Menu
Julia Wiltgen
O melhor do Seu Dinheiro
Julia Wiltgen
Seu Dinheiro na sua noite

O futuro é emergente

Uma das lendas do mercado financeiro resolveu dar sua opinião sobre o futuro dos investimentos ao redor do mundo. E ele não falou dos Estados Unidos

8 de março de 2019
19:58 - atualizado às 19:59
Imagem: Andrei Morais/Seu Dinheiro

Este artigo foi publicado primeiramente no "Seu Dinheiro na sua noite", a newsletter diária do Seu Dinheiro. Para receber esse conteúdo no seu e-mail, cadastre-se gratuitamente neste link.

“The future is female” - “o futuro é feminino” ou “o futuro é das mulheres”, numa tradução livre. O slogan feminista da década de 1970 foi resgatado recentemente e passou a estampar camisetas pelo mundo, inclusive no Brasil. Eu mesma tenho a minha, com letras em roxo e glitter.

É inegável que, historicamente, as mulheres avançaram muito, no mundo inteiro. Hoje já chefiamos famílias e empresas, além de ocupar boa parte do mercado de trabalho. O Seu Dinheiro mesmo é um projeto liderado por mulheres. Mas ainda há muitos problemas a enfrentar, como a alarmante violência contra a mulher e também uma série de questões econômicas.

Já sabemos que empresas com mulheres na liderança tendem a ser mais diversas e obter resultados melhores, mas ainda somos poucas em postos executivos de grandes empresas; sabemos também que mulheres tendem a ser boas investidoras, até melhores que os homens, mas o mercado financeiro ainda é um mundo bastante masculino. Isso sem falar no “gender gap”, a diferença de rendimentos entre homens e mulheres de mesmo posto de trabalho e qualificação, muito influenciada pela maternidade.

Essas desigualdades são ruins não apenas do ponto de vista social, mas também econômico. Mais mulheres no mercado de trabalho, ganhando o mesmo que os homens, ocupando postos de liderança e financeiramente educadas significam economia girando mais e melhor. Eu tendo a acreditar sim que o futuro será mais feminino do que é hoje. O mundo está mudando, e será bastante positivo para as sociedades - e também para os investidores - que grupos sociais e economias antes à margem cresçam e apareçam.

Alguns grandes investidores, por exemplo, andam dizendo por aí, também numa tradução livre da minha parte, que o futuro é emergente. Embora os Estados Unidos ainda sejam a maior economia do mundo, não parece que, nos próximos 20 anos, America will be great again - ao menos não como já foi em outros tempos.

Esta é a opinião do fundador da GMO, Jeremy Grantham, uma verdadeira lenda do mercado. Em rara entrevista à “CNBC”, o gestor aconselhou os investidores a ficarem longe do mercado americano e buscarem retorno nos países emergentes. Não é pouca coisa, vindo de alguém que anteviu as crises de 2008 e das empresas “ponto com” nos anos 2000.

A questão, para ele, é que de fato os mercados desenvolvidos atingiram um certo limite populacional em termos de trabalho e consumo, área em que os emergentes ainda têm gás. O repórter Eduardo Campos traz para você os detalhes desta história.

Sextou!

Essa nuvem cinza que paira sobre os Estados Unidos e os países desenvolvidos já pesa na bolsa. O dia começou mal para o Ibovespa, que na parte da manhã refletiu previsões de menor crescimento global, sobretudo para os países ricos, e os dados ruins do “payroll”, que mostraram a criação de apenas 20 mil postos de trabalho nos EUA, quando a previsão era de 185 mil vagas.

Mas o posto Ipiranga do presidente Bolsonaro trouxe bons ventos no fim do dia: segundo Paulo Guedes, faltam 48 votos na Câmara para passar a reforma da Previdência e garantir o “seu trilhão de reais”. O resultado foi uma alta forte da bolsa no fim do dia, na contramão de Nova York. Veja tudo que movimentou os mercados no pregão de hoje.

Dia 66 de Bolsonaro - Nova estratégia?

O presidente Jair Bolsonaro voltou a defender a reforma da Previdência nas suas redes socias e em pronunciamentos que fez ao longo do dia. Os eventos de ontem e hoje parecem sugerir uma mudança de estratégia, com Bolsonaro entrando na batalha da comunicação. A questão, agora, é... (leia mais)

Liberais só até a página 2?

Muitos candidatos se elegeram nas últimas eleições com plataformas econômicas liberais, incluindo o presidente Jair Bolsonaro. Mas assim que uma crise envolvendo duas grandes montadoras passou a ameaçar milhares de empregos em São Paulo, governantes das três esferas da administração pública resolveram mover alguns pauzinhos para tentar segurar as empresas no estado e preservar os postos de trabalho.

Recentemente, a GM veio com uma história de talvez abandonar o Brasil. Agora, o prefeito de São Caetano do Sul, eleito pelo PSDB, tenta negociar, oferecendo à montadora incentivos tributários para ficar. Quanto à Ford, as três esferas de governo decidiram cobrar da montadora um plano detalhado do fechamento da sua fábrica em São Bernardo do Campo, visando a ter argumentos para tentar reverter a decisão.

No meio do imbróglio, o governador João Doria já tratou de afirmar que as empresas do setor automotivo interessadas em comprar a fábrica da Ford se comprometem a preservar os empregos, além de anunciar um programa de incentivo fiscal à indústria paulista de veículos, com redução de ICMS. Confira os detalhes do plano nesta reportagem.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também

Quem é a Pi

Somos uma plataforma aberta de investimentos formada por um time com pessoas de diferentes perfis, unidos por um único propósito: ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente. #Simples, porque temos uma loja de investimentos 100% digital a sua disposição mesmo antes de você abrir a conta; #Seguro […]

Ficou para depois

XP Investimentos adia oferta inicial de ações na Bolsa

Incertezas no mercado e falta de necessidade de caixa fizeram os sócios decidirem por adiar a operação até o fim de 2019 ou 2020

Clube dos mais ricos

Porta-voz: pedido de apoio à entrada na OCDE busca volta de grau de investimento

Presidente Jair Bolsonaro conseguiu apoio de Donald Trump para que o Brasil possa se candidatar a uma vaga no grupo, mas para isso terá que abrir mão do tratamento diferenciado que possui na Organização Mundial do Comércio (OMC)

Que Bolsa é Essa?

A crise da Boeing com o 737 MAX pode afetar a Embraer depois da fusão?

Ainda vejo valor escondido nas ações da Embraer, que deve aparecer mais claramente conforme a combinação das duas empresas for amadurecendo, e a posição é uma boa proteção contra uma forte escalada do dólar no curto prazo

A Bula do Mercado

Novela política perde audiência do mercado

Mercado financeiro quer se desviar dos ruídos políticos em Brasília e concentrar as atenções na questão econômica

IR 2019

Como declarar dependentes no imposto de renda 2019

Ganhos e despesas de dependentes também devem ser declarados. Confira como incluir todas as informações da forma correta na sua declaração do IR

É hoje, às 14 hrs

Guedes na Câmara será teste de insatisfação com o governo

Ministro da Economia encara deputados na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) em evento que pode dar boa medida se o novo lema “tudo pela paz” vai funcionar

ADVOGADA DO INVESTIDOR

Podcast: Meu primeiro investimento

Luciana Seabra e Julia Wiltgen contam como começaram a se aventurar como investidores e dão dicas para quem quer dar o primeiro passo

Após operação da PF

BC bloqueia R$ 23 milhões de Coronel Lima e R$ 8,2 milhões de Michel Temer

Valor bloqueado estava guardado em três contas do ex-presidente. Resultado do bloqueio foi encaminhado ao juiz Marcelo Bretas

Na mira

S&P coloca rating da Natura em observação para um potencial rebaixamento

Agência de classificação de risco aponta que as negociações para a compra da Avon poderiam impactar negativamente na nota da empresa

A crise vem de dentro

Líder do PSL na Câmara diz que nem o próprio partido de Bolsonaro está convencido sobre a reforma da Previdência

Delegado Waldir afirmou que o projeto de lei sobre a previdência dos militares causou muito descontentamento entre os parlamentares

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu