Menu
Marina Gazzoni
O melhor do Seu Dinheiro
Marina Gazzoni
2019-07-25T10:32:54-03:00
Tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

O dia D do FGTS

Veja os destaques do Seu Dinheiro nesta manhã

24 de julho de 2019
10:37 - atualizado às 10:32
O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Andrei Morais/Seu Dinheiro

Hoje vou direto ao ponto: a notícia do dia é o anúncio do governo sobre a liberação do saque do FGTS, marcado para hoje à tarde. O tema vai mexer com o bolso de todo mundo, até de quem nunca teve carteira assinada e não tem saldo para sacar.

Para quem tem um dinheirinho depositado no fundo, é hora de saber quais serão as regras para o saque e o cronograma. O FGTS rende uma merreca, menos até que a poupança nas condições atuais. Em tese, é vantagem para todo mundo sacar o seu saldo e aplicar em outra coisa. Ressalvo o “em tese” porque falta confirmar se o governo vai impor alguma contrapartida aos trabalhadores que retirarem seu dinheiro do fundo.

Paulo Guedes confirmou ontem à noite que o volume de saques será da ordem de R$ 42 bilhões, sendo R$ 30 bilhões em 2019 e outros R$ 12 bilhões em 2020. Ele não falou da adoção do limite de R$ 500 por conta, mas o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, confirmou a informação hoje cedo.

Confesso que fiquei #chateada com esse limite. Mas, para a maioria dos brasileiros, ele não fará diferença. A maioria das contas do fundo tem valores baixos depositados. Apenas como referência, quando o ex-presidente Michel Temer liberou o saque da totalidade das contas inativas até 2015, a medida beneficiou 30 milhões de pessoas. Mais da metade tinha até R$ 500 para sacar e 80% abaixo de R$ 1.500.

Se você é profissional autônomo ou empresário e não tem saldo no FGTS nem pense em ignorar esse assunto. A medida terá impacto na economia, com potencial de dar um gás para o varejo e o segmento de viagens, por exemplo. É o tal do efeito na economia real, que mexe com o bolso de todo mundo.

Quem investe em bolsa deve prestar atenção às ações das empresas que crescem com o consumo interno, como varejo e o setor de viagens. Se a medida vier parruda, elas devem se beneficiar - mas se o governo servir um chopp cheio de espuma aí o mercado pode se decepcionar.

Outro segmento que está de olho na medida é a construção civil, especialmente empresas focadas em imóveis para a baixa renda, como a MRV. O setor mostrou preocupação com a liberação do dinheiro do FGTS, já que o recurso é usado para financiar a compra da casa própria. Para essas ações, a tendência é o contrário: se o anúncio for “miado” elas tendem a se beneficiar.

Lá fora, os mercados dão sinais de cautela. As bolsas da Ásia fecharam em queda, tendência que se mantém na abertura do pregão da Europa e no pré-mercado das bolsas americanas.

Ontem, o Ibovespa voltou a patinar e acabou encerrando o dia com queda de 0,24%, aos 103.704,28 pontos. O dólar fechou em alta de 0,92%, a R$ 3,77. Consulte a Bula do Mercado para saber o que esperar de bolsa e dólar hoje.

Olha o gás!

Enquanto o anúncio do FGTS não sai, o ministro Paulo Guedes usa o microfone para falar das mudanças no setor de gás. Ele disse que o “Novo Mercado de Gás" vai quebrar o monopólio da Petrobras no setor e contribuir para a queda do preço do gás natural nos próximos dois anos. Saiba mais.

Falando em Petrobras...

Saiu o preço das ações que a Petrobras pretende vender na oferta da BR Distribuidora. O valor ficou em R$ 24,50 e, com isso, a estatal deve captar até R$ 9,6 bilhões, considerando a possibilidade de oferta de um lote suplementar. Com a operação, a participação da estatal na BR Distribuidora pode cair para 37,5%. Saiba mais.

Marcas da luta

A Cielo teve mais um trimestre difícil. Depois de ver a concorrência acirrar, a líder do setor das maquininhas viu seu lucro cair um terço entre abril e junho deste ano, na comparação com o mesmo período do ano passado. O resultado (R$ 431,2 milhões) foi pior do que os analistas esperavam. A Cielo até conseguiu elevar o número de maquininhas nas ruas e o volume transacionado no período, mas para isso teve que deixar dinheiro na mesa. O Vinícius Pinheiro traz os destaques do balanço da companhia.

Alemão em crise

Ontem eu falei aqui que algo está muito errado quando um banco tem prejuízo. Hoje tenho um exemplo para mostrar: Deutsche Bank registrou um prejuízo líquido de 3,15 bilhões de euros no segundo trimestre. O banco alemão vive até hoje as consequências da crise de 2008, que afetou o sistema financeiro mundial. A instituição já tinha “avisado” os investidores que traria um resultado ruim no trimestre, consequência de um plano de reestruturação que culminará com a demissão de 18 mil pessoas. O resultado, no entanto, veio pior que o previsto e as ações do banco estão apanhando no pré-marcado de Nova York.

Agenda

Bancos Centrais
- BC apresenta dados semanais sobre o fluxo cambial

Balanços 
- Telefônica, GPA e Carrefour divulgam os resultados do segundo trimestre de 2019
- No exterior, Deutsche Bank, Peugeot, Boeing, Facebook, Ford Motor, AT&T e Caterpillar apresentam os seus balanços

Indicadores
- Petrobras divulga relatório de produção e vendas
- A FGV divulga a 3ª quadrissemana do IPC-S Capitais
- IHS Markit apresenta os dados preliminares do índice de gerentes de compras (PMI) de julho da zona do euro, da Alemanha e dos Estados Unidos
- Os EUA ainda divulgam o número de vendas de moradias novas

Política
- Governo de Jair Bolsonaro anuncia a liberação de recursos do FGTS e do PIS/Pasep
- Ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, se reúne com lideranças dos caminhoneiros para discutir nova tabela de fretes

 

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

dinheiro no caixa

Notre Dame Intermédica define ação a R$ 57 em nova oferta e movimenta R$ 5 bilhões

Companhia faz a oferta para levantar recursos para novos investimentos, liquidar debêntures e para pagar a aquisição do grupo Clinipam

guerra comercial

Negociadores de comércios dos EUA e China ‘mantêm contato próximo’, diz Pequim

No domingo (15), vence o prazo para que os EUA adotem tarifas extras a mais US$ 156 bilhões em importações chinesas

em brasília

Senado aprova pacote anticrime de olho em possíveis vetos de Bolsonaro

Projeto foi desidratado em relação ao conteúdo original encaminhado pelo ex-juiz da Lava Jato; Moro já defendeu que os pontos retirados sejam novamente discutidos no Congresso

Recado ao mercado

O BC até pode cortar a Selic em 2020, mas deixou claro que o ciclo está perto do fim

O Copom deixou a porta aberta para mais um corte de 0,25 ponto na Selic em 2020. E, ao não se comprometer com o próximo passo, o BC passou a mensagem de que a onda de reduções nos juros está quase terminando

Seu mentor de investimentos

Caça ao tesouro: as joias descobertas em minha longa carreira no mercado financeiro

Ivan Sant’Anna lembra das grandes tacadas que deu em sua carreira como broker e fala sobre o processo de descobrimento dos tesouros enterrados no mercado

A Bula do Mercado

Copom se prepara para aterrissar e Brasil, para decolar

BC brasileiro indica que fim do ciclo de cortes da Selic está próximo, mas mantém porta aberta para novas quedas, enquanto S&P melhora perspectiva do rating do país

UM DOS IPOs DO ANO

Presidente da XP diz que não descarta listar a companhia na bolsa brasileira

O executivo disse que a ideia sempre foi fazer uma listagem no Brasil, visto que a empresa sempre se posicionou “como disruptora do mercado local, democratizando investimentos”

POLÍTICA

Justiça derruba suspensão de deputados do PSL; Joice pode perder liderança

Nesta quarta-feira, Joice foi confirmada líder do PSL na Câmara e em sua primeira coletiva no cargo afirmou que vai buscar uma pacificação na bancada

Até que enfim!

Agência de risco S&P eleva perspectiva para nota do Brasil para “positiva”

Embora atrasada, a decisão da S&P abre caminho para a recuperação no selo de bom pagador do país, perdido em setembro de 2015

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

A última superquarta do ano

Nesta última superquarta de 2019, o mercado ficou em compasso de espera pelas decisões de política monetária do Federal Reserve (Fed), o banco central americano, e do Banco Central brasileiro. No meio da tarde, o Fed anunciou a manutenção das taxas de juros, interrompendo um ciclo de três reduções consecutivas. Mas como o resultado já […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements