos e charutos raros, além de uma boa dose de romantismo

Caso Coaf

MP teria informação de que advogado de Flávio Bolsonaro atuou no caso Queiroz, diz jornal

Motorista de senador, Victor Alves teria mantido contato direto com o ex-motorista em nome de Flávio nos primeiros dias, quando o caso veio à tona

Small cap

A prova de fogo da Linx para emplacar seu sistema de pagamentos, o Linx Pay

Para esclarecer como será feita a distribuição da nova solução e quais são as perspectivas para o futuro da empresa, conversei com o presidente da companhia, Alberto Menache

Após 'briga' com setor agropecuário

Equipe econômica vai revisar 37 medidas antidumping

De acordo com dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), estão em revisão 37 medidas antidumping e outras 39 vencem ao longo de 2019

Suspeita de lavagem de dinheiro

Raquel Dodge pede ao STF que mande para o TRE inquérito que envolve Kassab e JBS

No inquérito, a PF identificou pagamentos de R$ 23,1 milhões da JBS a Kassab e disse ver indícios de lavagem de dinheiro

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu